Resposta às falácias de quem defende testes em animais


Uma leitora me enviou o link de uma blogueira que escreveu um post defendendo o uso de produtos testados em animais. Como o texto estava recheado de clichês e vários argumentos ingênuos que infelizmente convencem muitas pessoas, resolvi fazer um post com a minha réplica.

Confesso que eu já acompanhei esse tipo de blog no passado, mas hoje eu não consigo mais acessar e dar ibope para tanta coisa fútil e ver a alienação dos leitores. É lamentável que blogueiras como elas, com mais de 100 mil fãs, façam posts divulgando casacos de pele, defendendo testes em animais etc. É incrível o poder que elas tem de formar opinião. Seria porque elas falam o que as pessoas gostariam de ouvir? Essas pessoas não só defendem maus tratos contra animais, como o nível da argumentação é baixíssimo, tanto das blogueiras quanto dos que comentam! Parece discussão de sites de notícias como Yahoo!

Torço para que surjam mais blogs sobre veganismo e direitos dos animais!

Eu li um texto muito interessante de um cara que o Fábio Chaves (fundador do site Vista-se) compartilhou no Facebook dizendo: "o que mais tem por aí é gente que acha que os outros são hipócritas porque teve o primeiro contato com um assunto, analisou as coisas com a superficialidade de uma ameba e se achou o Sherlock Holmes da contradição ideológica. O tema de libertação animal é um prato cheio pra encontrar gente desse tipo. As pessoas pensam por 5 minutos sobre libertação animal, se acham o gênio que vai ter uma ideia inédita e fantástica que derrubará toda a lógica defendida há décadas pelos ativistas". Esse pensamento descreve muito bem a situação. As pessoas tratam o veganismo e o direito dos animais como se fosse um assunto recém-criado e seus ideólogos não soubessem o que defendem.

Tendo dito isso, meus comentários sobre o post da blogueira são:

1) A enorme maioria das pessoas que dizem que "tu-do" já foi testado um dia e chama os veganos de hipócritas, acha que defendemos a ideologia de pureza, de que não podemos usar nada que já foi testado um dia. Para elas, se somos 98% veganos, somos hipócritas. Essas pessoas defendem que "se não podemos fazer tudo, o melhor é não fazer nada", ou seja, se não podemos proteger 100% dos animais o tempo todo, o mais correto então é matá-los e explorá-los indiscriminadamente para não sermos hipócritas.

Veganos não defendem que se mude o passado. Defendemos a mudança no presente e no futuro. Se produtos foram testados em animais no passado, paciência. Não há nada a fazer quanto a isso a não ser aprendermos a lição para não repetirmos no presente e no futuro os erros do passado. Lutamos para que a realidade dos animais de laboratório mude a partir de agora. Passado é passado, não dá pra mudar.

De acordo com a lógica defendida por ela, se alguém for contra a escravidão não deveria visitar cidades construídas por escravos (Ouro Preto, Tiradentes etc). Ou pior, seria como supor que devemos ter escravos HOJE porque no PASSADO várias coisas foram construídas através de mão de obra escrava.

Desfrutamos de várias coisas que um dia já foram fruto de crueldade com humanos. Mas isso não nos torna cúmplices das atrocidades passadas. O mesmo se aplica aos testes em animais. Se hoje desfrutamos de cosméticos que possuem ingredientes que passaram por testes em animais no passado, devemos lutar para que HOJE não se faça mais testes. E uma das formas de lutar é o boicote às empresas que ainda fazem testes. Não é se sujeitando a usar produtos dessas empresas, alegando que tu-do já foi testado, que mudaremos a realidade do presente e do futuro. O projeto de lei que tramita na câmara e aguarda a sanção do governador de São Paulo não existiria se a mentalidade da sociedade fosse: "já que tudo foi testado um dia, não tem como mudar a realidade". A sociedade é responsável por manifestar a insatisfação e cobrar atitudes das autoridades. Quando as leis em defesa dos animais são frouxas ou inexistentes, a mudança deve vir da sociedade. É muito cômodo esperar que as empresas e o governo tomem alguma providência, enquanto não se faz nada para mudar a realidade.   


