quarta-feira, 30 de abril de 2014

Produtos anti-idade veganos

Como muitas me perguntam sobre produtos anti-rugas veganos, resolvi montar uma listinha com algumas opções nacionais. Em um outro post, farei com importados. 

Eu tenho a impressão de que boa parte dos testes em animais realizados no Brasil para fins cosméticos são feitos em produtos desse tipo (dermocosméticos), já que há uma demanda alta e ainda não se tem muita certeza de ingredientes que funcionam efetivamente para diminuir e amenizar a aparência de rugas. Além disso, eles possuem registro grau 2 na Anvisa, ou seja, são classificados como cosméticos, porém precisam de comprovação científica de seus efeitos e segurança. Eles são produtos intermediários entre medicamentos e cosméticos. Muitos deles podem ser testados em animais, como é o caso da Vichy e La Roche-Posay (do grupo L’Oréal), RóC (da Johnson), Eucerin (da Aché) etc.

Com exceção do anti-aging da Ikove, ainda não testei nenhum destes da lista e infelizmente não sei se são bons para qual tipo de pele e/ou se fazem efeitos significativos. Como os preços desse tipo de produto costumam ser mais altos, recomendo dar uma analisada em várias resenhas.


- Ikove: Serum Facial Anti-Aging Açaí (R$87). Minha mãe tem usado ele, mas segundo palavras dela: "é bom, mas não é maravilhoso". Eu achei muito oleoso para minha pele (e encheu de cravos) e o cheiro não é dos melhores.

- Weleda: Serum firmador de romã (R$136) | Creme firmador de romã para o dia (R$109) | Creme firmador de romã para a noite (R$114,90)Creme Firmador de Romã para a Região dos Olhos (R$109,90)
*Para saber quais produtos da Weleda são veganos clique aqui.

- Cativa Natureza: Serum Facial Maria da Selva com Artemísia, Oliva e Mulateiro (R$43)

- Granado: Loção facial Hidra C (R$80)

- Dermage: Improve C 20 (R$153,80)
* Nem todo produto da Dermage é vegano.

- Alva: Creme 24 horas (R$163,81)

- Multivegetal: Creme Facial Frutas e Ervas (R$38)


Alguém já usou algum desses? Conhece um anti-aging vegano bacana?

domingo, 27 de abril de 2014

Resenha: Linha Amazônia Preciosa de Buriti da Surya


A loja do Vista-se fez uma promoção de 50% com os produtos da Surya e eu aproveitei para comprar os shampoos da linha Fixação da Cor, que adoro, e o shampoo e a máscara da linha Amazônia Preciosa para testar. Parte da renda com as vendas desses produtos da Surya foi direcionada à ONG Veddas.

O shampoo custou R$19,90 e contém 300 ml. A máscara tem 120 g e custou R$14,90. O preço estava mais baixo porque a validade acaba em Julho/2014. Além disso o rótulo está em francês.

A linha Amazônia Preciosa é considerada "premium" pela marca, já que possui composição natural e certificação Ecocert de produto orgânico. Além disso, tem o selinho de certificação Vegan, garantindo que o produto não possui ingredientes de origem animal e nem passou por testes em animais.

O cheiro de ambos os produtos é suave, bem natureba mesmo e agradável. A textura é em gel e a cor amarelada remete à um produto que passou por poucos processos químicos.

Textura da máscara e do shampoo


Ingredientes ativos:

- Óleo de Buriti (Mauritia flexuosa). O óleo é rico em ácidos graxos essenciais e carotenoides. É rico em vitaminas E, C e tem a mais rica fonte natural de pró-vitamina A disponível. (Fonte). Possui ação hidratante e antioxidante. Filtra e absorve os raios ultravioleta, por isso é considerado um protetor solar.

- Óleo Essencial de Preciosa (Aniba canelilla). É extraído da casca de uma planta nativa da Amazônia e possui aroma similar ao de canela.

