sábado, 31 de agosto de 2013

Receita: Sorvete vegano à base de banana com morango


É inacreditável como a banana quando congelada e batida no liquidificador tem a consistência cremosa de sorvete. Fica sensacional!

Essa sobremesa é excelente para saciar desejos incontroláveis por doces. Quer coisa melhor pra saciar o desejo por doce comendo um sorvete feito só com fruta e sem açúcar?

E a pergunta que fica é: por que eu não descobri isso antes?

Os ingredientes são:

  • 3 bananas maduras congeladas e picadas
  • 1 xícara de morangos lavados
  • 1 lasquinha de baunilha ou 1/2 colher de extrato ou essência de baunilha 
  • 1 pitadinha de canela em pó

Os morangos não precisam estar congelados, só as bananas.

Bata as bananas no liquidificador até ficar uma consistência cremosa e acrescente os demais ingredientes. Bata no liquidificador ou no processador até que não haja mais pedacinhos de frutas. Se tiver muito difícil de bater no seu liquidificador, pode acrescentar um pouquinho de leite vegetal ou água.

Banana congelada batida no liquidificador. Fica super cremosa!

Sorvetinho sem culpa!

Neste vídeo abaixo tem outra variação deliciosa usando a base de banana com cacau e leite de amêndoas do Vegan Zombie:



quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Cronograma capilar com máscaras veganas

Há pouco tempo comecei a me interessar em cuidar e procurar por produtos que realmente tratam dos cabelos. Comecei a fazer o método de cronograma capilar e me dei muito bem com ele. É basicamente o revezamento de 3 tipos de produtos: produtos para hidratação (repor umidade), produtos para nutrição (repor lipídios) e produtos para reconstrução (repor proteínas).

Cada um deve adequar a frequência de uso dos produtos e os dias ideais da semana. Falando um pouco do meu cronograma, por exemplo, em uma semana uso uma máscara de hidratação na segunda-feira e na quinta durmo com um óleo no cabelo (para lavar na manhã seguinte). No sábado uso também a máscara de hidratação. Na outra semana faço o mesmo processo, mas uso um produto reconstrutor no sábado, por exemplo. E assim por diante. Tem muita informação sobre isso na internet. Outra coisa que melhorou muito foi parar de lavar o cabelo todos os dias e lavar dia sim, dia não. Senti uma diferença enorme! No começo foi difícil acostumar, mas vale a pena.

Vou deixar umas sugestões de máscaras veganas e produtos para os passos do cronograma. Os critérios que considerei para incluí-los como veganos foram as respostas dos SACs das empresas ou a indicação de vegano (ou sem ingredientes de origem animal), no próprio rótulo.


Hidratação - Ingredientes principais: glicerina vegetal, babosa (aloe vera), d-pantenol de origem vegetal, vitaminas e extratos vegetais 

  • Máscara Pós Progressiva da Bioextratus (contém queratina vegetal e pode fazer uma hidratação reparadora e até reconstrutora, dependendo do estado do cabelo)
  • Máscara Tânagra Health Hair Reparação Total
  • Máscara Hidratação Intensiva com colágeno vegetal da Acquaflora
  • Creme Yamasterol com aloe vera e d-pantenol 
  • Máscara Eco Therapy para cabelos secos da Amend 
  • Máscara Phytoervas SOS Restauração
  • Máscara Hidratante da Lunablu
  • Glicerina vegetal (basta acrescentar 1 colher para batizar qualquer máscara). Só misture a quantidade que for usar e separadamente.


Nutrição - ingredientes principais: óleos e manteigas vegetais como argan, coco, azeite, rosa mosqueta, karité, cupuaçu, buriti etc.

  • Óleo de Argan puro da By Samia
  • Máscara Botanique da Vizcaya
  • Óleo de Coco puro virgem Dr. Orgânico
  • Máscara Surya Fixação da Cor
  • Máscara Health Hair óleo de argan da Tânagra
  • Máscara Amazônia Preciosa para cabelos tingidos da Surya
  • Manteiga Capilar da Cativa
  • Óleo de Abacate da Bioessência

Reconstrução - ingredientes principais: queratina vegetal - proteínas do trigo, milho, soja ou arroz e aminoácidos vegetais: cistine, glutamic acid, serine, arginine, lysine, threonine, proline, alanine etc.

