Mostrando postagens com marcador SAC Vegano. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador SAC Vegano. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 18 de abril de 2017

Resposta do SAC | Davene


Há alguns dias a Davene lançou uma linha de sabonetes com base 100% vegetal. Enviei um e-mail perguntando se eram veganos e também pedi uma lista com os outros produtos que eram isentos de origem animal, já que alguns produtos da marca possuem sebo na composição ("Adeps Bovis") e mel de abelha. Segue a resposta do SAC da Davene:


Primeiramente agradecemos por seu contato e interesse por nossos produtos.

A Davene é uma empresa 100% Nacional e que há 40 anos, desde sua fundação, não realiza testes em animais para a fabricação de nossos produtos. Comprometida com a qualidade e segurança, nossa empresa tem uma linha de tratamento feita com a mais alta tecnologia e muito carinho, para atender às mais variadas necessidades e gostos dos nossos consumidores.

Nossos produtos passam por rigorosos Testes Clínicos de Segurança e Eficácia, indicando que além de serem formulados com matérias-primas extremamente seguras, todas são aprovadas e nossos produtos registrados na ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Contratamos Institutos que seguem os mais rigorosos parâmetros éticos em pesquisas de acordo com as Boas Práticas Clínicas. Os testes Clínicos não são realizados em animais e são coordenados por médicos especialistas.

Nosso departamento de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos utiliza Matérias-Primas de diversas origens e fontes, naturais e sintéticas, sempre visando um produto final de qualidade, prático, eficaz e seguro.

Assim como os consumidores de nossos produtos, também nos preocupamos com a preservação do meio ambiente (fauna e flora) e estamos trabalhando na criação de produtos totalmente isentos de componentes de origem animal.


Nossos cremes de aveia para o rosto, shampoos, condicionadores, colônias, óleos corporais, desodorantes, tônicos faciais, talco cremoso, sabonetes em gel e a maior parte dos sabonetes líquidos não possuem nenhum insumo de origem animal.  

Segue nossa lista atual de produtos. 

PRODUTOS QUE CONTÉM INGREDIENTE DE ORIGEM ANIMAL
Sabonetes em barra: Sabonetes de Aveia, La Flore/La Fruta, Bebê Vida e Exotic
Leite de aveia (todos)
Bebê Vida Creme Preventivo de Assaduras
Bebê Vida Loção Hidratante
Bebê Vida Sabonete líquido
Corpo a Corpo Loção Hidratante (Envolvente, Natural e Suave)
Higiporo Leite Demaquilante
Sabonete Líquido Mãos e Rosto Frutas Vermelhas

PRODUTOS QUE NÃO CONTÉM INGREDIENTE DE ORIGEM ANIMAL
Bebê Vida Água de Colônia
Bebê Vida Condicionador Suave
Bebê Vida Óleo Suave
Bebê Vida Shampoo Suave
Bebê Vida Talco Cremoso
Creme de Aveia Clássico
Creme de Aveia Intensa
Creme de Aveia Hipoalergênico
Creme de Aveia Suave
Corpo a Corpo Desodorante Roll-on (Envolvente, Natural e Suave)
Corpo a Corpo Óleo (Envolvente, Natural e Suave)
Higiporo Sabonete Gel Pele Normal a Seca
Higiporo Sabonete Gel Pele Mista a Oleosa
Higiporo Tônico Adstringente (Pele com Acne)
Higiporo Tônico Equilibrante (Pele Mista a Oleosa)
Higiporo Tônico Umectante (Pele Normal a Seca)
Mundo Marinho Condicionador
Mundo Marinho Shampoo
Sabonete Líquido Mãos e Rosto Aveia
Sabonete Líquido Mãos e Rosto Erva Doce
Sabonete Leite de Aveia nas versões: Clássico, Óleo de Amêndoas e Hipoalergênico.

Atenciosamente,
Serviço ao Consumidor Davene
0800 703 8505
davene@davene.net.br
www.davene.net.br
facebook.com/davene.br

terça-feira, 21 de março de 2017

Resposta do SAC | Colorações da Keune


Enviei um e-mail à Keune Internacional questionando a política de testes em animais e se vendiam na China atualmente. Responderam que não vendem na China e não realizam testes em animais, bem como seus fornecedores. Além disso, informaram que a linha "So Pure" era totalmente vegana com a exceção de um produto (coloração 3000), conforme e-mail abaixo. E caso eu quisesse saber se um produto específico era vegano, bastava perguntar: 


"Dear Eliana,

Thank you for your email.

We do not test our products on animals nor do we sell our products to China. Attached a statement.

The 'Keune So Pure Natural Balance' product line is vegan-friendly.

In the remaining Keune product lines several vegan-friendly products are available.
Unfortunately we don't have a single overview with all Vegan-friendly products.
There are two ways to get further informed on the ingredients used in our products:

1. Together with the cosmetic product a declaration of the used ingredients is presented on the packaging. These ingredients are listed by their INCI names (International Nomenclature Cosmetic Ingredient). This way you are able to check for yourself, which materials were used in the product.

2. Or please inform us on what type of product you are interested in? And we will perform a specific search for you.

Hope this information will help you further on. Please let us know in case of additional questions or requests."





Perguntei sobre as tintas da Keune, quais eram adequadas para veganos. Segue a resposta:





"Dear Eliana,

Thank you for your email.

Semi Color (24xxx); Keune Color Man all shades (1600x) are vegan-friendly.


Tinta Color all shades (26xxx) are not vegan friendly (including the Tinta Color Ultimate Blonde range). This range contains a natural silk protein.


The 'Keune So Pure Color' product line (28xxx) is vegan-friendly with one exception.

After the date of 16 Jul 2015 we have introduced a new product within the So Pure Color range.

This concerns the So Pure Color no. 3000 (28030). This product contains Beeswax and is not vegan-friendly.

Magic Blonde (16423) is not vegan friendly, because it contains Serica (Silk Powder).

Cream Bleach (16424) is vegan-friendly.

So Pure Color Blonde Lift Powder (23351) is also vegan-friendly.


Please be aware that the above answers are based on our current portfolio.
In practice their might be still products present in the market, which are no longer part of our portfolio, have been reformulated over time, or new products might be launched after this date.
The INCI declaration on the packaging gives you the opportunity to double check which ingredients were used.
Hopefully the above answers will help you further on.

Please feel free to contact us again for additional questions or comments."