- Extrato de Cumaru (Dipterix Odorata). A semente é conhecida pelo nome de "Tonka Bean" e confere perfume similar ao de baunilha, sendo muito usado na indústria de perfumes.

- O shampoo:
O shampoo de Buriti é indicado para cabelos tingidos e danificados, já que possui proteção solar e propriedades hidratantes. Os resultados no meu cabelo foram satisfatórios, lavou direitinho e deixou o cabelo macio, hidratado e sem ressecar. Não faz muita espuma, mas espalha bem. Eu tenho a raiz do cabelo oleosa e as pontas danificadas, achei que lavou bem a raiz e deu um brilho bonito.

A forma que eu uso e indico para quem queira economizar $$ é diluir o shampoo em água. Na hora do banho, uso 2-3 pumps para uns 15 ml de água, agito o potinho e aplico no cabelo. Faça essa mistura somente na hora de lavar o cabelo na quantidade que for usar!

Eu não compraria novamente por causa do preço normal fora do desconto (~R$40). Acho que a proposta do shampoo é super bacana, mas não consideraria pagar tanto por um shampoo com pouco ingredientes reparadores. Antes eu vinha usando o shampoo da linha Fixação da Cor, que custou cerca de R$7 na promoção e considero o melhor custo benefício em termos de shampoo vegano.


- A máscara:
A minha primeira impressão com a máscara não foi a melhor. Ela tem textura de uma pasta e ao aplicar, sinto que o cabelo absorve todo o produto, mas não amolece imediatamente. Dessa forma, a tendência é sempre usar mais que o necessário, na tentativa de fazer o cabelo desembaraçar e ficar mais macio. Como tenho o cabelo comprido, liso e fino, embaraça com muita facilidade. E a máscara demora a fazer efeito.

De acordo com as instruções, para potencializar os efeitos, deve-se usar uma touca térmica e aguardar 15 minutos antes de enxaguar. Eu usei uma touca de alumínio e passei o secador com ar quente por uns 2 minutos e aguardei 15 minutos. Depois de enxaguar, percebi que o cabelo ficou mais brilhoso e cheiroso que o normal, mas não senti o efeito de reparação.

Confesso que não é sempre que tenho paciência de esperar 15 minutos com uma touca térmica. Eu prefiro produtos mais práticos.

Usei a máscara por algumas semanas e infelizmente não foi capaz de reparar as pontas danificadas por descoloração e tintura.


O condicionador eu já tinha experimentado antes e, por achar ele muito fraco em termos de composição e pouco emoliente, não comprei.

Se você procura por produtos naturais, não tem o cabelo detonado e faz questão de usar orgânicos, esses podem ser boas opções veganas, apesar de existirem outros similares com preços mais em conta. Outra dica é comprar o óleo de Buriti puro (e orgânico de preferência) e fazer umectação no cabelo, usar misturado a uma outra máscara etc.

Particularmente, eu prefiro a máscara da linha Fixação da Cor, tanto por hidratar melhor o cabelo, como pelo preço amigo (~R$15).

Gosto muito de alguns produtos da Surya, mas infelizmente eu não me adaptei a essa linha.

Certificação vegan!

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Lush lançará loja no Brasil

Após ter fechado as portas no Brasil em 2007, a Lush retorna ao Brasil com uma loja e um spa no bairro Jardins em São Paulo, com previsão de lançamento no primeiro semestre deste ano. Além da loja física, também será possível comprar pela loja virtual. É esperado que no futuro mais lojas sejam lançadas em outras cidades.

A Lush é bastante conhecida por fazer campanhas contra testes em animais na Inglaterra e se recusa a vender na China devido à obrigatoriedade dos testes por lá. Além disso, a Lush também já promoveu campanhas a favor dos direitos LGBT.



A marca utiliza muitos ingredientes naturais e orgânicos, e vários produtos são veganos, com direito a indicação no site e no rótulo. A linha de maquiagem é toda vegana e quase todos os perfumes são veganos! Eu sou fã do perfume Vanillary!