2) Ela defende que não pode restringir o blog a produtos cruelty free, pois dessa forma não conseguiria se sustentar e pagar as contas. É a mesma desculpa usada por carroceiros que exploram cavalos, açougueiros, pecuaristas e até mesmo traficantes de drogas.

Argumentar que explorar animais não é errado quando se faz isso por sobrevivência é um dos piores argumentos que eu já vi, ainda mais quando "sobrevivência" significa viver de blog que divulga cosméticos. 99,9999% das pessoas que exploram animais o fazem para ganhar dinheiro e sobreviver! O dono do circo usa elefantes pra que? Pra ganhar dinheiro!


3) Mas por que essa blogueira defende tão avidamente os testes em animais? Porque veganos são hipócritas? Porque TU-DO é testado? Não. Ela entregou o verdadeiro motivo ao dizer "Outro ponto importante, é que este é o meu trabalho. Meu trabalho é testar produtos de beleza e eu não tenho condições de ficar restringindo meu acervo com marca x,y,z… É muito fácil falar se você não depende disso pra pagar suas contas". Uma blogueira que ganha dinheiro em cima de empresas que fazem testes em animais não pode escrever um texto contra os testes, ora! É o ganha-pão dela. É tão absurdo como esperar que o dono da Friboi fosse a favor do vegetarianismo e fizesse uma propaganda sendo a favor da dieta vegetariana. Como um canal de TV que é patrocinado pela Itambé, Sadia e Friboi poderia fazer propaganda contra a exploração de animais por empresas? Obviamente os patrocinadores ficariam bastante insatisfeitos caso isso ocorresse. O mesmo acontece com essa blogueira. Se ela escrever um texto atacando empresas que fazem testes, ela não vai receber patrocínio da Neutrogena. Ela defende os próprios interesses, ou melhor, ela quer continuar ganhando DINHEIRO, e se pra isso for necessário machucar animais indiretamente, que seja!


4) "Não consigo parar de comer carne, mas respeitem a minha opinião! O mundo nunca vai deixar de explorar animais"

Essa é uma prova de como o nível da argumentação dela é sofrível. É um dos argumentos mais rasteiros para defender a exploração de animais. Até quando vamos ver as pessoas achando que deixar de comer carne pelos animais é questão de opinião? Como escrevi na aba "FAQ veganismo", de um ponto de vista ético, as ações que prejudicam outros não são questões de escolha pessoal. O assassinato, o estupro, o abuso de crianças e a crueldade para com os animais são atitudes imorais. Nossa sociedade incentiva hoje o hábito de comer carne e a crueldade nas unidades de criação de animais, mas a história nos ensina que esta mesma sociedade um dia encorajou a escravidão, o trabalho infantil e muitas outras práticas agora universalmente reconhecidas como imorais.

Comer carne nos dias de hoje não é questão de necessidade. A partir do momento que sabemos que os nutrientes podem ser perfeitamente supridos com uma dieta vegana (com aval do Conselho Regional de Nutrição e vários orgãos internacionais de nutrição), quem come carne hoje, o faz porque sente prazer em saborear.

Fica então a questão: temos o direito de machucar outros seres por prazer? Por que pedofilia não é uma mera questão de escolha pessoal mas matar animais para sentir um gostinho bom ou para ter cílios mais volumosos seria?

O mundo um dia vai ser livre de corrupção, por exemplo? Não sei, mas isso não nos impede de lutarmos contra a corrupção e de nos indignarmos quando mais um escândalo é divulgado. Ninguém usaria um argumento desse para justificar a corrupção, então por que ele seria válido para justificar a exploração de animais?

Dizer que o mundo nunca vai mudar 1 dia depois de SP conseguir a proibição dos testes em animais é dureza, né?