Algumas das colorações contém proteína da seda e cera de abelha (destacado em vermelho acima). Conforme a resposta do SAC, essas colorações não possuem ingredientes de origem animal:



sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Resposta do SAC | Dermage





"Caro Cliente ELIANA CASTRO, seu chamado foi concluído. Segue conclusão: 

Boa Tarde! Informamos que a Dermage é uma empresa brasileira que desenvolve produtos dermocosméticos inovadores para a pele da mulher brasileira. Os produtos da Linha Dermage são de alta performance, apresentando eficácia, segurança e sensoriais exclusivos de rápida absorção e suavidade. Por filosofia da empresa, a Dermage não realiza testes em animais! Todos os produtos dermocosméticos são testados dermatologicamente, in vitro e/ou in vivo em humanos, sendo eficazes e seguros. No caso de alergia à substância específica, todos os produtos da Dermage possuem a descrição completa de sua composição nas embalagens para verificação. Algumas fórmulas da Dermage podem conter substâncias de origem animal, entretanto a maioria é de origem mineral, sintética ou vegetal. Informamos que, exceto os produtos Regenerage lábios, Nail Force ? Unhas&Cutículas, Base Oil free FPS 25, Batons da linha Extreme color, Cover & block e High light palette os quais possuem lanolina em suas composições e Máscaras para cílios, Duo Eye Brown Miracle, Sombras que possuem hidrolisado de colágeno em suas composições. Nossa linha Ineout também possui derivados suínos e/ou bovinos. Nossos demais produtos não possuem componentes de origem animal em sua formulação. Todos os produtos da Dermage possuem a descrição completa de sua composição nas embalagens para verificação. Caso haja interesse em algum produto específico, favor nos informe para que possamos ajudá-la da melhor forma. Todas as lojas da Dermage possuem testers para experimentação dos produtos. Atenciosamente, SAC - Dermage"
sac@dermage.com.br

Obs: A linha Delifresh Organics vem com a menção de "cruelty free" e "sem ativos de origem animal" no rótulo:



quarta-feira, 30 de março de 2016

Respostas do SAC | Empresas de sapatos

Fonte

Se você está a procura de sapatos formais ou casuais, pode parecer desafiador encontrar opções sem couro de origem animal. Mas uma vez que você se familiariza com empresas de calçados veganos e aprende quais os materiais que deve se atentar, fica fácil encontrar sapatos livres de crueldade. Basta ter cuidado porque os sapatos podem ter a parte externa em couro sintético ou tecido, mas a sola interior (palmilha) pode ser feita de couro ou até pele de ovelha. Infelizmente no Brasil o material utilizado nos sapatos não está impresso no sapato nem mesmo está claro na caixa. Pesquisar antes de sair às compras é melhor do que confiar em vendedores de lojas, já que o material pode enganar e o preço não é indicativo do material (existem sapatos em couro baratos e sapatos em material sintético caros)

Existem empresas de sapatos que declaram publicamente ser totalmente veganas (não utilizam couro de origem animal) como a Vegano Shoes, Ahimsa, Insecta, King 55 e N. Gui Design Studio. No entanto, a maioria delas vende apenas em lojas virtuais.

Para facilitar a busca, questionei aos SACs de empresas de sapatos que podem ser encontrados em lojas físicas, levando-se em conta se é ou não usado couro animal para a produção dos sapatos. Encorajo a todos que enviem e-mails às empresas mostrando que há um público interessado em comprar calçados isentos de couro ou qualquer material de origem animal.

A minha pergunta para todas foi:


"Bom dia!
Gostaria de saber se a EMPRESA utiliza couro de origem animal na confecção dos sapatos. Caso positivo, a empresa oferece algum sapato em material sintético adequado para veganas e totalmente isento de couro de origem animal?
Obrigada! "

Respostas:


1. VIA MARTE



Quando questionei sobre o material dos pelos presentes nas botas (lembrando que o uso de pele foi proibida pela Lei nº 16.222/2015 em São Paulo), essa foi a resposta:


2. CRYSALIS




3. LUIZA BARCELOS



4. BEIRA RIO / VIZZANO / MOLECA / MODARE





5. DAKOTA



6. DI CRISTALLI

 




7. CARRANO



8. ANACAPRI



9. AREZZO


Obs: Post com a conversa completa nesse link.


10. PICCADILLY


___


Resumindo: 



Não utilizam couro de origem animal: Di Cristalli, Crysalis, Vizzano, Piccadilly, Beira Rio, Moleca e Modare.

Oferecem modelos tanto em couro como em material sintético: Via Marte, Dakota e Anacapri e Arezzo.

Utilizam couro de origem animal em todos dos calçados: Luiza Barcelos, Carrano.

Não me responderam: Usaflex, Schutz e Santa Lolla


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Resposta do SAC | Lista de produtos de limpeza veganos da Ypê


Existem várias marcas de produtos de limpeza veganos, como Milão, Biowash e Amazon. Mas dentre as empresas mais acessíveis e encontradas em supermercados, certamente vem em mente as marcas Ypê e Uau. A Uau respondeu que não utilizam ingredientes de origem animal e nas embalagens vem escrito que não testam em animais. Porém, como a resposta foi muito genérica eu ainda não chequei todos os produtos para ter certeza e assim que o fizer, farei um post específico da marca.

Essa foi a resposta que eu recebi da Ypê (http://www.ype.ind.br/fale-conosco/consumidor):


"Foi com satisfação que recebemos sua mensagem eletrônica.

Em resposta à sua consulta, gostaríamos de esclarecer que a Química Amparo – fabricante dos das marcas Ypê, Atol, Assolan, Perfex e Cross Hatch em nenhuma etapa do desenvolvimento de nossos produtos realiza testes em animais. Mantemos nosso compromisso e respeito com o meio ambiente, o que inclui nosso relacionamento com as formas de vida que nos cercam.

Por isso, optamos por utilizar matérias-primas que já tenham sido objeto de estudo científico, aprovadas para utilização em humanos, e que estejam presentes na lista positiva dos órgãos regulamentadores.

Todos os produtos que entram em contato com a pele dos consumidores são submetidos a criteriosos estudos, por meio de exames dermatológicos em laboratórios reconhecidos nacionalmente. São realizados testes “in vitro” de uso, e de alergenicidade.

Em relação à matéria prima de origem animal utiliza-se sebo bovino, quaternário de amônio e cera de abelha* nos produtos descritos abaixo:
· Categoria de sabonetes
· Categoria de sabão em barra
· Categoria de Amaciantes
· *Lustra-móveis versão cera de abelha


Os demais produtos que produzimos não possuem matéria prima de origem animal.