"Vezinho": este produto não contém  nenhum ingrediente de origem animal. Site da Lush/US

Um dos diferenciais da marca é que os produtos são feitos artesanalmente, contendo no rótulo de cada produto a data e a pessoa que foi responsável por fabricá-lo. Muito legal, né?


Reprodução/Facebook

Eu já comprava pelo site da Lush na Inglaterra (que entrega no Brasil), mas devido aos prazos e taxas, confesso que me desanimava. Espero que as lojas deem certo por aqui e que os preços sejam convidativos.

Endereço: Rua da Consolação, 3459 Jardins - São Paulo - SP 

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Sandália Lótus da Vegano Shoes


Eu já comentei sobre a Vegano Shoes nesse post e expliquei os motivos de eu gostar tanto da marca e porque tento prestigiá-los sempre que possível. Meu namorado também é fã da trekking/hiking boots Braquiossauro. Ele usou uma da Timberland (que é feita de couro bovino) por anos até rasgar e ficou muito feliz de achar uma botinha substituta vegana e nacional.

Recentemente eu fiz umas comprinhas na Vegano Shoes e eles me mandaram de presente essa sandália linda, a Lótus! Acho legal eles investirem em designs mais modernos e séquicis!

A sandália Lótus tem salto de 10 cm, é muito confortável e não machucou meu pé.

Por ter bastante brilho e tiras douradas, dá para usar em festas de formaturas, casamentos e baladinhas.


Ela tá na promoção por R$69,90, mas normalmente o preço é R$129,90.

Quem possui o cartão de sócio do Vista-se ganha mais 10% de desconto.
Obs: por algum motivo, quando digitamos o código de desconto, dá erro no navegador do Google Chrome. Segundo resposta do SAC, outros navegadores funcionam ok (Firefox, IE etc).



Eu mostrei no meu Instagram a foto da sapatilha de bolinhas vermelhas da Vegano Shoes, simplesmente fofa!

sábado, 12 de abril de 2014

Compras na Zona Cerealista Online


Quem é de São Paulo provavelmente já deve conhecer a Zona Cerealista. Lá é como se fosse o Mercado Central aqui de BH, onde é possível encontrar uma grande variedade de grãos, cereais, especiarias, chás, produtos naturais etc sendo vendidos a granel e a preços mais baixos.

Existe uma loja virtual, a Zona Cerealista online, que faz entrega para todo o Brasil através de e-sedex (preços acessíveis e entrega expressa). É possível comprar proteína isolada de soja, sementes de chia, quinoa, oleaginosas, chás e farinhas por um preço bem abaixo do que vemos por aí.

Antigamente eu comprava esse tipo de coisa no Mercado Central. No entanto, deixei de ir lá devido às péssimas condições em que os animais vivos são comercializados na ala dos animais, que fica próximo à ala dos alimentos (dá até para ouvi-los e é deprimente), além dos preços caros que vem sendo cobrados dos produtos. Sem contar no valor abusivo do estacionamento, R$10 a hora, independente do quanto se gasta!

Gostei muito dos prazos de entrega da ZC e, na verdade, eu fiquei surpresa de receber uma encomenda no dia seguinte ao da compra!

Dessa vez eu comprei proteína isolada de soja (90% de teor proteico) a R$8 por 200g, chá verde e de hibisco desidratado, farinha de glúten e oleaginosas. O total não passou de R$60 e o frete foi R$12. Eu estava pagando R$36 por 300g de proteína isolada de soja da Integral Médica (Super Proteinato de Cálcio 90).