5) "Não adianta pintar um mundinho cor de rosa onde você vai deixar de usar tudo o que testa em animais, pelo simples fato de que TUDO É TESTADO, não entendo o porquê dessa fixação e concentração de energias na indústria cosmética. A tinta do mouse que eu estou usando nesse momento já passou por teste em animal, gente!"

Defender a estagnação da ética só porque a blogueira em questão ganha com isso? Ela acha que o mundo não precisa mudar, principalmente em relação a questões envolvendo a fonte de renda dela ou prazeres fúteis derivados da exploração de animais. É muito fácil nós, brasileiros, sermos contra touradas na Espanha ou matança de golfinhos no Japão, por exemplo, afinal quem aqui come golfinho ou vai à touradas? Aí é fácil ser contra, já que a nossa vida não será afetada caso essas práticas sejam extintas. Mas quando falamos sobre a extinção da pecuária ou dos testes em animais, o povo aqui fica todo agitado e todos começam a inventar mil e uma desculpas para defender porque essas práticas devem ser mantidas, afinal nós aqui nos beneficiamos desse tipo de exploração.


6) "Os testes em animais são benéficos aos seres humanos"

Podem existir benefícios que não seriam obtidos sem a exploração de animais? Sem dúvida. Do mesmo modo que estamos perdendo inúmeros benefícios pelo fato de considerarmos inaceitável toda e qualquer vivissecção humana para começo de conversa. Já pensaram na possibilidade de Hitler ter vencido a Segunda Guerra Mundial? Seria bastante provável que as técnicas cirúrgicas fossem muito mais eficientes do que as que atualmente dispomos. Sem contar que não haveria fila de transplantes de órgãos. Não seria um mundo ideal, pelo menos para quem tivesse a fortuna de ser ariano?

Certamente um humano seria o modelo ideal para a produção de medicamentos e técnicas cirúrgicas, por exemplo. Por que abrimos mão desses resultados? Ética, pura e simples. Não há outro motivo.

E se não é ético testar em humanos, mesmo que os resultados científicos sejam interessantíssimos e várias pessoas se beneficiariam desses resultados, por que se torna ético testar em animais? 

Como testar em humanos não é ético, os cientistas pensaram em um método substitutivo: os animais. Basta portanto que haja interesse da sociedade para que os cientistas criem um método substitutivo. Não estamos propondo a estagnação da ciência. Queremos que os cientistas avancem e criem modelos que não utilizem animais.

Sobre a questão dos testes serem "um mal necessário", falei mais sobre isso nesse link.


Essa imagem resume bem o texto da blogueira:

Gênios!

114 comentários:

  1. Eu quase vomitei -literalmente- lendo aquele texto. Acho que nunca tinha lido tanto absurdo em minha vida!
    Obrigada pela réplica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Angela, eu acho mesmo revoltante ler tanto absurdo dito publicamente e não replicar. Que bom que gostou!

      Excluir
    2. Ah, fiquei sabendo desse texto pelo seu blog Eliana e nem fui ler o mesmo. Sabe como é né? A gente, que está nesse meio, já sabe o que vai estar escrito lá. Na de novo, sempre o mesmo papo sem sentido. O problema, como você disse, é que muita gente acaba sendo influenciada por esse tipo de texto. Depois que a pessoa enfia uma coisa na cabeça é difícil ela mudar de ideia mesmo lendo argumentos muito bons do outro lado.

      Excluir
  2. Excelente comentário! parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Stella!! Fico feliz que tenha gostado.

      Excluir
  3. Oi Eliana, parabéns pela iniciativa de fazer esse post.

    Engraçado como quando se fala sobre Direito Animal, qualquer economista, jornalista, químico e até "filósofo", pensam que estão em contato com um assunto trivial, escrevendo os mesmos argumentos refutados há décadas. Quem, nessa fase do instituto royal, não ouviu o argumento da Casa em Chamas? Dizem: "Quem você escolheria, seu filho ou o cachorro? - Logo, é correto explorar animais". Mas nunca tem uma boa resposta quando se refaz a pergunta: Quem você escolheria, seu filho ou um judeu? Logo...