· Linha de Lava Louças Líquido Ypê
· Linha de Lava Roupas em Pó Tixan Ypê
· Linha de Lava Roupas Líquido Tixan Ypê
· Linha de Lava Roupas em Pó Ypê Premium
· Linha de Lava Roupas Líquido Ypê Premium
· Linha de Multiuso Ypê
· Linha de Desinfetantes Pinho e Bak Ypê
· Linha de Clorados Ypê – Limpa Limo, Água Sanitária e Alvejante
· Esponja de lã de Aço Ypê Brilho
· Linha de Lava Roupas em pó Atol
· Linha de Lava Louças Líquido Atol
· Linha de desinfetantes Pinho e Bak Atol
· Linha de desinfetantes Perfumados Atol
· Esponjas Sintéticas Assolan
· Saponáceos Assolan
· Palha e Lã de Aço Assolan
· Panos Multiuso Assolan
· Panos Multiuso Perfex
· Linha de Panos Multiuso Cross Hatch


A Ypê tem a sustentabilidade como um dos pilares que sustentam nossos valores. Sendo assim, minimizamos, por meio diversas ações, os impactos causados pelo exercício de nossas atividades industriais.
Convidamos você a conhecê-los em nosso site na seção sustentabilidade.

Agradecemos o contato realizado.

Serviço de Atendimento ao Consumidor Ypê
Química Amparo Ltda."

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Resposta do SAC | Guati Cosméticos




A Guati é uma indústria que produz cosméticos para diversas empresas, incluindo marcas como Carrefour, Dia, Orgânica e Renner. Há algum tempo a marca Carrefour (que não produz, apenas distribui os produtos da Guati) lançou uma linha de sabonetes vegetais e resolvi perguntar para o SAC (atendimento@guati.com.br):



Olá, bom dia!

Gostaria de saber se a GUATI realiza testes em animais ou os solicita a terceiros. 

Além disso, gostaria de saber se os sabonetes vegetais possuem algum tipo de ingrediente derivado de origem animal.

Obrigada, 
Eliana


E a resposta:


"Nossos sabonetes possuem massa base vegetal e aditivos minerais e químicos. A própria massa base vegetal contém uma parcela de glicerina vegetal, produto da reação de saponificação do óleo vegetal, caso o sabonete tenha aditivo de glicerina, será de glicerina sem procedência garantida de ser de origem animal ou vegetal.

De todos os sabonetes que eu conheço, ditos vegetais, na sua formulação é encontrado aditivos químicos e minerais, mesmo constando no rótulo serem vegetais.

Quanto a testes em animais, não compactuamos com isso também, porem, não certificamos fornecedores de matérias prima com essa exigência por não ser a nossa proposta de fornecer produtos veganos, 100% vegetais ou orgânicos."

_____

Com essa resposta, fica claro que a empresa não tem interesse em atender o público vegano e tanto os sabonetes vegetais da marca Carrefour quanto da marca Orgânica que, apesar de alegarem possuir base vegetal, não são veganos por conterem glicerina que pode ser de origem vegetal ou animal

É questionável que as informações do rótulo deixam a entender que se trata de um sabonete sem derivados animais, mas na verdade se trata apenas da ausência de sebo/gordura animal (ou tallowate).
  



Estou quase terminando de escrever um post com várias opções de sabonetes veganos, mas a minha sugestão é: escrevam para lá e peçam para que selecionem fornecedores de glicerina de origem vegetal.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Resposta do SAC | Amend


Eu não sou muito fã dos produtos da Amend, mas muitas pessoas gostam e me perguntam sobre os cosméticos. Questionei a Amend se existem produtos isentos de ingredientes de origem animal e essa foi a resposta:


Bom dia!

Primeiramente, queremos agradecer seu contato. Para nós da Amend, esta é uma oportunidade para estreitarmos o relacionamento com você.

Em resposta ao seu e-mail informamos que alguns produtos podem conter algum ingrediente de procedência animal, porém estamos buscando alternativas para desenvolver produtos que respeitem o meio ambiente e os animais.

Segue em anexo tabela com resumo de ingrediente de alguns produtos Amend. É possível consultar a composição de todos os nossos produto através de nosso site http://www.amend.com.br/

Informamos também, que não realizamos testes em animais ou em tecidos de animais criados exclusivamente para pesquisa, nem estimulamos estes tipos de testes. As avaliações de segurança de ingredientes são realizadas através de métodos cientificamente válidos em humanos voluntários, visando à comprovação da compatibilidade, aceitabilidade e benefício, sempre atendendo aos princípios de ética em pesquisa envolvendo seres humanos.


Permanecemos a sua disposição para quaisquer outros esclarecimentos.

Cordialmente,

Siga Amend nas redes sociais:

http://www.facebook.com/AmendCosmeticos

Visite nossa loja virtual:

http://loja.amend.com.br/


Questionei também sobre as colorações. Essa foi a resposta:


Olá Eliana, boa tarde!

Em resposta ao seu e-mail informamos que a Coloração Creme Sem Amônia Supéria Color, não possuí em sua composição ingredientes de origem animal, assim como a Coloração Creme Magnific Color que também não composta por tais ingredientes.

Permanecemos a sua disposição para quaisquer outros esclarecimentos.


Segundo a resposta do SAC, somente essas duas não possuem ingredientes de origem animal.
Obs: As cores foram escolhidas aleatoriamente.

Além dessas colorações, o pó descolorante da embalagem vermelha também não contém ingredientes de origem animal:



Obs: Eu não tive a oportunidade de conferir o rótulo de todos os produtos da lista. Os que eu olhei me pareceram ok. Sugiro, portanto, dar uma lida no rótulo antes de comprar.

sábado, 7 de novembro de 2015

Resposta do SAC | Arezzo



Há alguns dias eu li um post da Alana (@theveggievoice) dizendo que na Arezzo  cerca de 50% dos calçados já não eram feitos mais em couro, de acordo com o que ela ouviu das vendedoras em uma loja física. O problema, a meu ver, é que mesmo quando um sapato possui a parte externa toda em tecido ou material sintético, a palmilha pode ser feita a partir de couro de origem animal, ou até as tiras com as fivelas. Eu também não acho confiável se basear no olfato, já que o cheiro de couro pode estar mascarado.

Para tirar essa dúvida, resolvi enviar um e-mail ao SAC da Arezzo questionando quais eram os calçados isentos de couro de origem animal.

Obs: Eu tenho certa antipatia pela Arezzo desde aquela coleção de inverno de 2011 ("Pelemania"), quando tentaram vender pele de coelho e raposa nos calçados e bolsas e, depois de muito auê, se viram obrigados a recolher a coleção do mercado (leia mais aqui). Portanto, não estou com a intenção de divulgar a marca neste post, mas apenas mostrar que confiar nas vendedoras e no olfato pode não ser uma boa ideia.

Resposta do SAC (Atendimento Arezzo <atendimento@arezzo.com.br>):




Minha resposta:





 Como pode ser observado pela resposta, as opções são bem restritas e o carro-chefe da Arezzo ainda é o couro de origem animal. Mas uma coisa eu concordo com a Alana, devemos pedir por opções, enviar e-mails cobrando e tentar mudar a mentalidade das empresas por meio de nosso boicote para que produzam sapatos sem o uso de couro.