  • Máscara Reconstrutora Lunablu
  • Máscara Brazilian Keratin da Nunaat
  • Máscara Bio V Queratina da Vita Derm
  • Carga Proteica da Utopia
  • Reconstructor da Giovanni (Resenha aqui)
  • Máscara de Shitake da Bioextratus
  • Reconstrutor da Zerran
  • Spray Keravit da Bio Extratus
  • Paul Mitchell Color Care Reconstructive Treatment
  • Máscara Kera Max da Skafe
  • Queratina líquida obtida a partir de cabelo humano da Mapric (aqui)

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Resenha: Shampoo de Argan da Multivegetal




Vou falar das minhas impressões sobre o shampoo da Multivegetal de Argan que venho usando há algumas semanas. 

Para quem não conhece, a Multivegetal é uma marca totalmente vegana e voltada para o segmento de cosméticos naturais, mas não é orgânica. As fórmulas dos produtos são livres de lauril sulfatos, parabenos, etanolaminas, corantes, fragrâncias artificiais, polímeros sintéticos, produtos derivados de petróleo ou de origem animal.

Segundo o site, o shampoo de argan: limpa, hidrata e nutre cabelos secos ou ressecados, especialmente os crespos e encaracolados. Contém óleo de argan, seiva de aloe e extrato de hibisco. O preço é R$23,00 e quem tem o cartão do Vista-se (super recomendo) ganha desconto de 15%. O frete fica bem em conta, principalmente se levar mais produtos. 

Já experimentei a linha para cabelos claros e a linha de aloe da Multivegetal. O shampoo para cabelos claros foi um desastre, ressecou demais o meu cabelo!! Já o condicionador da mesma linha, é maravilhoso. É muito emoliente e tem um cheirinho bom, é desses que derretem o cabelo. Com a linha de aloe eu gostei do shampoo, mas não achei o condicionador tããão bom como o outro. 

Apesar de não ter cabelo cacheado, tenho cabelo ressecado e escolhi essa linha por ter a formulação mais suave e hidratante.

Confesso que o cheiro dos produtos da Multivegetal não é dos mais agradáveis, e com esse shampoo não é diferente. Mas o cheiro também não chega a ser ruim. Vi que a fórmula leva baunilha, mas não senti cheiro de baunilha não. Tem cheiro de babosa e extratos vegetais fortes, mas não fixa no cabelo depois de seco.

A aplicação do shampoo é bem complicada e chata. Ele tem baixa viscosidade, é ralinho. Por ser sem sulfato, não faz muita espuma e dá a impressão que não espalha direito. Daí a tendência é aplicar mais e mais. Mas contornei esse problema de desperdício diluindo uma parte de shampoo para uma parte de água em um potinho. Aliás, essa é uma boa forma de economizar produto, não só com shampoos sem sulfato. 

O resultado depois de seco e com o uso de um condicionador foi muito satisfatório! O cabelo ficou muito brilhoso na raiz, macio e hidratado. Eu também senti uma sensação de limpeza no couro cabeludo.



domingo, 25 de agosto de 2013

Mudança de nome!

Pessoal,

Resolvi mudar o nome do blog de "Vegana e Linda" para "Beleza Vegan".

Desculpem qualquer transtorno e espero que gostem do novo nome! Sim, isso é horrível, pois parte da identidade se foi, mas é claro que a mudança sempre visa uma melhoria futura.

Recebo sempre e-mails de veganos homens pedindo dicas e achei que o título do blog estava excludente!

Obs: a página do Facebook continuará com o mesmo nome por um tempinho até poder ser modificada.

