segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Ritual Box da Sublime - dezembro


A Ritual Box é mais um serviço brasileiro de assinatura mensal de cosméticos veganos (não testados e sem ingredientes de origem animal), similar à Veggie Box, que eu tive o prazer de participar na curadoria. Como vegana e apaixonada por cosméticos, está sendo muito legal vivenciar essa época na qual surgiram simultaneamente no Brasil duas empresas que oferecem caixas-surpresa recheadas de cosméticos comprometidas com a qualidade dos produtos oferecidos e com a iniciativa de enviar somente cosméticos veganos. Dessa forma, cada um decide por assinar as duas ou escolher a que mais se identifica. Minha esperança é que ambas cresçam e atinjam novos públicos, já que a abordagem de produtos cruelty free/veganos em blogs brasileiros ainda é bem restrita.

A diferença entre as duas é que a a seleção dos produtos da Veggie Box possui participação de blogueiras do ramo de cosméticos, enquanto a escolha da caixa da Ritual Box é feita pela própria Sublime Rituais, a qual é inspirada em um tema diferente por mês, remetendo sempre a um ritual de beleza. Por exemplo, no mês de janeiro a Ritual Box teve como tema o verão ("quente como o verão"). Assim, os produtos foram selecionados para essa época do ano e um deles foi o gel pós sol da Cativa Natureza. A fundadora Isadora explicou nesse vídeo mais detalhes sobre a proposta da Ritual Box de verão. 

Eu recebi a caixa de dezembro, que teve como tema o Natal. 


Produtos:

- Cartão contendo a descrição de todos os produtos da caixa
- Revista (Sublime Mag) com receitas (algumas são ovo-lacto :/)
- 2 pinhas
- Sachê de perfume
- Shampoo de castanha da Arte dos Aromas 250 ml
- Esfoliante corporal da Arte dos Aromas 250 ml
- Condicionador de castanha da Arte dos Aromas 30 ml
- Sombra iluminadora da Bioart 1,6g
- Shower gel da Vyvedas 300g

Os produtos que eu mais gostei foram o shampoo de castanha e a sombra iluminadora. 

O shampoo da Arte dos Aromas tem consistência cremosa e cor perolada. Apesar de conter sulfato, ele é muito hidratante e deixou meu cabelo brilhante e macio, nada ressecado e sem frizz nas pontas. No entanto, como eu tenho a raiz do cabelo oleosa, nos dias seguintes à lavagem, senti aumento de oleosidade. Ele é indicado para cabelos secos, tingidos e danificados e acredito que seja uma ótima opção para quem precisa de shampoo hidratante e ainda não se adaptou a shampoos sem sulfato. Ah, e eu senti falta de uma válvula pump para evitar o desperdício na hora de aplicar.


A sombra iluminadora da Bioart em pó tem composição natural e mineral. A cor é meio champagne/pêssego com brilhos dourados. O brilho é discreto na pálpebra e quando misturada com a base, dá um "glow" lindo na pele.

Sombra aplicada com pincel umedecido com água para dar efeito metalizado

Sem flash - aplicada sobre primer
Com flash

Eu gosto muito de maquiagem mineral e sempre comprei de marcas internacionais (Silk Naturals, Concrete Minerals etc) e fico muito feliz de ver que existem opções nacionais.

O produto que eu menos gostei foi o shower gel da Vyvedas. A consistência é boa e ele limpa direitinho a pele do corpo sem ressecar, mas pessoalmente eu não curto perfumes amadeirados nem de óleo essencial de Ylang Ylang. Para quem evita substâncias polêmicas, ele também contém 3 tipos de parabenos.


O esfoliante da Arte dos Aromas é suave e deixa a pele muito macia, podendo ser usado por quem possui pele sensível. Mas na minha pele eu ainda prefiro o efeito do esfoliante caseiro de açúcar, óleo de coco e óleo essencial de hortelã que mostrei a receita aqui.

Já o condicionador de castanha eu gostei da consistência e da composição. Eu uso ele junto com uma máscara de hidratação ou reconstrução, porque ele sozinho não consegue deixar as pontas do cabelo (que são descoloridas e danificadas) totalmente hidratadas. Mas acredito que para cabelos normais ele seja o suficiente.



O preço atual promocional da assinatura é R$72 mais o frete.