Para outras opções de bolsas e calçados isentos de couro de origem animal, ou para entender por que não usar couro, veja o post: Couro, Couro Sintético e Couro Ecológico


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Resposta do SAC | Yamá

Essa é mais uma das respostas do tipo: "me engana que eu gosto". Na dúvida, não divulgarei aqui os produtos que possuem ingredientes que podem ser tanto de origem animal ou vegetal, como glicerina, estearatos, pantenol etc, já que a empresa foi incapaz de responder as minhas dúvidas.

Questionei a Yamá sobre os ingredientes de origem animal utilizados pela empresa e essa foi a resposta:


Boa tarde, Sr.ª Eliana

As matérias primas usadas na fabricação dos produtos são de origem sintética (criadas em laboratórios) ou de origem vegetal. Os testes com os produtos são realizados em laboratórios credenciados pela ANVISA para garantir a procedência legal dos ativos que são utilizados na fabricação.

Estamos à disposição para esclarecimentos/dúvidas.

Atenciosamente,
 
__

E quando questionei sobre a existência de produtos contendo proteínas do leite, queratina e proteínas da seda...

Boa tarde Janaína,

Você poderia me enviar informações mais precisas, por gentileza? Poderia questionar junto ao setor técnico?

Como pode a proteína do leite ser de origem sintética, se o leite é de origem animal? De onde surgem essas matérias primas sintetizadas em laboratório?








A resposta:


Bom dia, Sr.ª Eliana

Compreendemos a sua preocupação sobre a origem dos produtos. Quando recebemos a matéria prima de nossos fornecedores, esta já processada, para ser incorporada na formulação. Mas garantimos que todos os nossos produtos são certificados pela ANVISA , que faz um controle periódico no processo de fabricação dos produtos para verificar se estamos de acordo com os padrões exigidos.
__


Questionei:


Bom dia Janaína,

Obrigada pela resposta.
Então quer dizer que a Yamá não possui controle da origem da matéria prima, certo? Não podem questionar os fornecedores? Por que não dizer isso ao invés de dizer que são todos de origem vegetal e sintética, sendo que não sabem a origem do que usam?

__


Bom dia, Sr.ª Eliana

Como informamos, garantimos que todos os nossos produtos são certificados pela ANVISA , que faz um controle periódico no processo de fabricação dos produtos para verificar se estamos de acordo com os padrões exigidos.

Obrigada!

Atenciosamente,


Entenderam? São certificados pela Anvisa, gente! 

O resumo da conversa é basicamente esse aí:



segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Produtos veganos da Korres


Há alguns dias uma pessoa me questionou sobre a Korres, uma empresa grega recentemente reinaugurada no Brasil, e até então achava que financiava testes em animais na China. No entanto, depois de algumas pesquisas, vi que a Korres tinha decidido não vender mais lá devido aos testes, logo seu status atual é de cruelty free. A marca antigamente era vinculada à Johnsons, mas hoje é independente. Caso queira ler mais sobre a troca de e-mails entre uma blogueira gringa e a Korres, clique aqui.

As boas notícias são: existe uma lista de produtos veganos e os preços no Brasil estão bastante convidativos. Há venda online pelo site oficial e através da Sephora Brasil.

Na loja virtual existe a lista de ingredientes de alguns produtos e há também a menção de quando um produto não possui ingredientes de origem animal. Segundo o SAC, utilizam a cera alba (cera de abelha) e a proteína do leite na linha "Milk Proteins".



De acordo com o tumblr "veganmakeup" esta é uma lista de produtos veganos disponibilizada pela Korres dos EUA:

  • Produtos para cuidados faciais e corporais:

Creme hidratante: Wild Rose 24-hour Moisturizing Cream
Serum: Wild Rose Brightening
Wild Rose Oil Targeting Pen
Creme noturno: Olive and Rye Night Cream
Sugar Crystal Cream
Creme de olhos: Sugar Crystal Eye Cream
Pomegranate Moisturizing Cream
Esfoliante: Pomegranate Scrub
Máscara Pomegranate Mask
Esfoliante: Lemon Lip Scrub
Creme de olhos: Eyebright Eye Cream
Yellow Hibiscus
Creme de olhos: Evening Primrose Eye Cream
Sabonete facial: White Tea Cleanser
Esfoliante: Almond Meal Scrub
Cinnamon & Thyme Gel for Topical Use
Materia Herba Skincare (Todos)
Showergels (Todos)
Body Butters (Todos exceto Yogurt)


  • Maquiagens (ainda não disponíveis no Brasil até o momento):
Hidratante tonalizante: Watermelon Tinted Moisturizer ((Todos)
Base: Wild Rose Foundation (Todos)
Corretivo: Wild Rose Concealer (Todos)
Base: Ginger & Vitamins Foundation (Todos)
Sombras: Evening Primrose Eyeshadow: 15 NUDE, 58 GRAPHITE GREY
Lip Butters (Todos)
Lápis: Lipliner Pencil: 1 NEUTRAL LIGHT, 2 NEUTRAL DARK, 3 BROWN ORANGE, 4 RED
Lápis: Eyeliner Pencil (Todos, exceto 11 PURPLE WHITE)
Lápis: Eyebrow Pencil (Todos)
Máscara de cílios: Abyssinia Mascara: 01 BLACK, 02 BROWN, 03 COBALT BLUE



Seria ótimo se a Korres se comprometesse a identificar os produtos com selos de algum órgão certificador, como o Leaping Bunny ou Peta.

Ainda não testei nada da marca, não tenho opinião sobre os produtos. Alguém já testou? O que acharam?

ATUALIZAÇÃO: A Korres fez parceria de distribuição dos produtos com a Avon do Brasil.

A minha opinião é que, apesar de a matéria prima ser toda importada da Europa e não passar por testes em animais, eu também não gostei do fato da Korres ter parceria de distribuição com a Avon no Brasil. No entanto, acho que funciona no mesmo esquema em que são vendidos potes de vidro e plástico, livros, lingeries etc por meio de revistas/folhetos da Avon. Da mesma forma que não vejo sentido em boicotar marcas de sutiã ou tênis por causa da parceria que tem com a Avon do Brasil, também não vejo sentido em boicotar a Korres. Espero que eles consigam se estabelecer por aqui no futuro sem precisar mais dessa parceria. Os preços são bem acessíveis!