    Sobre a questão 4: as pessoas não sabem a diferença entre opinião pessoal e questão ética, nós, enquanto sociedade, não somos incentivados a questionar crenças fundamentais como por exemplo: por que o racismo é errado; por que a morte é ruim? etc. A partir dessa falta de fundamentos em questões básicas, uma série de outras crenças são formadas sem um bom pilar de sustentação - e dá-lhe Falácia Naturalista no item 5.

    Outra coisa que incomoda é a frase: "eu sou amante dos animais". Que tal entrar em contato com o conceito de respeito/igual consideração de interesses? Mas aí teria que estudar um bocadinho, o que não seria problema pra que "ama" os animais né?

    Enfim, quanto a gente pensa que o post da blogueira terminou começam os comentários. Meu deus!

    Um abraço e belo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cney, obrigada!

      Gosto muito dos seus comentários.
      Eu poderia ter citado várias falácias como essas que você citou, mas o texto ficaria muito longo. Talvez eu faça uma segunda parte, incluindo essa e outras. Também gosto muito da falácia do apelo à emoção recorrente no discurso especista que sempre acaba batendo na falsa dicotomia das nossas criancinhas queridas e rosadinhas com câncer versus pragas que são os ratos de laboratório.

      Até quando o veganismo será considerado uma opinião e não uma obrigação ética? Acho que essa é a parte que as pessoas tem mais dificuldade em entender.

      Amante de animais = amante de cachorros e gatos de raça. Haja paciência!

      E essa parte dos comentários, é como a Bonnie diz, tem que baixar um espírito masoquista para conseguir ler. rs

      Abraços.

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Oi Lívia,
      Apesar de você ter deletado o comentário, vi o meu e-mail e acho pertinente respondê-lo aqui.

      Primeiramente, que bom que você entende que não é legal usar produtos testados em animais e concorde que a blogueira falou vários absurdos. É muito legal da sua parte procurar usar produtos veganos e eu acho que você tem potencial em se tornar vegana, mas precisa apenas esclarecer mais sobre direito animal.

      Eu acredito que você esteja equivocada ao achar que a proteína animal seja essencial à saúde humana. Antigamente os livros de nutrição e medicina indicavam mesmo o consumo de animais, mas hoje a ciência evoluiu bastante nesse aspecto e existem inúmeros estudos científicos os quais mostram que uma dieta vegana bem planejada não só é viável, como é saudável e pode prevenir várias doenças. Recomendo a leitura do parecer do Conselho Regional de Nutrição e a posição da ADA a respeito das dietas vegetarianas e veganas. (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19562864 e http://vista-se.com.br/.../conselho-regional-de.../)

      Quanto ao abate humanitário, é preciso ter em mente que não é possível colocar humanitário e morte na mesma expressão. Quando é com humanos, as pessoas defendem a abolição. Ninguém queria a regulamentação da escravidão. Ninguém quer melhores condições de trabalho para as crianças. Ninguém quer estupro humanitário. Quando é com humano e a gente acha algo errado, defendemos imediatamente o FIM da violência. Mas com animal não. As pessoas fazem de tudo para manter o animal na condição de explorado. É free range pra cá, regulamentação pra lá, abate humanitário acolá... Por que a abolição não pode ser considerada? Fica claro o oxímoro, se é morte de um animal saudável, que quer viver, que luta para continuar vivo, que sofre e sente prazer, não há como ser humanitária.

      Se abate humanitário fosse legal, as pessoas levariam os filhos de 4 anos pra ver o boi e o porco sendo mortos no abatedouro fiscalizado. Acha que no modelo de abate humanitário os porcos não são castrados sem anestesia? Que os bois não são privados de liberdade e tem os chifres cortados sem anestesia? Menos crueldade não é a solução. A solução é não explorar e não matar.

