Mostrando postagens com marcador Pele Fur. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Pele Fur. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 18 de março de 2013

Desabafo: Sobre Peles


O inverno está chegando (#winteriscoming) e as grifes de roupas e acessórios começam a lançar coleções de outono/inverno. Li em algum site que as peles dominaram os desfiles em NY e Paris desse ano. Estilistas como Marc Jacobs, Donna Karan, Carolina Herrera, entre outros, criaram peças confeccionadas com peles de bichos. E essa moda está chegando aos pouquinhos no Brasil, mesmo apesar de muita pressão contra da opinião pública. As empresas brasileiras metidas a fashion do ártico estão tentando enfiar goela abaixo produtos feitos de pele aos brasileiros deslumbrados e desavisados. E vai que a moda pega por aqui? 

Não queria abordar o fato de o Brasil ser um país tropical porque não existe a menor coerência entre o clima com o uso de peles. Mesmo na região subtropical, as temperaturas baixas não se comparam às de países frios com invernos rigorosos. Já vi pessoas defendendo o uso de peles em lugares frios. No entanto, estamos no século 21 e a tecnologia têxtil evoluiu de tal forma que não é mais necessário usar peles para se manter aquecido. Morei em uma cidade na qual a temperatura no inverno chegava a -20 graus Celsius e tinha que ir ao trabalho às 6 da manhã caminhando por cerca de 20 minutos sobre um chão de neve. E nunca precisei usar couro e muito menos pele para me manter aquecida. Os casacos de algodão e material sintético (lindos, por sinal) davam conta do recado. Essa desculpa de que usar pele em locais frios é aceitável, não cola. A semana de moda em Oslo na Noruega proíbe o uso de peles nos desfiles. Precisa de mais provas?

Não é preciso ser vegetariano nem vegano para perceber que o uso de peles financia uma rede de crueldade, mantendo animais silvestres sencientes confinados em jaulas durante uma vida e abatendo-os de forma medieval, arrancando a pele com o animal ainda vivo. (Quem ainda não conhece o processo, recomendo assistir vídeos no Youtube aqui). Toda tortura, sofrimento e brutalidade envolvidos se devem apenas à futilidade e ao pseudo-glamour. A tendência atual é tratar animais - que tem desejo por liberdade e interesse em não sofrer - com respeito. Saímos da Idade Média faz tempo. Ser chique é não ser conivente com um produto oriundo de exploração cruel. Pra que reviver uma época, uma estação, um lugar, uma moda que nem é nossa e nunca foi? Não faz sentido. O conceito já foi mudado, só falta seguir.

Tenho visto comentários de pessoas encarando a questão das peles como hipocrisia. Dizem que quem é contra peles deveria se tornar vegano antes de criticar alguém que usa pele. Eu prefiro um hipócrita que come carne e abomina o uso de peles, do que um coerente que come carne E não se importa em usar pele. Nossa luta é minimizar ao máximo a tortura e morte de animais sencientes. Entendo que a maioria das pessoas não nasce vegana, precisa de consciência e certo tempo para a transição. Já o uso de roupas feitas com pele é um cuspe na cara da ética. É não se importar com os animais. E isso demonstra um caráter sádico. Com tanta informação que dispomos, é inaceitável a insistência dessas pessoas em vender e usar peles.

Marcas brasileiras como Animale, Arezzo, Daslu, Guaraná Brasil, Lilly Sarti e Mixed ainda insistem em lançar e vender coleções de roupas e acessórios contendo peles verdadeiras. No ano retrasado a pressão sobre a Arezzo e a coleção "Pelemania" foi tão grande que a marca recolheu todos os produtos das lojas. Isso demonstra que o silêncio só ajuda o opressor, nunca a vítima. Não comprem nada que contenha pele, em caso de dúvida, leia a composição na etiqueta. Vamos questionar, contestar, enviar notas de repúdio através de e-mails, Twitter, Facebooks às marcas que ainda ousam vender peles no Brasil. Não visitem nem deem ibope para blogs e sites de moda que incentivam e tratam pele de animais com naturalidade. Não vamos deixar essa moda pegar aqui!