As minhas impressões sobre a proteína isolada de soja da ZC são: ela é facilmente dissolvida em água, não forma pelotinhas, tem um gosto forte (amargo, já que é 90% de proteína e praticamente 0 gordura e baixo teor de carboidrato - 10%), fica bem densa quando dissolvida em água e é um pouco mais difícil de beber quando comparada às PIS (proteína isolada de soja) que eu tomo normalmente (Integral Médica, DNA, Jarrow etc), já que essas possuem aroma de baunilha, chocolate etc. Essa da ZC é pura, por isso não tem nenhum aditivo nem sabor pra disfarçar. Daí num shake após a musculação, por exemplo, eu coloco dextrose e se tiver difícil de tomar, coloco uma colher de melado, que já adoçam e fica mais "tomável" (não precisa tampar o nariz e virar hehe).

Então fica a dica de PIS, principalmente para os que acham que é caro ser vegano. Quem não tem acesso à esses produtos e mora em cidade do interior, a internet está aí para facilitar a vida.

Falei mais sobre PIS nesse post e sobre a soja aqui.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Resenha | blush Peachy Keen da Elf


O blush Peachy Keen da E.l.f. é um dos meus preferidos e há tempos eu queria mostrar ele aqui. Por ser clarinho e muito discreto, eu o considero uma ótima opção de blush para ser usado no dia a dia. Ele também é ideal para ser usado com batons escuros.

A cor é bege/nude com tom pêssego e shimmer dourado discreto. Em peles mais claras, dá uma aparência muito natural na pele. Ou seja, não espere uma pigmentação alta. Em cima de um bronzer, ele dá um glow e uma acentuada muito interessante.

Há alguns anos eu comprei um blush mineralize da Mac, o Warm Soul, e ele virou o meu blush preferido. Agora que a MAC testa em animais, o Peachy Keen da Elf virou uma substituição vegana perfeita. Eles tem mais ou menos a mesma duração na pele, tem cores parecidas e o mesmo shimmer douradinho. O blush da Elf é vegano e custa umas 5 vezes mais barato. O da Mac é um pouco mais pigmentado e tem maior cintilância (apesar de não parecer pelo swatch).


Warm Soul x Peachy Keen

Ingredientes: Talc, Mica, Nylon-12, Magnesium Stearate, Silica, Paraffinium Liquidum (Mineral Oil), Polybutene, Sodium Dehydroacetate, Iron Oxides (CI 77491 , CI 77492 , CI 77499), Manganese Violet (CI 77742), Mica (CI 77019), Titanium Dioxide (CI 77891), Yellow No.5 Lake (CI 19140), Red No.40 Lake (CI 16035), Ultramarine Violet (CI 77077), Blue No.1 Lake (CI 42090).

Preço: paguei US$4 dólares na Beauty Joint. Mas é possível encontrar em lojinhas virtuais brasileiras por aproximadamente R$20-25.


Pertence à linha Studio e vem 4,75g

Para mais comparações de marcas e indicações de genéricos, veja os posts aqui.

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Inspiração | Tatuagens



 
















Segundo o site Tatuaria São Paulo, segue a lista de 10 marcas de tintas veganas, isentas de glicerina de origem animal e ossos de animais (black bones):

Classic Colour Systems:
www.classiccolorsystems.com/home.htm

Dermaglo:
www.tattooingsupplies.co.uk/ 

Eternal Inks:
www.eternalinks.co.uk/index

Intenze
http://intenzetattooink.com/

SilverBack Ink:
www.silverbackink.com/

Skin Candy – Bloodline and Skin Candy ranges:
skincandytattoosupply.com/

Stable Colour:
www.stablecolor.com/

Waverly Colorhttp:
www.waverlycolor.com/

Solid Ink
http://thesolidink.com/

Electric Ink
http://electricink.com.br/

Cuidados pós tatuagem:
http://www.verdeflorcosmeticos.com.br/

Imagens: grupo e página do Facebook Vegan Tattoo e Vegan Tattoos, Made Mistakes, Vegan-Tattoo

O anti-vegano e as mentiras



Em homenagem ao dia 1º de abril, farei um post dedicado aos reis da mentira: os anti-veganos.