No geral eu gostei muito da seleção dos produtos (4 produtos full size, 1 miniatura e 1 acessório para casa) e, como a Vitória calculou neste post, o preço final dos produtos compensa o investimento mensal.

Site: http://sublimerituais.com.br/ (a vela de massagem vendida no site da Arte dos Aromas não é vegana porque contém cera de abelha).

Facebook: https://www.facebook.com/sublimerituais

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Hamburguer vegano do James Burger em BH


O James Burger é uma hamburgueria em Belo Horizonte com temática que faz referência aos "James" famosos. Ex: James Dean, James Bond, James Hetfield, James Cameron, James Cromwell etc. Todos os sanduíches tem nomes de James. E o mais interessante é que todos eles podem ser substituídos por hambúrguer de soja ou de champignon, que são veganos. 


James Cromwell é um ator muito famoso e ativista pelos direitos animais. Ele se tornou vegano durante as filmagens do filme "Babe, Um Porquinho Atrapalhado". Para homenagear o ator, a hamburgueria James Burger nomeou o hambúrguer vegano com o nome dele:


James Cromwell e o porquinho Babe


A massa desse hambúrguer da foto é feita com champignon e tem tempero suave. Me pareceu ser frito, mas não é gorduroso. Eu gostei muito e quem estiver na região da Savassi de noite vale a pena experimentar.

O atendimento é muito bom e a música ambiente é um rock agradável (The Cure, The Police, Guns etc). Outra coisa bacana é que ele fecha um pouco mais tarde que a maioria dos bares.


Endereço: Rua Sergipe, 1093, Savassi
Horário: Seg - Qui: 18:00 - 00:00 | Sex: 11:00 - 15:00 | 18:00 - 02:00 | Sáb: 18:00 - 02:00 |
Dom: 18:00 - 00:00
Tel: (31) 3227-7821Facebook: https://www.facebook.com/JamesBurgerBH

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Sabonete facial de carvão - Coal Face da Lush



A resenha hoje é de um produto muito querido, que faz gosto de divulgar aqui no blog.

O Coal Face é um sabonete facial de carvão vegetal cuja função é limpar profundamente peles mistas e oleosas, sem ressecar. Segundo o site da Lush:
"O carvão em pó absorve o excesso de oleosidade e atua como um esfoliante suave, enquanto os óleos essenciais de pau-rosa e sândalo reduzem a vermelhidão e clareiam manchas."
Comprei 160 gramas em setembro do ano passado e durou até meados de janeiro desse ano (4 meses). Até comprar uma nova barra, fiquei alguns dias usando um outro sabonete (Dr. Bronner's) e notei que a minha pele não estava tão boa quanto antes. E essa percepção de pele "boa" eu quero dizer: pele menos oleosa, mais clara e com menos cravos e espinhas. E as eventuais cicatrizes de cravos espremidos secavam e sumiam mais rápido. A presença de glicerina e óleo de coco e uva, por outro lado, não deixam a pele ressecar.

Nesse mês eu comprei o sabonete novamente e pude realmente notar como minha pele fica melhor com ele.

O perfume do sabonete é neutro e suave, por isso não espere um perfume forte e maravilhoso como normalmente tem os sabonetes da Lush.


Como eu uso: Antes de usar eu corto um pedaço do sabonete em uma barrinha menor e guardo o restante. Isso fará com que se economize produto. Ao acordar, molho essa barrinha menor, faço espuma com as mãos e aplico no rosto úmido fazendo movimentos circulares. Ele possui partículas bem pequenas de carvão que esfoliam levemente a pele. Deixo a espuma agir na pele por um minuto e enxáguo. Se sentir que ainda há resíduos de sujeira, oleosidade ou maquiagem, reaplico. Em seguida seco o rosto e aplico o meu tônico caseiro de vinagre (receita aqui) e hidrato com o creme 24 horas da Alva (resenha aqui). Repito o processo antes de dormir.



Ele não é um sabonete muito barato, mas se você tem pele oleosa ou mista, está insatisfeita com o sabonete que usa atualmente e já tentou os sabonetes de argila, acredito que vale a pena testar o Coal Face.