Agradeço a compreensão e peço desculpas pelo inconveniente. =)


sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Misto quente vegano





Confesso que não tenho capacidade de elaborar receitas, mas de vez em quando eu tenho algumas ideias de lanches. Dessa vez eu usei um pão de forma integral 16 grãos com Mandiokejo (que fica com a textura parecida com a de muçarela) e um presunto defumado da Goshen.

Nem todos os produtos da Goshen são veganos. Quando algum produto é vegano, vem escrito "sem lactose e ovo", como é o caso desse presunto. Além do presunto defumado, o kibe, a nata de soja e o rolinho de soja são isentos de leite e ovos.

Para fazer o Mandiokejo é muito simples. No rótulo tem a explicação passo a passo de como hidratá-lo. Eu acabo colocando bem menos azeite que o recomendado, por isso fica menos cremoso. Mas vai da preferência de cada um.

Coloquei pra assar na frigideira as fatias de presunto por 3 minutos. Enquanto isso, passo a pasta de mandiokejo no pão (como se fosse requeijão). Depois montei o misto quente e coloquei em uma sanduicheira.



Fica parecendo pão com pernil, mas com muito menos gordura!



Comprei o presunto Goshen no Restaurante Vegetariano San Ro em BH e custou R$11 (300 g).

O Mandiokejo é vendido neste site por R$20 (500 g rende até 3 kg depois de hidratado).

Informação nutricional:

Presunto Defumado Goshen
Ingredientes: Proteína texturizada de soja, água, extrato de soja, glúten, óleo de soja, polvilho doce, amido de milho, farinha de trigo, açúcar, sal, umectante sorbitol, shoyu, aroma natural, condimento para presunto defumado. Contém Glúten.



















Mandiokejo
Os ingredientes são: mandioquinha desidratada, fécula de mandioca, feijão branco em pó, sal marinho e ácido cítrico, além das vitaminas.


quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Paleta de sombras da Wet n Wild - Walking on Eggshells


Preço: US$4

Há muito tempo eu queria experimentar as paletinhas da Wet n Wild e desde que comprei o trio Walking on Eggshells (380B), venho usando bastante. As cores são muito usáveis por serem neutras e é muito fácil de aplicar.

Li várias resenhas das sombras da Wet n Wild e é tudo mesmo o que falam sobre elas! São muito pigmentadas, tem boa duração e são fáceis de esfumar. A única coisa que não gostei é que esfarelam! Uma dica para o problema de esfarelar é usar com um pincel úmido.

A embalagem é bem fraquinha, não dá pra carregar na bolsa sem correr o risco de quebrar. Mas pelo preço compensa.

Os pinceizinhos que vieram na paletinha são inúteis e já até sumiram! São muito pequenos, um é uma esponjinha e o outro tem cerdas sintéticas.

Falei aqui sobre a lista de produtos veganos da marca disponibilizada no site da Wet n Wild.


Já mostrei nesse post que essa sombra rosinha de eyelid (pálpebra) é parecidíssima com a sombra Sin da Urban Decay.

Amostra com e sem flash:



Maquiagem usando a paleta:





Produtos usados:

Rosto
Primer Bioart
Base Matte da Phebo cor Noz
Pó Alva cor Medium
Bronzer e iluminador do Kit Contour da Sleek na cor Light
Blush Hypnotize da Fyrinnae

Olhos
Primer The All Natural Face
Paleta WnW Walking on Eggshells (apliquei a rosa na pálpebra, a marrom no côncavo esfumada e a pérola no cantinho interno e abaixo da sobrancelha)
Máscara Mineral Infused da E.l.f.
Delineador em gel da Yes

Boca 
Bloom da Silk Naturals 

Inspiração na maquiagem da Adriana Lima!





quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Resenha: Base Matte da Phebo

Preço: R$76,00

Na semana passada eu estava a procura de uma base e um corretivo com cobertura maior para usar em finais de semana e quase caí pra trás com os preços dos produtos importados (graças à alta do dólar). O jeito foi encontrar alternativas nacionais. Lembrei que a Phebo tinha várias opções.

A Phebo possui uma linha de maquiagens quase toda vegana. O único ingrediente de origem animal usado em alguns produtos é a cera alba (abelha). É só ler o rótulo caso queira encontrar um produto sem o ingrediente.