Exemplos de empresas que mantém parceria com a Avon: 
DelRio, Olympkus, Grendha, Trifil, Rider, Beira Rio, Moleca, Grendene, Azalea e mais uma infinidade de outras marcas.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Resposta do SAC | Lola Cosmetics




Há algum tempo eu questionei à Lola Cosmetics sobre os testes em animais e quais ingredientes de origem animal a empresa utiliza como matéria prima em seus produtos. Como a resposta estava incompleta, não confiei para postar aqui. [Alguns produtos possuem na composição, por exemplo, queratina de origem animal (hydrolized keratin) e colágeno (collagen) nas máscaras "Morte Súbita", "Chapeuzinho Vermelho", "Dream Cream",  "Black Mamba", outros como o "Magic Prep" contém lanolina (lanolin), outros a proteína da seda (silk aminoacids) e a resposta que me foi enviada não tinha contemplado esses ingredientes. E também não dizia sobre a origem da glicerina. Não sei se esses ingredientes foram mesmo abolidos pela empresa ou se eles tem previsão de "veganizar" os produtos no futuro. Ainda não recebi a resposta para esse meu questionamento e me prontifico a atualizar o post quando receber].

No entanto, como a resposta recebida foi, no mínimo confusa e até dando a entender que "o meu veganismo era uma ilusão", decidi compartilhar o e-mail aqui com as minhas considerações no final.


Resposta do SAC (sac@lolacosmetics.com.br):

"Oi querida, tudo bem?

Sua pergunta é extremamente difícil de responder, não só para nós como para qualquer empresa séria e comprometida, que realmente queira dizer a verdade. Então, vamos por partes.

Sobre testes em animais: empresas que não trabalham com dermocosméticos ou produtos infantis, já não fazem testes em animais há muitos anos. O problema são as matérias primas, não em relação a testes, mas sim no que toca ao sofrimento do animal. Já iremos explicar.

A Lola não faz testes em animais, aboliu praticamente 99% de MPs derivadas de animais ( ainda temos a cera de abelha e mel em um produto) e desde o ano passado certifica sua cadeia a direta de fornecedores para testes em animais. Até aqui tudo bem.

O grande problema que nós da Lola observamos não é a cadeia direta, mas ela como um todo. Qual empresa no mundo consegue essa rastreabilidade???? Quem disser que sim, estará mentindo ou omitindo. A indústria cosmética mundial ainda não tem meios eficazes para poder afirmar que sua cadeia produtiva é 100% vegana ou socialmente e ambientalmente sustentável. Para nós isso é um dilema porque nos entendemos como empresa que gostaria de ser 100% nos 3 quesitos.

Um exemplo: quem nos garante que o óleo de palma usado em nosso setor ( nos anfóteros e sulfatos, por exemplo), lá no inicio de sua plantação ou colheita na Ásia, não fez uso de um burro ou elefante para carregar os cocos? Isso é um sofrimento para este animal.

Nosso confrontamento com estes paradigmas é enorme e maior ainda a duvida de como enfrentá los e resolve los.

O arroz que diariamente comemos, seja ele integral ou beneficiado, podemos ter a certeza que também não foi utilizado um animal para transportá lo? São questões muito complicadas e podemos lhe afirmar que NENHUMA empresas pode lhe afirmar algo diferente e se o fizerem estarão faltando com a verdade.

No Brasil, infelizmente os produtos infantis OBRIGATORIA MENTE ( Anvisa obriga) são testados em animais. Os shampoos infantis, por exemplo, são testados nos olhinhos dos coelhos e é por este motivo que não trabalhamos com produtos infantis.

Assim, como dermocosméticos que são testados em animais.

A L'Oreal tem buscado alternativas e está em parceria com um laboratório de renome internacional para a criação de pele em 3D, o que substituirá os teste em animais. Isso é uma boa noticia. Ela será dona dessa tecnologia mas qualquer empresa do setor poderá adquirir as peles em 3D.

Infelizmente, nossa resposta ( o que para nós é muito ruim) para você é: a Lola não testa em animais. Nossa cadeia direta não testa em animais. O resto da cadeia é uma incógnita. Vamos esperar que neste ano avanços consideráveis aconteçam para equacionarmos de forma adequada a rastreabilidade dessa cadeia. Beijos e obrigada por nos escrever.

PS: muito importante para você saber, é que 95% das matérias primas usadas na indústria cosmética não são brasileiras. O Brasil não fabrica quase nada de MPs. Normalmente são importadas dos EUA, Europa e Ásia.


Atenciosamente,
Amanda Dias
Sac Lola
Grupo Farmativa | L O L A COSMETICS®
www.lolacosmetics.com.br"


Minhas considerações:

Primeiro, as empresas que não trabalham com dermocosméticos e produtos infantis podem sim fazer testes em animais. Não sei de onde ela tirou essa informação. Temos o exemplo da China, que exige testes para qualquer produto cosmético, seja maquiagem, perfume etc, não só dermocosméticos.

Buscar produtos livres de crueldade com animais (veganos) não difere em nada da busca por produtos sem exploração humana. Se eu perguntasse à LOLA se os produtos dela são livres de crueldade com humanos, certamente a resposta seria “sim, nossos produtos não são produzidos com exploração de humanos. Nossa empresa não possui trabalho escravo, não excluímos negros ou homossexuais...” e por aí vai.

Duvido que a resposta seria “essa é uma pergunta muito difícil... o que é explorar humanos? Nós não temos escravos nem praticamos discriminação, mas não temos como controlar a postura dos nossos fornecedores, por isso não há como garantir que nossos produtos são éticos. Um exemplo: quem nos garante que o óleo de palma usado em nosso setor (nos anfóteros e sulfatos, por exemplo), lá no inicio de sua plantação ou colheita na Ásia, não fez uso de humanos em situação degradante? Isso é um exploração humana”

Seja em relação à exploração humana ou animal, atualmente é impossível rastrear absolutamente toda a cadeia produtiva, principalmente se o o produto envolver vários ingredientes que passaram por várias etapas de produção. Mas isso não nos impede de fazemos o que é possível e rastrear onde pudermos, e tenho certeza que a LOLA, em relação à humanos, faz o que pode. E em relação aos animais, o que podemos fazer? Não usar nada que seja derivado de animais, não testar em animais e controlar o máximo possível os fornecedores. Por exemplo, o óleo de palma africano e asiático pode ser produzido às custas do extermínio de orangotangos e é perfeitamente possível não comprar óleo de palma de países da África, Indonésia e de outros países que importam a matéria prima de lá, e sim do Brasil, onde não existem grandes primatas.

"Nosso confrontamento com estes paradigmas é enorme e maior ainda a duvida de como enfrentá los e resolve los." 

Enfrente-os assim como vocês enfrentam esses mesmos paradigmas em relação à exploração humana.