Ingredientes: Liquorice Root Decoction (Glycyrrhiza glabra), Propylene Glycol, Rapeseed Oil, Coconut Oil (Brassica napus; Cocos nucifera), Water (Aqua), Fragrance, Sodium Stearate, Sodium Hydroxide, Sodium Lauryl Sulfate, Powdered Charcoal, Sandalwood Oil (Santalum austro-caledonicum vieill and Fusanus spicatus), Rosewood Oil (Aniba rosaeordora), Glycerine, Sodium Chloride, EDTA, Tetrasodium Etidronate, *Farnesol, *Geraniol,*Linalool, Silver Lustre (Potassium silicate, Titanium dioxide, Iron oxides and Iron hydroxides).

Preço: R$38 por 100g no site da Lush.

Obs: Não tem no site a opção de venda dele, mas acredito que esteja em estoque logo. Quem estiver em São Paulo pode comprar nas lojas físicas.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Dicas de como manter a dieta vegana em viagens


Estamos na época em que muitas pessoas viajam durante o carnaval. Na maioria das vezes, o destino é uma cidade do interior, onde nem sempre há muitas opções de comidas veganas.  

Viajar e manter a dieta vegana pode ser desafiador quando não se está preparado. Dependendo de onde você está indo, as opções veganas podem ser abundantes ou inexistentes. Mas até mesmo nas cidades mais precárias em termos de veganismo é possível se manter vegano, uma vez que quase todos os destinos terão um mercado com frutas, legumes, castanhas, pães e alimentos básicos, sendo facilmente complementada com alimentos levados de casa. Cidade pequena ou não, o melhor a se fazer para não passar apertos (e fome) é preparar sua própria comida e levar alimentos de casa ao invés de confiar na sorte de encontrar restaurantes "vegan-friendly".

Como se preparar para uma viagem?

Para viagens mais curtas de um ou dois dias, você pode passar a estadia sem precisar recorrer a restaurantes. Nesse caso, dá para depender de frutas, sucos, sanduíches preparados em casa, barras de cereal e shakes proteicos em pó levado na coqueteleira. Os shakes proteicos à base de proteína vegetal isolada de soja, arroz ou ervilha nutrem as necessidades proteicas e dão sensação de saciedade.

Já quando a viagem dura vários dias, é preciso pensar antes em alguns fatores.

O primeiro passo é definir se você terá autonomia para cozinhar sua própria comida ou vai depender de almoçar e jantar em restaurantes. 

1) Caso não possa cozinhar, tente descobrir antes pela internet se há algum restaurante com opções de comidas veganas. Veja se existem lojas de produtos naturais ou lanchonetes com pegada mais saudável, onde geralmente há produtos veganos. Caso não encontre nada, leve o máximo de comidas industrializadas/não perecíveis que puder. A maioria dos restaurantes oferece o básico arroz, feijão e salada. Tente escolher um que não cometa crimes como colocar bacon no feijão ou frango desfiado na salada. O restante você provavelmente terá que levar para complementar. Nesse tipo de situação, eu costumo comer depois na casa/pousada/hotel algo rico em proteínas como tofu, PTS preparada anteriormente, enlatados da Superbom etc. Mas para isso é preciso uma geladeira para conservar ou até um isopor com gelo resolve.

Vista de rua da cidade histórica de Ouro Preto, em Minas Gerais
Os restaurantes de cidades históricas geralmente são muito conservadores e apegados à tradição da comida local, sempre farta em alimentos de origem animal. Foto

Há algumas situações como se hospedar em hotéis isolados (como o Overlook hehe) ou fazer um cruzeiro marítimo, por exemplo, nas quais você deve levar comidas. A não ser que faça amizade com os cozinheiros e peça para fazerem refeições especiais veganas (seria lindo se isso fosse possível), é provável que não encontre opções veganas.

Snacks, biscoitos e salgadinhos são super fáceis de encontrar e quebram um galho na hora do aperto. Exemplos veganos: Cebolitos, biscoito waffer de chocolate e cracker da Bauducco, Doritos Sweet Chili/Taco Mexicano/Dippas, Club Social tradicional/Integral, Nutry de castanha, paçoquita, batata e mandioca frita etc.

2) Quando existe a possibilidade de cozinhar durante a estadia, é mais fácil de se alimentar melhor sem depender de restaurantes. 