Vi uma paleta de corretivos em cores beige e corretores nas cores verde ou pêssego, mas desanimei com a textura. Achei muito fina e de baixa cobertura. Não achei que cobriria espinhas e vermelhidão, por exemplo. Mas para olheiras pode ser uma boa opção. O outro corretivo contém cera alba e possui textura muito fina também.

As sombras são lindas e pigmentadas!! Mas o preço desanima: R$48,00 Achei meio sem noção...

A cor da base que escolhi comprar foi a Noz. Acredito que ela estaria entre a cor NC30 e NW25. A cor não ficou 100% para mim, mas comprei mais escura mesmo, pensando que poderá durar até o verão. E achei que é a cor mais próxima do meu ombro.

Possui textura cremosa e espessa. É difícil de espalhar, mas acredito ser devido à função do acabamento matte e da cobertura média.



Me surpreendi com a duração e com a cobertura. Segurou direitinho a oleosidade por pelo menos 6 horas. A cobertura é média e cobriu pequenas imperfeições e uniformizou a pele, mas não dispensa o uso do corretivo. Não fica uma aparência natural, como se não tivesse usando nada, não. Mas o aspecto sequinho e aveludado, além da cobertura que eu queria, atenderam às minhas expectativas. E como eu disse antes, eu prefiro essa base usar à noite. Para o dia a dia, continuo preferindo as minhas bases minerais da Lucy e da Honeybee Gardens.

A embalagem não possui tampa. Para abrir a válvula pump é só girar a parte de cima. Girando ao contrário ela fecha. Achei tão legal! Parabéns pro(a) designer!


Resultado no rosto sem corretivo nem pó:

sem flash

Com corretivo, pó e make nos olhos:

com flash

Composição:
 



terça-feira, 20 de agosto de 2013

Resultados com a Henna Surya: preto e cinza prateado



Achei importante colocar aqui os resultados da henna Surya em cabelos brancos. Alguns veganos estavam me perguntando sobre uma tintura vegana que ficasse bem em homens que quisessem cobrir os fios brancos.

Para quem não sabe, a tintura mais famosa de todas indicada para homens é a Grecin 2000 e infelizmente é testada em animais. A marca pertence à Just For Men - Unilever.

Geralmente não é toda tinta que fica bem em homem e por isso a tintura deve ser de coloração mais próxima do cabelo natural possível. O ideal é possuir tons acinzentados para que os resultados sejam os mais naturais possíveis. Mas é claro que cada um é livre para escolher a cor que achar melhor.



Sempre tive receios de que a henna Surya pudesse deixar o cabelo muito avermelhado. No entanto, conversando com uma profissional da Surya, me foi indicado o uso da mistura de cores preto e cinza prateado para que não houvesse subtons avermelhados. A mistura que usei foi 1:1 e o tempo de espera foi entre 1 hora e meia a 2 horas com o uso de uma touca de plástico que acompanha a embalagem.

Este é o resultado no cabelo do meu cobaia namorado. Ele tinha muitos fios brancos na raiz e eu queria disfarçar de forma natural:




A cobertura não foi 100% completa. Ficaram uns fios brancos. Mas isso se deve principalmente à minha falta de prática em usar henna. Tem que aplicar com uma escova e massagear bem para que a tintura fixe. Na primeira vez que apliquei (há uns 3 meses), quase não pegou. Mas tento deixar mais tempo que o indicado (que é de 1 hora).

A cor ficou muito natural e os fios brancos que não foram tingidos ajudaram a ficar com aspecto mais natural. Ele não reclamou de tons avermelhados, apesar de ter sim um pouco de reflexos avermelhados. Achei que a cor do cabelo dele ficou muito parecida com o cabelo do também vegano Anthony Kiedis:



A duração é de menos de 1 mês. Começa a desbotar bem rápido, mas a diferença da henna Surya para as outras tinturas convencionais é que a reaplicação pode ser feita sempre que necessário: semanal, quinzenal ou mensal.