"O arroz que diariamente comemos, seja ele integral ou beneficiado, podemos ter a certeza que também não foi utilizado um animal para transportá lo? São questões muito complicadas e podemos lhe afirmar que NENHUMA empresas pode lhe afirmar algo diferente e se o fizerem estarão faltando com a verdade."  

Idem com humanos. Quem me garante que nenhuma pessoa foi explorada nas plantações de arroz? Mas podemos garantir que pessoalmente não exploraremos nenhuma pessoa. Você pode garantir que na sua empresa nenhuma pessoa será discriminada e pode garantir que se souber que algum fornecedor discrimine negros ou homossexuais, por exemplo, vocês irão parar de comprar dele. Isso é perfeitamente factível. E quando alguém perguntar se a sua empresa discrimina negros, ao invés de responder “não temos como saber, essa pergunta é muito difícil, afinal nas plantações de arroz...” tenho certeza que a sua resposta será “de maneira alguma, prezado consumidor. Nossa empresa jamais praticaria tal tipo de discriminação”.

"No Brasil, infelizmente os produtos infantis OBRIGATORIA MENTE ( Anvisa obriga) são testados em animais. Os shampoos infantis, por exemplo, são testados nos olhinhos dos coelhos e é por este motivo que não trabalhamos com produtos infantis."

Não mais: https://www.abihpec.org.br/2015/04/produtos-infantis-setor-brasileiro-de-hppc-anuncia-avanco-regulatorio

"Assim, como dermocosméticos que são testados em animais."

Mais uma vez, a pessoa se equivocou. A Anvisa não reconhece o termo "dermocosmético". Ou é fármaco ou é cosmético. Segundo a lei 11.794-2008, não há exigência expressa para o uso de animais em testes, mas sim da apresentação de dados que comprovem a segurança dos diversos produtos registrados na Agência. Métodos alternativos são aceitos pela Agência desde que sejam capazes de comprovar a segurança do produto. Além disso, existem várias empresas nacionais de dermocosméticos que alegam publicamente não submeter seus produtos a testes em animais, como é o caso da Dermage.

Espero que a empresa Lola Cosmetics se informe melhor sobre veganismo e instrua melhor seus funcionários de SAC a dar informações corretas a respeito.

Exemplos de composição com ingredientes de origem animal nos produtos Lola.

Uso de lanolina no "Magic Prime":


Uso de queratina na máscara "Dream Cream":


Uso de queratina, colágeno e aminoácidos da seda no "Black Mamba" e "Argan Oil":

resenha lol cosmetics black bamba

argan pracaxi 3


ATUALIZAÇÃO:
Resposta da Lola através da página do blog no Facebook:

"...NUNCA nos afirmamos como empresa vegana, mas sim como uma marca de cosméticos que não testa em animais. Por outro lado temos nos pronunciado e afirmado que estamos reformulando nossos produtos que ainda contem derivados de animais. Nossos aminoácidos são todos de origem vegetal ou sintética e para isso os adquirimos da maior empresa mundial do setor e certificada para tal. Nossa queratina na maior parte de nossos produtos é de origem vegetal. Os produtos que ainda possuem queratina animal, lanolina, extrato de própolis, cera de abelha, mel, por exemplo, estão entrando na fase de mudança. Estamos reformulando a linha na medida em que nossos testes de segurança e eficácia estejam prontos."

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Resposta do SAC | Esmaltes Jade

Como falo pouco sobre esmaltes, vou começar a postar a resposta de cada empresa nacional que questionei, começando pela JADE. Para lista de esmaltes veganos importados, clique aqui. Os esmaltes da Jade são lindos e os preços são bastante razoáveis. Quem tem alergia a certos componentes em esmaltes e/ou prefere utilizar fórmulas sem Tolueno, Formaldeído e Dibutyl Phithalate, passe longe deles.


Minha pergunta:

Olá, bom dia!

Gostaria de saber se a empresa JADE testa ou terceiriza testes em animais (ou compra de fornecedores que testam em animais) e se utiliza ingredientes de origem animal como matéria prima dos esmaltes. Como ingrediente de origem animal, considere por favor: 

- Colágeno (Collagen)
- Queratina (Keratin)
- Carmine (CI 75470)
- Seda (Silk)
- Shellac

Se possível, também gostaria de ler os ingredientes dos esmaltes.

Muito obrigada,

Eliana 


Resposta:


Bom dia, Eliana!

JADE desde já agradece pelo contato e interesse por nossos produtos!

Nossa matéria-prima é de primeira qualidade. Frascos, tampas e pincéis vêm dos maiores distribuidores nacionais ou mundiais, que fornecem ou já forneceram para as grandes fabricantes de esmaltes nacionais.
Pigmentos são importados de grandes fabricantes internacionais. Vários deles vêm da Europa ou Estados Unidos, principalmente os pigmentos de maior tecnologia e valor agregado.

Nossas máquinas são automatizadas e nossos principais fornecedores de máquinas também fornecem para as grandes marcas, o que garante um padrão de qualidade excelente. Há sensores instalados para detectar automaticamente desvios no padrão de itens importantes.

Realizamos testes durante todas as etapas de produção, além dos testes de longa duração, com aceleração do vencimento do produto em estufa. Testamos Ph, aderência, cobertura, padrão de cor, secagem, estabilidade dos ingredientes, viscosidade e tixotropia.

Em nenhum momento utilizamos testes em animais, todos são realizados em máquinas próprias para os testes ou manualmente.

Quanto aos ingredientes de origem animal, utilizamos apenas a queratina em um esmalte da linha de Tratamento Diamond 3Free, a Base Fortalecedora e o CI 75470 na linha Holográfica.

Segue anexo as formulações de nosso esmaltes por linha.

Esperamos que tenha ajudado a esclarecer suas dúvidas.
Estamos sempre a disposição!

Att.,

Atendimento JADE.
Você nasceu para brilhar!

Jade Imp. e Exp. de Manufat. Ltda.
Av. Maringá, 1.777 - Jd Quebec – 86060-000 Londrina/Pr.
Fone: +55 (43)3338-6866 / 3028-6864

www.jadefrog.com.br
atendimento@jade.com.br
www.facebook.com/esmaltejade
instagram: @esmaltejade

___

Composições:

LINHA CREMOSA
Butyl Acetate, Toluene, Nitrocellulose, Tosylamide/Formaldehyde Resin, Isopropyl Alcohol, Dibutyl Phithalate, Alcohool, Ethyl Acetate, Camphor, Stearalkonium Hectorite, Sílica, Malic Acid. Pode conter: CI 77163, 15850, 74160, 15865, 77491, 15880, 77891, 77000, 77491, 19140, 77019, 77015.

