Ikove não é mais cruelty free?

Há alguns meses a página da Ikove no Facebook anunciou a inauguração das lojas físicas em Taiwan e na China. É sabido que a China requer testes em animais para assegurar os cosméticos vendidos por lá. Dessa forma, independente de qualquer empresa de cosméticos estrangeira, seja ela brasileira ou européia, deve ter seus produtos testados em animais antes de comercializar no território chinês.

Tentei contato com a empresa pelo site e pela página do Facebook e não obtive respostas, pelo contrário, tive meu comentário deletado. O mesmo aconteceu com outras pessoas que questionaram a empresa através da página do Facebook.

Gostaria de saber qual a explicação que a empresa tem a respeito dessa questão. Pelos prints abaixo, é possível notar que mais pessoas questionaram e não foram respondidas, além de terem os comentários deletados. Curiosamente, depois de terem questionado sobre os testes em animais, o post foi editado de China para Taiwan:



É de se esperar que uma empresa que passa a financiar testes em animais na China, não vá espalhar isso nas redes sociais: "Ei, gente! Começamos a financiar testes em animais na China!". Aconteceu com a Caudalie, com a Alfaparf, com a Victoria's Secret e mais uma infinidade de empresas interessadas em expandir os negócios, passando por cima dos animais. A forma de sabermos quais empresas testam ou não na China, é questionando-as, ou no caso, rastreando os pontos de venda. Em algumas circunstâncias, a PETA remove essas empresas das listas de empresas "cruelty free", apesar dos atrasos na atualização.

A minha surpresa desagradável foi ver uma empresa brasileira que pode estar vendendo na China. Até então só tinha visto empresas internacionais. 

Deixo claro que nunca tive nada contra a Ikove, já comprei um produto da marca no passado e até indiquei a marca aqui no blog. Porém, a partir de agora, em razão da falta de explicações a respeito da postura da Ikove, boicotarei a empresa e não indicarei mais a Ikove como livre de crueldade. 

Obs: os selos de certificação Ecocert são concedidos à empresas que não testam em animais para produção dos produtos. No entanto, não é feito um controle das empresas que vendem posteriormente na China, conforme explicado pela página da Ecocert aqui. Ou seja, é possível que empresas com certificado orgânico teste em animais na China.


ATUALIZAÇÃO (18/12/14): A empresa emitiu um post dizendo que não abriu loja na China e, sim em Taiwan. Portanto, não financia testes em animais, já que a legislação de Taiwan não exige testes para cosméticos. 

Fico feliz em saber que a Ikove permanece cruelty free e enquanto a empresa mantiver essa política, continuarei recomendando. No entanto, a empresa falhou na comunicação com seus clientes, afinal ela prestou os esclarecimentos necessários apenas porque o post foi feito e divulgado no Facebook.  



9 comentários:

  1. O pior Eliana, é que quando são questionadas, algumas empresas alegam que com a expansão de mercado, mais trabalhadores(da empresa) vão ser beneficiados. Transpondo para a questão moral, seria como dizer que a escravidão beneficia o sr. de engenho, ou o tráfico de drogas beneficia o traficante, que sustentar sua família.

    A consideração pelos animais é tão pequena, que qualquer interesse humano tem prioridade sobre a tortura e morte de cobaias. Lamentável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já escutei muitas desculpas como essa, principalmente quando se fala sobre abolir as carroças. Perguntam o que os carroceiros irão fazer se for proibido o uso de cavalos para tração.

      Existem várias formas de atender os interesses humanos sem que haja exploração de animais. A falácia nesse tipo de argumento é dar a entender que ou beneficia os interesses humanos em detrimento dos animais, ou se respeita os animais prejudicando os interesses humanos. E entre humanos e animais, as pessoas, claro, escolhem os humanos. No entanto, é possível atender ambos os interesses sem que um lado tenha que ser explorado. Quem disse que para atender os interesses humanos, os animais precisam ser explorados? E vale atender os interesses humanos a qualquer custo?

      Excluir
  2. O que a ganância não faz, né? Isso só mostra que a empresa não tem o menor interesse nos animais e nem respeito com consumidores brasileiros que estão questionando. Lamentável.
    :**

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, a maioria não tá nem aí, apenas paga de empresa ética e se tiver que testar, que seja! E a falta de ética ocorre não só com animais, mas com humanos também.

      Acho que falta consideração com os consumidores. Apaga comentários, não responde quando questionada.. tem muito o que aprender sobre relacionamento com cliente.
      Beijos

      Excluir
  3. Que péssima notícia! :O
    Assim que possível também questionarei a Ikove a respeito.
    Poxa, ridículo! Já não temos muitas opções de produtos veganos e cruelty free, e agora uma das poucas resolve entrar na exploração chinesa!
    Na dúvida também não compro mais! ¬¬'
    Obrigada, Eliana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Graziela! É importante que a gente questione sobre essas questões. Até porque eles precisam perceber que há muitas pessoas interessadas em saber sobre empresas cruelty free.
      Me pareceu que a empresa não dá muita importância para essa questão!
      Beijos

      Excluir
  4. Mais um susto! Ainda bem que tudo se esclareceu, mas ainda assim fiquei com um pé atrás com a marca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Ana! Já estávamos discutindo sobre a marca em um grupo de veganismo há meses! Eles ignoraram todas as nossas tentativas de contato com a empresa. E só esclareceram essa questão depois que eu resolvi divulgar. Também fiquei com um pé atrás.

      Excluir
  5. Nossa ainda bem que eles esclareceram a situação, seria uma grande decepção descobrir que perdemos mais uma empresa.
    Mas se eles não testam porque então não respondiam os comentários e deletaram alguns? Estranho né =/

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.