E outra vantagem é que não resseca os fios. Na verdade a Surya hidrata e dá brilho, já que não possui ingredientes agressivos como as tinturas comuns.

O preço de cada caixa é em torno de R$22 e as 2 caixas (preto + cinza prateado) duram, em média, 4 retoques de raiz. 

Obs: Eu recomendo fazer teste de mecha antes de aplicar no cabelo inteiro!

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Sugestões de petiscos veganos para cães

Imagem: Flick/CC - Cathyse 97

Meus cães deixaram de comer carne, laticínios e ovos há 6 anos. Desde então as opções petiscos de comerciais ficaram um pouco restritas. Quem gosta de ensinar truques e adestrar sabe que dar petiscos é essencial. Dar pão de vez em quando tudo bem e eles adoram, mas dar sempre não é muito saudável nem nutritivo. 

Ultimamente tem sido lançados alguns petiscos veganos no mercado, mas como não são super baratos, o jeito é fazer receitinhas de petiscos saudáveis e veganos para eles. 

Receita de petisco que foi super aprovada:

- 6 colheres de sopa de farinha de trigo
- 6 colheres de sopa de farinha de trigo integral
- 4 colheres de sopa de óleo vegetal
- 2 colheres de aveia em flocos
- 2 colheres de farinha de milho ou fubá
- 1 xícara de PTS (proteína de soja texturizada) triturada no liquidificador
- 2 bananas grandes e maduras amassadas

Misturar tudo e se achar que ficou muito seco, adicionar mais farinha ou se ficou muito úmido, adicionar água. Fazer bolinhas em formato de cookies ou modelar do jeito que preferir. Assar no forno pré aquecido em um tabuleiro untado até dourar e ficar crocante.

Deixo também algumas sugestões de alimentos vegs para cães:


- Adivita (Vitaya) - Biscoito vegano, orgânico e sem aditivos químicos como conservantes, corantes e aromas artificiais. Para saber onde vende, entre em contato pelo Facebook da empresa.

- Procão. Biscoitos sortidos produzidos artesanalmente.NÃO É MAIS VEGANO!!

- Ração Fridog Vegetariana Super Premium. Em BH eu compro na loja Império da Ração e o pacote de 25 kg custa R$192. Entregam em casa e se comprar 6 pacotes de uma vez, ganha 1 grátis! Caso ache caro, vale a pena misturar a ração com farinha de soja, arroz e legumes.

- Soja PTS crua. Cachorro e gatos adoram soja!! Não é atoa que soja é o principal ingrediente de todas as rações.

- Pet Palitos da Organnact (só o verde não tem insumos de animais)

- Krocão Biscoitos integrais veganos. Vende nesse site.


* Observações para quem é contra a alimentação vegana para cães.

1) Para quem acha que alimentação vegetariana não é natural: pra começo de conversa, dar ração (mesmo a com carne) já não é natural. Deixar o cachorro dentro de apartamento e casa não é natural. Dar banho com shampoo não é natural. Passear na rua com coleira não é natural. Portanto usar a falácia naturalista não cola.

2) O paladar dos cães não é tão apurado como o de humanos. As papilas gustativas deles são menos complexas que as nossas. De qualquer forma, a ração vegetariana tem ótima receptividade entre os cães quando comparada com outras de carne. Para ilustrar: quando introduzi a Fri Dog Vegetariana, eles comeram assim que eu coloquei na vasilha, sem nem ficar cheirando e fazendo cara feia. E o mesmo acontece quando dou a ração para um cão desconhecido na rua.

3) Cães são onívoros como os humanos e precisam de determinados aminoácidos essenciais, vitaminas e minerais. Se uma ração vegana suplementada supre 100% das necessidades nutricionais de cães, ou seja, não haverá nenhuma deficiência nutricional, qual o problema de dar ração vegana? 

4) Geralmente rações feitas de carne levam o resto do resto do resto de carne. E há alguns estudos que correlacionam o consumo de rações com o aumento da incidência de câncer.