      Considerando que estamos num país onde as leis de defesa dos animais são uma piada e o número de abates clandestinos significam cerca de 50% do total (http://www.fearp.usp.br/egna/resumos/AzevedoFurquim.pdf), como você se certifica que toda a carne, laticínios e ovos são regulamentados?

      A melhor forma de ajudar os animais é não matando e financiando empresas que matam. É uma ilusão achar que os animais são super bem tratados, visando apenas o lucro dos exploradores. Onde há exploração, não há respeito e compaixão.

      Vamos à polêmica levantada por você:
      Quanto a sua alegação de que na bíblia deus fez os animais para nos servir (e você acrescenta a sua opinião de que deus não quer que abusemos deles, porque isso não está escrito em nenhuma passagem), eu discordo 100%. Primeiro porque não acredito que a bíblia seja um livro o qual podemos basear nossos atos. Por que Jesus não condena a escravidão na bíblia e ainda diz que os escravos merecem chicotadas (Lucas 12:47-48)? Por que não há nenhuma menção de que é errado estuprar? São perguntas como essas que me fazem não acreditar que a bíblia seja um livro de bondade. Mas, é claro, essa é a minha opinião.

      Além disso, considerando que deus tenha realmente feito os animais para nos servir, por que capacitá-los de sentimentos, de capacidade de sofrer, de consciência, de vontade por liberdade e interação com membros da mesma espécie e interesse em não morrer? Não era mais justo se deus os fizesse desprovidos de senciência (como as plantas) e sem vontade de viver para que nós pudéssemos explorá-los de forma ética? Eu não posso aceitar que esse mesmo deus que cria animais para servir humanos seja um deus de bondade.

      Excluir
    3. Eu entendo que explorar animais nos é muito confortável, por isso lutamos com unhas e dentes para não abrirmos mão da condição de explorador. Será que não dá para continuarmos a explorá-los, mas de uma maneira um pouco diferente da atual, mas que nos permita simultaneamente obter paz de consciência e os produtos que tanto desejamos? Infelizmente não dá. Em qual produção de leite o bezerro macho não é separado da mãe e depois descartado? Dica: sempre que for analisar uma situação de exploração, coloque-se no lugar da vítima, porque quando analisamos a situação do ponto de vista do explorador, é fácil inventar desculpas para manter as coisas como estão. Já quando somos a vítima...certamente essas desculpas já não seriam tão convincentes assim.

      Além disso, é bastante temeroso justificar ações baseadas em religião, porque religião cada um tem uma, e cada religião diz uma coisa diferente. Se aceitarmos a sua argumentação, estarem nos abrindo um precedente bastante temeroso. Se aceitarmos a exploração de animais porque a sua religião tolera isso, uma outra religião pode tolerar a exploração de mulheres, por exemplo. Se uma religião tolera exploração de mulheres, fica justificado explorá-las então? A sua religião diz que não há problema em explorar animais porque deus os fez para nós. Mas uma outra religião diz que cães são impuros e devem morrer. Vamos aceitar isso? Boa parte dos problemas do mundo vem exatamente da argumentação religiosa "mulher não pode dirigir nem votar!", "essa terra é minha, foi deus quem me deu!", "adúltera devem ser apedrejados!", "gays não podem se casar! É abominação!", "morte aos infiéis, essa é a regra da minha religião e eu acredito nisso", e por aí vai. Se aceitarmos a sua argumentação religiosa em relação aos animais, devemos aceitar todas, o que será um caos. Prefiro manter religião longe de discussão racional.

      Excluir
    4. Inacreditavelmente racional sua argumentação, Eliana. Muito raro encontrar alguém que desenvolve seu raciocínio de forma tão limpa e coerente. Precisei parabenizar você apesar de somente ter encontrado esse post hoje, tanto tempo depois de ser escrito. De qualquer forma, quis deixar minha admiração.