Eu ainda acho que essa questão deve ser uma questão de Direito. Há que se ter uma proibição legal, jurídica, que proteja os animais das barbáries humanas. Essa é a luta do veganismo: conseguir que animais sencientes tenham o caráter jurídico de pessoas de direito, não podendo ser usados como coisas, tendo seu direito à vida amparado por lei.

"Costumo perguntar às pessoas por que elas tem casacos de pele verdadeira de animais. Elas sempre dizem que é porque é um belo animal. Bom, eu acho minha mãe muito bonita, mas apenas tenho fotografias dela." Ellen DeGeneres





sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Pincéis veganos

A crueldade por trás dos pincéis  

Antes de falar sobre os pincéis "cruelty free", vou explicar porque não é ético usar pincéis de cerdas naturais (feitos de pelo animal).  


 

Já vi muita gente se indignando quando alguém compra e veste casaco de pele, mas enquanto se revoltam com esse fato, usam pincéis de cerdas naturais. Não é incoerência?

A crueldade envolvida nos 2 processos é praticamente a mesma. Ambos são negócios super lucrativos para os fazendeiros que criam esquilos, pôneis, minks, coelhos, cabras, sable etc. Alguém pode argumentar que os animais não foram mortos no processo, mas não é difícil imaginar como é tosar o pelo de animais selvagens como esquilos e minks, que precisam ficar presos em jaulas durante toda a vida, para serem tosados, já que não são animais domesticados.

Já vi pincéis custarem 100, 200 reais. Na loja da MAC vi que os pincéis de pelo natural são made in China ou Japão. Não são só as falsificações que são feitas na China. Imaginem como devem receber tratamento VIP, principalmente na China, onde as regulamentações a favor do bem estar dos animais são pífias? Mesmo que as empresas aleguem que esses animais sejam super bem tratados (cof cof!), é justo manter em jaulas e explorar animais que tem desejo por liberdade e tem interesses próprios, para produção de pelos de pincéis de maquiagem e pintura? 



Antigamente os pincéis sintéticos eram de baixa qualidade e somente os pincéis para aplicar maquiagem cremosa eram de cerdas sintéticas. Hoje são produzidos pincéis com cerdas sintéticas de excelente qualidade que imitam o formato de pincéis de pelo de bicho, com cerdas sintéticas feitas de Taklon ou nylon, que permitem que sejam tão ou mais macios e absorvam tão bem o pó.
  
Precisamos mesmo (ou temos o direito de usar) um pincel de cerdas naturais enquanto as vantagens dos pincéis de cerdas sintéticas são tantas?

- Fáceis de lavar

- Fáceis de encontrar para comprar e a preços razoáveis

- Possuem alta qualidade

- Economizam produto

- Alta durabilidade

- As marcas profissionais (Sigma, OCC, Real Techniques etc) disponibilizam várias opções sintéticas

- São hipoalergênicos a peles sensíveis

- Não envolvem sofrimento animal

Sigma Vegan Bunny Collection

Marcas que possuem pincéis sintéticos:

- Sigma (linha vegan)
- Real Techniques (são todos sintéticos, vende no iherb)
- EcoTools (vende na Kerala, Loosho, iherb, Mercado Livre)
- Elf (linhas Studio e Mineral. Vende na Nonpareil Boutique e no iherb)
- Coastal Scents (linha synthetic)
- Bdellium (linhas bambu das cores verde, rosa e amarelo. vende no iherb)
- OCC
- Too Faced (vende na Brigettes Boutique)
- Prada (vende em farmácia, Laffayette, Araujo, Lojas Rede)
- Panvel (farmácia Panvel)
- Belliz (farmácia, Laffayette)
- Renner 
- Sedona Lace
- Klass Vough (somente a linha Ekko. Vende na Lojas Rede, Loosho)
- Urban Decay
- Hard Candy
- Everyday Minerals (vende no iherb.com)
- Silk Naturals (somente os synthetic)
- Signature Minerals (somente os synthetic)
- Pink Gloss linhas Amazing Vegan e Make it Eco
- Dailus (somente os de cerdas nas cores preta e branca)
- UBU




OCC - Foto do Blog http://www.crueltyfreekit.com