Antes de definir o que são os anti-veganos, é importante notar que existem dois tipos de pessoas que costumam combater o veganismo: o ingênuo e o anti-vegano.

O ingênuo é aquele sujeito que vai levando a vida sem pensar muito nas suas ações, vai fazendo o que todo mundo faz, acha certo o que todo mundo acha certo, acha errado o que todo mundo acha errado, e vai empurrando a vida de acordo com as suas conveniências. Nós crescemos e fazemos parte de uma sociedade obcecada por carne e laticínios, na qual o veganismo ainda não é muito conhecido. Nem todos tem conhecimento do quanto cada refeição contribui para causar danos aos animais e esse texto não é direcionado a essas pessoas. Eventualmente, o ingênuo é levado a pensar sobre direitos dos animais, talvez por ver um programa na TV ou por participar de uma discussão com os amigos, na net, etc. Por ter pensado em veganismo por no máximo 5 minutos na vida, o ingênuo se satisfaz com respostas superficiais e igualmente ingênuas, como "se leões matam, por que eu também não poderia?", "é a cadeia alimentar", "mas e as crianças passando fome? Preocupe-se com elas primeiro!", "Deus fez os animais para nos servir", etc. Percebam que o ingênuo usa sem cerimônia argumentos péssimos como esses apenas por um motivo: é um ingênuo!

Já o anti-vegano (também conhecido por alfacista ou carnista) é aquela pessoa que quando descobre que você é vegano, vegetariano e protetor dos animais, faz de tudo para tentar te mostrar que você é um bobinho ingênuo, sua vida é uma ilusão e todo o seu esforço é em vão, porque para ele as coisas devem continuar do jeito que estão e os veganos são uma pedra no sapato que precisa ser eliminada. Eliminada, humilhada, ridicularizada. O anti-vegano é um reaça de carteirinha, e como todo reaça que se preze, não tem nenhuma vergonha em ser falso, mentiroso, arrogante e cínico.

O anti-vegano não é ingênuo. Ele se informa sobre veganismo, entra em blogs anti-veganos, discute sobre veganismo ativamente, compartilha posts anti-veganos nas redes sociais, posta vídeos anti-veganos no youtube, tenta convencer os amigos e familiares que os veganos não passam de uns iludidos, entram em blogs veganos para trollar etc. O anti-vegano é quase um ativista, só que ao contrário. De ingênuos eles não tem nada.


Caso encontre um vegano bem informado pela frente, o anti-vegano pula de argumento em argumento durante o debate achando que descobriu a roda em cada um deles, passando por questionamentos como cadeia alimentar, proteínas, vida natural, hipocrisia e direitos das alfaces. A cada argumento que você desbanca, ele aparece com mais um "infalível", sem correlação nenhuma com o argumento anterior, e sem a mínima vergonha de ter falado besteira no argumento anterior. O anti-vegano usa a regra do "se colar, colou". Vai soltando argumentos completamente desconectados entre si na tentativa de, quem sabe em algum deles, deixar o vegano sem resposta. Aí ele ri ironicamente, enche o peito com ar de superioridade, e se dá por satisfeito. Dever cumprido. Venceu o vegano.

A quantidade de achismos e argumentos infundados é de dar inveja a mentirosos compulsivos. Eles são capazes de defender absurdos para não darem o braço a torcer. Começam dizendo, por exemplo, que a proteína animal é essencial à saúde humana e os animais precisam morrer para nos servir de alimento. Eles não são nutricionistas e estudiosos no assunto, mas querem te provar que seu veganismo é perigoso a saúde, assim ele pode comer carne até se entupir com a consciência tranquila. Tão logo você prova que a proteína animal não é necessária, de nutricionista ele passa para biólogo e aparece com o argumento da senciência das plantas. Segundo essas pessoas, é claro que as plantas sentem dor e sofrem. Se você come vegetais, causa sofrimento a eles, logo, o coerente é comer animais também, já que o saldo de sofrimento é o mesmo. Além de não existir lógica nessa argumentação, também não existem evidências para o que ele defende. Se nenhum desses argumentos colar, ele imediatamente pula para "sabia que a soja destrói a Amazônia?" ou qualquer outra besteira. O objetivo é vencer o debate. 