COMPONENTES BASE FORTALECEDORA DIAMOND 3FREE (NÃO É VEGAN)
Ethyl Acetate, Sílica, Butyl Acetate, Nitrocellulose, Isopropyl Alcohol, Alcohol, Acetyl TributylCitrate, Stearalkonium, Hectorite, Malic Acid, Tosylamide/EpoxyResin, Camphor, Calcium Pantothenate, TocopherylAcetate, IsostearicAcid, Cocoyl, Hydrolyzed Keratin, Panthenol, Sorbitan Oleate, CI19140/ 74160/ 77891.

LINHA DIAMOND
Ethyl Acetate, Sílica, ButylAcetate, Nitrocellulose, IsopropylAlcohol, Alcohol, Aril Sulfonamide Formaldehyde, AcetylTributylCitrate, Stearalkonium Hectorite, MalicAcid, Lecithin, Dibutyl Phithalate, Toluene. Pode conter: CI 15850/ 15865/19140/74160/77492/77820/77861/ 77891, Borosilicate, SiliconDioxide, Calcium Aluminum Borosilicate, Calcium Sodium Borosilicate,
Polypropylene

LINHA HOLOGRÁFICA (NÃO É VEGAN)
Butyl Acetate, Toluene, Nitrocellulose, Tosylamide/FormaldehydeResin, Isopropyl Alcohol, Alcohol, Dibutyl Phthalate, Ethyl Acetate, Camphor, Stearalkonium Hectorite, Sílica, Malic Acid. Pode onter: Calcium Aluminum Borosilicate, CI15850/15865/15880/19140/74160/75470/77000/77019/77266/ 77491/77492/77510/77820/77861/77891, Magnesium Fluoride.

LINHA METAL SHINE
ButylAcetate, Toluene, Nitrocellulose, Tosylamide/FormaldehydeResin, Isopropyl Alcohol, Alcohol,
Dibutyl Phthalate, EthylAcetate, Camphor, Stearalkonium Hectorite, Sílica, Malic Acid. Pode conter: Calcium Aluminium Borosilicate, CI 15850/15865/15880/19140/74160/77019/77492/77891, Polyethylene Terephtalate.

LINHA SPECIAL GLITZ
ButylAcetate, Toluene, Nitrocellulose, Aryl Sulfonamide Formaldehyde, Isopropyl Alcohol, Alcohool, DibutylPhithalate, EthylAcetate, Camphor, Stearalkonium Hectorite, Sílica. Pode conter: Polyethylene Terephtalate, CI15865/19140/42090/77266/74160.

LINHA TRATAMENTO
Ethyl Acetate, Sílica, Butyl Acetate, Nitrocellulose, Isopropyl Alcohol, Alcohol, Aril Sulfonamide Formaldehyde, Acetyl Tributyl Citrate, Stearalkonium Hectorite, Dibutyl Phithalate, Toluene. Pode conter: CI158501/15850/15865/15880/15985/19140/74160/77000/77019/77163/77266/77491/77499/
77510/77891, mica.
___

Pela resposta, deu pra perceber que a empresa não testa em animais, mas compra matéria prima de diversos fornecedores, não tendo controle se estes fornecedores realizam testes em animais ou não. É importante lembrar que são raras as empresas que atestam ter o controle de não comprar de fornecedores que testam em animais. A Lush e a Surya são algumas delas.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Dicas para abordar os SACs das empresas e interpretar respostas



Uma das coisas mais complicadas no veganismo é abordar empresas questionando sobre os testes e ingredientes de origem animal. Percebo que ficamos mendigando por uma resposta decente e muitas vezes nos são dadas por funcionários despreparados e não comprometidos com a verdade.

Não sei se os termos "vegano" e "sem ingredientes de origem animal" ainda não são muito conhecidos entre as empresas brasileiras ou se os serviços de atendimento ao consumidor não levam muito a sério as respostas, mas vejo que tanto os consumidores quanto a empresa saem perdendo. Já cansei de receber respostas do tipo: "nossos produtos não são testados em animais nem possuem ingredientes de origem animal". Essa é a resposta default da maioria das empresas, mas nem sempre reflete a verdade.

Analisando superficialmente, parece que são todas empresas super éticas e veganas, até que alguém percebe que algum produto leva lanolina, cera alba ou carmine na composição, por exemplo. (A Phytoervas e a Natura são mestres nisso). Nesse caso, não sei se há alguma lei que proteja o consumidor, uma vez que se trata de desrespeito, descaso e mentira. E depois do que aconteceu no Instituto Royal, vai ser muito difícil uma empresa assumir que realiza testes em animais.

Grandes empresas como a Natura possuem um departamento de marketing muito bom. Mas arrisco a dizer que se a empresa treinar melhor equipe de atendimento ao consumidor para que as respostas sejam menos evasivas, vagas e mais compreensivas, talvez acabe aprimorando sua imagem e o seu relacionamento com seus clientes. Pode ser que essas coisas sejam mais relevantes para a estabilidade da empresa a longo prazo.

Se você tem interesse no produto de uma empresa, mas não conhece a política de testes ou ingredientes, eu recomendo muito que você mande e-mails e investigue se a empresa e/ou o produto é livre de crueldade e de ingredientes animais, mesmo que seja só para confirmar que a lista que você está usando é mesmo verdadeira e a empresa fique sabendo que os consumidores tem esse tipo de preocupação.

De tanto ler, enviar e receber e-mails de SACs, eu tenho algumas dicas e informações para ajudar a enviar seus próprios e-mails, o que esperar e dicas para analisar uma resposta.

Antes de enviar um e-mail, procure no site da empresa a seção de FAQ (ou "Sobre a empresa"), onde eles normalmente podem postar informações sobre suas políticas de testes animais, ingredientes, produtos para veganos etc. Algumas empresas não incluem essa informação, enquanto outras incluem apenas informações parciais. Nesse caso é preciso investigar enviando e-mail.

Escrevendo o e-mail

A parte mais importante do envio de um e-mail é incluir tudo na pergunta que você quer na resposta. Se simplesmente enviar um e-mail perguntando: "A empresa testa em animais?" Poderá receber a uma resposta vaga e imprecisa. Geralmente as empresas pequenas não testam em animais, mas podem contratar laboratórios ou comprar matéria prima de fornecedores que realizam testes. Não adianta nada uma empresa alegar que não testa, enquanto contratar terceiros que o façam.

Algumas empresas que são conhecidas por testar em animais, como é o caso da L'Óreal, tem a cara-de-pau de lançar linhas cujo rótulo alega que o produto não é testado em animais. Do que adianta não testar uma determinada linha, se testa nas demais? São empresas como essa que merecem o nosso dinheiro?