5) Não há nenhum artigo científico que seja contra alimentação vegetariana para cães. Na verdade, alguns até a indicam para cães com problemas de saúde. Se fosse deficiente de nutrientes não seria nem indicada!

6) Os veterinários mais sérios não veem problema algum em dar ração vegetariana para cães.

7) Submeter animais de abate às mais diversas crueldades para alimentar um outro animal, que possui basicamente as mesmas características mentais: demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento, não parece fazer muito sentido.

Mais uma opção de hambúrguer vegano em BH

ATENÇÃO: A HAMBURGUERIA ELVIS KING PUB FECHOU! :(


Descobri recentemente a Elvis King Pub, hamburgueria que oferece opções veganas no cardápio. Lá tem ambiente com mesas e espaço para bandas tocarem. Não é bem um pub. Enquanto se come um hambúrguer, a banda do dia toca basicamente vários estilos de rock n roll (Elvis cover, Ramones Cover etc)


O ambiente é agradável e o fliperama é liberado!! \o/

Esse é o Veggie Friend Burger (pedi sem alface e sem cebola). O hambúrguer é gigante, vem alguns shimejis, tomate e pão australiano. Acompanha um molho maravilhoso de tomate e fritas:


O preço dele é R$27, além do couvert da banda (acho que é R$10). Não é muito barato, mas é uma opção bacana de ambiente legal com comida vegana. 

Achei que o hambúrguer é muito bom, mas poderia ter menos cebola e alho! Não sei se é impressão minha, mas já reparei que vários hambúrgueres veganos tem MUITO tempero. Povo acha que troço vegano é sem graça e taca quilos de alho e cebola. Será que eles acham que soja não tem gosto e logo precisa encher de cebola e alho? Pra quem ama alho, pode experimentar sem medo!

O Elvis King Pub está localizado na Rua Santa Rita Durão, 309 (quase esquina com a Afonso Pena) no Funcionários.

Funcionamento: de terça à sexta, das 18h às 1h e sábado das 20h às 2h.

Saiba quais empresas financiam testes em animais na China


Vejo que ainda há muita confusão e pouca informação a respeito de quais empresas foram parar no mercado chinês - país que ridiculamente obrigada por lei que todos os cosméticos vendidos lá sejam testados em animais. Mesmo que os produtos sejam comercializados no mundo todo sem a necessidade de serem testados em animais, a legislação da China, indo na contramão do avanço tecnológico e ético, impõe que todos os cosméticos que entram no país devam ser testados em animais.

Algumas marcas que antes eram consideradas cruelty free, se renderam ao gigante mercado chinês e passaram, com isso, a financiar testes. Apesar de algumas marcas declararem em seus sites que não realizam testes em animais, acabam tendo que terceirizar testes na China. Como diz a Luisa Mell, os coelhos e camundongos chineses também merecem nosso respeito. 

A melhor forma de protesto é o boicote. As empresas só mudarão de postura quando o fato de testarem em animais começar a interferir significamente no lucro. A PETA faz um excelente trabalho em pressionar as empresas a e disponibilizar no site uma lista com todas as empresas internacionais que testam e não testam. As empresas sabem que o boicote afeta parte do lucro e, a partir disso, pressionam as autoridades chinesas a buscar por alternativas.

Uma outra forma bem simples de saber a maioria das empresas que estão sendo comercializadas na China é através do site da Sephora chinesa. Há algumas empresas multinacionais como a Benefit que não constam na lista da PETA nem como empresa que testa, nem que não testa. No entanto, é possível ver que os produtos da empresa são vendidos na China:


FONTE: http://www.sephora.cn

Além da Sephora chinesa, há outro site que vende marcas que foram testadas em animais antes de serem vendidas, o Skin Store China. Exemplo de marcas: Revlon, Olay, Nivea, RoC, Kiehl etc. As outras empresas famosas que não constam em ambas as listas são: Avon e Mary Kay, que são vendidas apenas por catálogos e sites próprios.


E quanto às empresas que possuem fábricas alocadas na China (o famoso: "Made in China")?