Eu não costumo ligar em manter a alimentação super saudável em viagens, já que serão só alguns dias e logo volto à rotina. Essa é a minha sugestão de mala de comida para complementar com frutas, verduras e legumes e cozinhar:


- Castanhas
- Glutadela
- PTS
- Caseirito 
- Veg Bar
- Catchup e mostarda
- Bisnaguinha integral da Wickbold
- Achocolatado de soja da Alpro
- Salsicha vegetal da Superbom
- Feijoada e lentilhada vegetariana (<3)
- Chocosoy
- Geléia
- Suco

Não saiu na foto, mas merecem a menção:
- leite de soja em pó da Olvebra (Omega)
- Proteína isolada de ervilha da Natural Science
- pasta de amendoim First
- pão sírio 
- pasta de grão de bico enlatada

Durante o trajeto da viagem, leve na bolsa: banana, castanhas/nozes/avelã, barra de cereais, cookies, proteína isolada em pó ou sanduíches de pão com pasta de tofu, tomate, alface e glutadela/hambúrguer vegetal etc.

Fonte da imagem:

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Resenha | Veggie Box de janeiro


A espera finalmente acabou! Agora a maioria das pessoas que contribuiu com o crowdfunding já recebeu as caixas com produtos de beleza veganos da Veggie Box. Nessa primeira edição, eu tive o prazer de trabalhar na co-curadoria da caixa com eles. Foi uma experiência muito legal! Eu fiquei animada com a ideia de poder dar dicas de produtos veganos que poderiam estar nesta caixa e nas próximas, já que a variedade de cosméticos e maquiagens veganas no Brasil ainda é bem restrita.

Para quem não sabe o que é a Veggie Box, eu fiz uma resenha completa sobre o projeto nesse link. Mas é basicamente uma assinatura mensal de cosméticos veganos, os quais podem vir de 4 a 6 produtos tamanho full size e amostras/miniaturas.

Todos os produtos dessa caixa foram escolhidos por mim e pela equipe da Veggie Box. Por ser a primeira caixa e por estarem ainda na fase de consolidação, tivemos alguns probleminhas com os fornecedores, mas eles já estão trabalhando para evitar imprevistos nas próximas. 


O primeiro produto que eu sugeri foi o pincel da Ecotools, o Duo 1245, que eu tenho há anos. Ele é um pincel esfumador em uma extremidade e tem um apontador de lápis na outra. Esse pincel é muito útil para quem usa lápis de olhos. Eu uso todos os dias para esfumar o traçado do lápis e deixar mais suave e menos marcado. Ele também pode ser usado para aplicar e esfumar sombras escuras no cantinho externo dos olhos. Preço médio: R$15,00    

Eu e algumas pessoas recebemos o pincel com pente e escovinha, o 1205 da Ecotools. Me foi dito que a Ecotools não conseguiu suprir a demanda pelos pincéis Duo e esse veio no lugar. O pente serve para separar os cílios em caso de máscara que acumula. Já a escovinha é usada para escovar a sobrancelha. Eu costumo usar para fazer a sobrancelha (aparar e preencher). Acredito que é o tipo de pincel que a maioria das pessoas já possui, porque ele costuma vir em vários kits. Esse é o meu terceiro pincel de escovinha!    


Vieram 2 esmaltes da Océane Femme que foram lançados há poucos dias. Eu escolhi a cor Chloe, que é um nude escuro/rosa queimado. É uma cor moderna que foge do óbvio. A outra cor, a Passion (vermelho), foi escolhida pela maioria das seguidoras da página no Facebook e é um vermelho aberto. As duas ficam bonitas nas unhas. Ambas possuem textura cremosa, sem brilho e tem longa duração.
Esses esmaltes não contém carmine (CI 75470). Além disso, para quem sofre de alergia, a base é 5 free, ou seja, livre de Tolueno, Formaldeído, Parabeno, DBP e Cânfora. Preço médio: R$10,00 cada. 
                 

O outro produto é o sabonete em barra super fofo da Feito Brasil, da linha "Ame o seu amor". A marca é inteiramente vegana! Esse sabonete faz bastante espuma e tem um perfume suave. 

Preço médio: R$15,00


E por último, o lip balm da Cativa Natureza. Ele contém apenas ingredientes naturais e 90% de ingredientes orgânicos. A textura é bem líquida e escorre fácil. Ele não é um bálsamo para lábios muito potente, mas ajuda na hidratação no dia a dia. No início eu apertava a bisnaga e saía muita quantidade. Eu também percebia que tinham algumas partículas, mas não consegui identificar o que era. A forma que eu adaptei foi aplicar sem apertar a bisnaga, somente encostando ele no lábio. Dessa forma não sai muito. Estou usando ele há alguns dias e lip balms são sempre bem vindos, mas não gostei tanto e vi que outras pessoas também não se adaptaram à textura líquida. Eu tinha sugerido o lip balm da Surya, que é um dos meus preferidos e espero que ele venha nas próximas.
Preço: R$16,00.