Como se não bastasse, o anti-vegano, além de PhD em biologia e nutrição, também acha que tem conhecimento em economia e é dotado de clarividência. Ele é capaz de afirmar que o sistema jamais irá mudar, mas caso o número de veganos aumente, os animais continuarão sofrendo e morrendo da mesma forma. Segundo o gênio, o número de animais abatidos continuará o mesmo proporcionalmente, já que os produtores irão preferir jogar a carne no lixo do que produzir menos. Eternamente. Acreditem , eu ouvi essa nesse domingo.... É de doer! Quando todos os argumentos são devidamente refutados, começa o festival de desculpas esfarrapadas e tentativas desesperadas de ganhar a discussão. Olham pro seu sapato, na tentativa de mostrar que é de couro, dizem que sua maquiagem é testada em animais, perguntam sobre as criancinhas que passam fome, falam que Hitler é vegetariano e mais outras afirmações infundadas.

Quando tudo falha, o anti-vegano diz que ética é arbitrária, que não existe certo e errado, o que existe são escolhas pessoais e vem com esse papinho de relativismo moral na tentativa de se justificar (e de te deixar sem resposta, claro). Aí quando você pergunta se o relativismo moral se aplica também a situações como escravidão, pedofilia, machismo e estupro em geral, o anti-vegano diz, sem um pingo de vegonha na cara "sim, não vejo problema em pedofilia. Eu acho errado, eu não faria, mas há sociedades onde isso é aceito e pra mim tudo bem". O anti-vegano não tem nenhum compromisso com lógica, honestidade intelectual, com a verdade. Ele fala a maior das mentiras se for necessário, defende o absurdo dos absurdos, apenas para não dar o braço a torcer e ganhar do vegano no debate.

Isso me frustra profundamente. Os carnistas são capazes de discutir com a calma de um monge budista contra o veganismo, como se o sofrimento dos animais fosse apenas teórico e inventado por veganos, como se o dano causado pela pecuária ao meio ambiente fosse hipotético. Eles riem e debocham quando veganos se emocionam com o sofrimento dos animais. Quando você tem conhecimento e admite que animais sencientes estão sofrendo a todo instante e que isso poderia acabar já, bastando as pessoas se preocuparem o suficiente, é difícil não discutir com veemência e um senso de urgência. E é revoltante ter esse sentimento ridicularizado porque outras pessoas estão apenas interessadas em ganhar uma discussão e satisfazer seus próprios desejos, custe o que custar.

Eu arriscaria dizer que alguns deles possuem um complexo de culpa. Apesar de saberem que são responsáveis por contribuírem para os impactos causados aos animais, ao meio ambiente e à saúde, não querem ser lembrados disso. Não querem e odeiam quando são, por isso nos odeiam tanto.

Eu poderia estender esse texto aos anti-feministas, anti-homossexuais, racistas, religiosos extremistas e reaças em geral, já que a proposta é a mesma. Eles estão no mesmo patamar de evolução. Essas pessoas falarão qualquer coisa para não admitirem que o correto é abrir mão da posição de conforto e privilégios em que vivem, para tentar mudar o mundo pra melhor.

Mudança é geralmente algo desconfortável para a maioria das pessoas. Sair da condição de explorador e abrir mão de certas coisas é ainda mais desconfortável. Para a maioria das pessoas, questionar crenças com as quais você cresceu e as escolhas que você fez durante toda a sua vida é algo muito grande para assumir. Algumas pessoas precisam de certo tempo e, infelizmente, outras pessoas sofreram tanta lavagem cerebral que elas nunca vão estar prontas para te ouvir.


Respostas curtas e diretas aos diversos questionamentos na aba "FAQ Veganismo".