Produtos que são fabricados na China, mas não são vendidos na China, não são obrigados a passar por testes em animais. Uma empresa pode fabricar seus produtos na China e manter seu status de livre da crueldade.

Em geral, apenas produtos que estão sendo vendidos na China são obrigados a serem testados em animais. 


Para finalizar eu sugiro que confirmem através de fontes seguras sobre as marcas. Alguns blogs estão desatualizados (a lista das empresas muda o tempo todo!) e muitos não informam corretamente quais empresas são verdadeiramente cruelty free. 

Além do site da PETA, há o guia do Leaping Bunny. Para empresas nacionais, há uma lista do PEA para produtos livres de testes em animais.


segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Leave-in Color Fixation - Surya


A resenha que irei fazer é de um produto que eu não costumava usar muito, achava que meu cabelo sempre ficava pesado, oleoso e opaco quando usava. Acabei comprando para ajudar na fixação da cor, já que tenho usado tintura no cabelo, e hoje estou amando(!) o creme para pentear Fixação da Cor da Surya.

Na verdade eu comprei quando estava em São Paulo me sentindo o Capitão Caverna por causa do tempo úmido e não tinha nenhum defrizante em mãos. Imaginei que além da função de proteger a cor (por possuir Buriti), ainda manteria os fios assentados. Não consegui formar uma opinião sobre o poder defrizante em tempo úmido, já que usei 1 vez na chuva e todos os outros em tempo seco, mas notei uma proteção na cor da tintura, achei que demorou mais para desbotar. 

É difícil encontrar um leave-in sem silicones que não pese em cabelos finos e lisos. A tendência é de sempre deixar o cabelo pesado e um pouco oleoso. No entanto, não foi o que eu notei com esse da Surya. Meu cabelo ficou macio, hidratado, maleável e brilhante. Notei que ele também dá uma diminuída no volume. Enfim, é fácil acreditar que ele irá condicionar e manter os fios hidratados durante o dia e até como tratamento noturno (pré shampoo).

Quando uso chapinha/baby liss eu passo o leave-in da Alterna (linha Hemp) que contém silicone como proteção térmica e não pesa na raiz, já que eu não tenho certeza se o creme de pentear da Surya protege contra o calor. O reparador de pontas da Surya também é bom e pode ser um protetor térmico de pontas.

Segundo as informações da marca, o leave-in desembaraça, hidrata e protege os cabelos tingidos, proporcionando brilho intenso, maciez e redução de volume. Protege e mantém a cor por mais tempo, resgatando a naturalidade dos fios. Contem Buriti, um filtro solar natural e Cupuaçu que nutre e hidrata. A proteína do arroz restaura a estrutura do fio. Contém óleos essenciais de Rosas, Ylang, Jasmim e Sândalo e 15 Extratos de Ervas da Índia e da Amazônia.

Percebi que a formulação modificou recentemente. Retiraram os silicones, o BHT etc. Mas de qualquer forma, vem um tanto de ingrediente bacana, como manteiga de Buriti, Cupuaçu, proteína do arroz, aloe vera, camomila, óleos essenciais etc, que pelo preço que eu paguei (R$10 por 300 ml), vale MUITO a pena.

Uso a quantidade de uma castanha no cabelo úmido, depois de usar shampoo e condicionador e deixo secar naturalmente. No dia seguinte passo um óleo nas pontinhas pra disfarçar o frizz. Se quiser pode ser usado como condicionador também.

O cheiro é típico dos produtos da linha fixação da cor da Surya. Não é "uau, que delícia", mas também não é desagradável. É um cheiro de mistura de ervas, bem natureba! Sai depois que o cabelo seca.

Composição:


A Surya é cruelty free e 100% vegana!

<3

Resultado abaixo para ter ideia da quantidade de frizz. Usei somente o creme de pentear da Surya para finalizar, lembrando que o coitado já passou por trocentas químicas (descolorações e tinturas):

Pra que Tresemmé, Seda, L'oreal e outras tranqueiras que testam em animais, gente?

É encontrada facilmente em farmácias, perfumarias e por televenda.