As 6 questões que devem ser incluídas na pergunta são:

• Os produtos acabados da empresa são testados em animais ?
• Os ingredientes de seus produtos são testados em animais ?
• A empresa contrata um fornecedor terceirizado para realizar estes testes?
• A empresa tem uma empresa-mãe? Qual a política da empresa-mãe em relação aos testes em animais?
• A empresa vende seus produtos na China ou qualquer outro país que exija ou reserva-se o direito de testar produtos de origem animal comercializados por lá?
• Os produtos possuem algum ingrediente de origem animal na composição?
(obs.: por ingrediente, entende-se qualquer produto que venha da morte de animais ou que sejam extraídos de animais, como tallowate (sebo), colágeno, keratina, ácidos esteáricos, cera de abelha, cera alba, lanolina, corante carmim, carne vermelha, frango, peixe, leite,ovos etc.)

Caso seja uma empresa internacional:

1. Are the finished products tested on animals?
2. Are the ingredients tested on animals?
3. Does the company hire a third part to perform tests on its behalf?
4. Does the company have a parent company? If so, what is the parent company's animal testing policy?
5. Does the company sell products in China or any other country which requires or reserves the right to animal test products sold there?
6. Do the products have animal ingredients in the composition?
(note: by animal ingredient means any product that comes from the death of animals or are taken from animals such as tallowate, collagen, keratin, beeswax, cera alba, stearic acid, lanolin, carmine, red meat, chicken, fish, milk, eggs etc).

Analisando as respostas

O maior trabalho começa depois de receber a resposta. As respostas que me dão raiva:

"Nós não conduzimos ou pedimos a terceiros para realizar testes em animais de produtos, matérias-primas ou componentes de produtos acabados, exceto quando exigido pela lei local." (Tirada do site da Smashbox e traduzido)

Sempre verifique as palavras "salvo", "exceto" e "a não ser".
A frase acima parece linda até a última cláusula. A Unilever, a Clinique, a Avon e a MAC também dizem isso. Além dessas respostas, algumas empresas falam por linhas e mais linhas sobre o quanto tempo e quanto dinheiro eles investiram para encontrar métodos alternativos. Então por que é que não encontraram até hoje? Se reconhecem que não é legal testar em animais, por que não param de uma vez por todas e usam formulações sabidamente seguras? Por que se sujeitam a vender em países que testam em animais seus produtos? Nós $abemos porque.

Outra resposta clássica:

"A empresa não realiza testes em animais e os ingredientes são, em sua maioria, de origem vegetal."

Isso é muito vago. Em que essa resposta me ajuda? Parece que só querem responder o e-mail, não se preocupando em responder a pergunta. Nesse caso é preciso insistir e questionar quais são os ingredientes de origem animal, além da questão dos testes. Se não responderem adequadamente ou continuarem a responder vagamente, o boicote é o melhor a se fazer.

Nos casos de responderem de forma genérica:

"Não trabalhamos com nenhum ingrediente de origem animal"

Em geral eu não gosto desse tipo de resposta. É muito vago. Será mesmo que os produtos são adequados para veganos? A empresa garante que não usa nenhum insumo animal? Nem mesmo corantes de cochonilha e cera alba? Caso encontre algum ingrediente de origem animal, é preciso comunicar à empresa e alegar o equívoco. Caso reconheça o erro e se disponha a repará-lo, ótimo. Mas não é isso que eu vejo. Nesse caso, o melhor seria boicotar a empresa, ou conversar com outras pessoas para saber se tem alguma informação extra sobre os produtos. Recomendo fóruns como o "SAC Vegano" no Facebook.

Às vezes, se você não faz perguntas específicas eles vão te dar sempre respostas genéricas e muitas vezes incorretas.

Por outro lado, empresas como a E.l.f. respondem de forma muito mais confiável:

"We do NOT test on animals or endorse such practices. Our products do not contain animal derived ingredients. Beeswax has been replaced by synthetic beeswax and lanolin has been replaced by Bis-Diglyceryl Polyacyladinpale-2. We currently support HSUS and are partners with PETA in the Caring Consumer Project. Please see our philosophy page for further explanation on our company"

Tradução: "Nós não testamos em animais ou endossamos tais práticas. Nossos produtos não contêm ingredientes derivados de animais. A cera de abelha foi substituída por cera sintética e a lanolina foi substituído por Bis-Diglyceryl Polyacyladinpale-2. Atualmente apoiamos HSUS e somos parceiros com a PETA no Projeto Caring Consumer. Consulte a nossa filosofia no site para mais explicações sobre a nossa empresa."

Perceba que a empresa se empenha em contemplar o público vegano e o faz com maestria.

Caso a empresa informe no rótulo que o produto é adequado a veganos / sem testes e ingredientes de origem animal, há complicações legais caso essa informação não proceder. Por isso não são todas as empresas que informam na embalagem essa informação. Quase ninguém quer se comprometer. Lembro que há alguns anos, um vegano processou uma empresa que alegava que um de seus produtos era adequado a veganos, mas possuía ingredientes de origem animal (acho que era uma vitamina). O vegano ganhou a ação e levou cerca de R$1000 de indenização.

NORMAS DE ROTULAGEM  REFERÊNCIAS LEGAIS
Art. 4º - Decreto 79.094/77  - Os produtos de que trata este Regulamento não poderão ter nome 
ou designação que induza a erro quanto à sua composição, finalidade, indicação, aplicação, modo de usar e procedência. 

Da Rotulagem e da propaganda
Art. 93 - Decreto 79.094/77 alterado pelo Decreto 83239/79: Não poderão constar da rotulagem ou da publicidade e propaganda (...) designações, nomes geográficos, símbolos, figuras, desenhos ou quaisquer indicações que possibilitem interpretação falsa, erro ou confusão quanto à origem, procedência, natureza, composição ou qualidade, ou que atribuam ao produto finalidades ou características diferentes daquelas que realmente possua.



Há algumas certificadoras que fazem auditorias nas empresas e fiscalizam toda a cadeia de produção de cosméticos a fim de emitir um selo que garante que o produto e os ingredientes não tenham sido testados, ou não possui ingredientes de origem animal, por exemplo.

A Cruelty Free International  é uma certificadora de cosméticos não testados em animais e tem planos de certificar empresas brasileiras (aguardando ansiosamente!). A Leaping Bunny também também atua nesse aspecto. A Certified Vegan e o selo vegano da SVB (recém lançado) certificam que um produto é vegano, seja alimentício ou cosmético. A Surya é a única empresa brasileira que possui o selo da Certified Vegan em seus produtos.

A PEA (ONG brasileira) indica uma lista com as empresas nacionais que assinaram um termo firmando compromisso legal de não comercializarem produtos testados em animais. Apesar de não haver auditorias internas sobre haver ou não testes, essas empresas respondem legalmente sobre esse documento.