Já está disponível no site a compra das próximas Veggie Box. O valor mensal é de R$69,90 mais o frete. A assinatura trimestral custa R$189,90.

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Protetor solar corporal em spray - Flores e Vegetais


Nessas últimas semanas eu andei testando o protetor solar da Flores e Vegetais com FPS 30 para tomar sol na praia. Confesso que achei super difícil encontrar aqui em BH um protetor solar em spray vegano e que não fosse um óleo melequento como os da Sol de Janeiro (que são veganos). Eu até uso bronzeador em óleo (#soudessas), mas nesse calor que tem feito, só de lembrar da pele do corpo oleosa me dava mal estar.

Não encontrei nenhum protetor solar barato e vegano em farmácia/perfumaria daqui de BH nem do Rio, então comprei este na loja Magia dos Cosméticos por R$36 para aproveitar o frete com outros produtos e a entrega foi super rápida. Vende online também na loja virtual da empresa pelo mesmo preço e entrega em todo o Brasil. Em São Paulo é muito fácil de encontrar em lojas físicas (Ikesaki, Sumirê etc).

Quanto à alegação no rótulo: "toque seco / não oleoso e rápida absorção", não achei que a pele fica totalmente seca, mas também não deixa melequenta como a maioria dos que eu já testei. Ele é absorvido rapidamente, não deixa resíduo esbranquiçado e o perfume é suave e agradável.

Escolhi o protetor em spray pelas vantagens de ter a consistência não cremosa/oleosa, de ter jato geladinho e de permitir que o produto espalhe em uma região maior do corpo. Ainda assim é preciso aplicar bastante e espalhar.

Eu gostei muito deste protetor solar e achei um ótimo custo-benefício. Consegui me bronzear e não fiquei vermelha nem ardendo (\o/). Para quem for muito branca, além do FPS 30, tem também o fator de proteção 50.



Obs: Este protetor solar em spray não contém nenhum ingrediente que possa ser de origem animal, de acordo com as minhas pesquisas. Há também uma outra versão de protetor solar em creme para o corpo e rosto da Flores e Vegetais e já ouvi dizer que são bons. Eles também são veganos.

Dica da leitora Graziela Fogaça:




Resposta do SAC da Flores e Vegetais:

"1) A Flores & Vegetais NÃO testa os seus produtos em animais. Nossos testes são realizados in vitro ou in vivo (em seres humanos).

2) Alguns de nossos produtos utilizam certas matérias-primas de origem animal, como por exemplo o Colágeno e Elastina e Queratina.
Para todas as matérias-primas de origem animal utilizadas, estamos estudando e buscando alternativas no mercado para a futura substituição das mesmas. Isto pois a Flores & Vegetais não só se preocupa com a satisfação e bem-estar dos nossos consumidores, como também com o compromisso ambiental e sustentável.
Porém, é importante citar que a maior parte de nossas matérias-primas são de origem vegetal. Veja abaixo alguns exemplos:
- Cocoamido propil betaína (Betaína)
- Glicerina Vegetal
- Dietanolamina de ácido graxo (Amida)
- Lauryl Glucoside (derivado do milho)
- Microesferas de Apricot (semente de damasco)
- Argila branca
- Óleo Mineral
- Extratos vegetais: Copaíba, Rosas Brancas, Amêndoas, Aveia, Lavanda, Camomila, Melancia, Vanilla, Morango, Pera, Pêssego, Argan, Centáurea, Nogueira, Soja, Urtiga, Lúpulo, Jaborandi, Arnica, Alecrim, Erva-doce, Pepino, Abacate, Trigo, Aloe Vera,Prímula, Oliva, Hamamelis, Romã, Melscreen Black.
Entre outros.


3) Produtos que levam ingrediente de origem animal:
- Colágeno e Elastina: - Loção de Hidratação Colágeno e Elastina; - Linha Capilar Colágeno e Romã.
- Queratina: - Quase todos os produtos da linha capilar,
exceto: Linha para pele e Sabonete Líquido, Shampoos Urtiga & Lúpulo, Cabelos Grisalhos e Antiqueda Sete Ervas.

4) a linha de autobronzeadores não levam produtos de origem animal."