      Excluir
  5. Compreendo que este tipo de artigos aborreçam bastante porque vão contra a mensagem que nós, como defensores dos animais e dos seus direitos, pretendemos transmitir, mas penso que para mostrarmos que temos razão temos de deixar um pouco as emoções de lado. Como emotiva que sou bem sei como é difícil, mas acredita que dá mais frutos. Eu comentei no blogue que defende os testes em animais e expressei-me utilizando provas irrefutáveis de investigadores que estão inseridos na área científica e médica: com certeza que eles têm mais experiência do que eu no assunto :)

    PS: testar em humanos não é ético se for feito como faz-se com os animais; forçadamente. A Lush, que é uma marca de cosméticos minimamente espectacular, requer voluntários que aceitam fazer testes por sua livre vontade e após assinarem uma declaração. No geral pede-se uma pequena camada da epiderme que é retirada sem qualquer vestígio de dor, e considero que assim é que devia ser realizado em todas as empresas de cosméticos, sem contar que existem muitas mais alternativas que podem ser usadas mais além, como no ramo farmacêutico e da medicina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mel,

      Infelizmente alguns dos testes em animais dão certo. Podem não dar 100% certo, mas é um modelo que os cientistas ainda consideram como confiáveis. Não acho que argumentar a respeito da ineficácia dos testes em animais seja um ponto válido.

      A nossa melhor argumentação é a ética. Mesmo que os testes em animais fossem 100% eficazes, ainda assim não seria ético. Por isso quando questionamos porque é aceitável testar em animais e não é ético testar em humanos (mesmo que obtivéssemos melhores resultados) não há um argumento sequer que consiga refutar.

      Excluir
    2. Ah sim! Adoro a Lush! Eles são ótimos.

      Somos cobaias das empresas, mesmo sem querer. Já reparou que alguns produtos tem no rótulo escrito "prova de toque"? Antes de usar, é recomendado fazer a prova de toque para se certificar que não irá causar nenhuma alergia ou irritação. Isso nada mais é que teste ético em humanos.

      Excluir
    3. Olá Eliana,

      assim como tu, o problema ético é igualmente a primordialidade que tenho em relação aos testes em animais, bem como os restantes ramos que formam a árvore especista. Somente considero que a ineficácia complementa mais a esfera neste assunto do que a sua antítese e por isso utilizo-a para fortificar ainda mais os vários argumentos que facilmente refutam a continuidade dos testes em animais. Muitos investigadores, desde biólogos, a psicólogos, veterinários, entre outros, que encabeçaram testes e experimentações em animais acabaram por concluir que são realmente desnecessários. Mas acima de tudo a questão ética, obviamente :)

      Se formos a ver até cobaias de produtos testados em animais somos: quem nunca leu teste numa pequena área num folheto da Veet, por exemplo? Se os testes em animais são assim tão seguros para as empresas continuarem a financiá-los, não compreendo este alerta :o *ironia*

      Eu gosto da Lush também *-* sempre que lá entro apetece-me comer aquilo tudo u.u
      Vou continuar a visitar por aqui :) eu coloquei há uns dias o aplicativo para as pessoas poderem seguir o meu blogue, pelo que se apreciares as publicações que escrevo estás à vontade :)

      Ontem escrevi sobre um medicamento que teve um efeito hediondo nos consumidores e uma lista de alternativas - para calar certas bocas que insistem que tais alternativas aos testes em animais não existem - mas também salientarei o ponto de vista ético noutra publicação.

      Excluir
    4. Olá Mel,

      Eu entendi e concordo. Existem muitos argumentos que sustentam a causa, não é só a ética. Há muitos cientistas que alegam que os organismos de ratos são diferentes dos nossos e reagem de formas distintas. Existem remédios que agem de forma totalmente diferente num cachorro e num humano.

      Eu adorei o seu blog! Obrigada por visitar aqui!

      Excluir
  6. E outra coisa: Os testes em animais são benéficos aos seres humanos. Com isto só respondo: talidomida.

    Vale a pena também frisar que se os testes em animais fossem levados 100% a sério, ainda hoje os diabéticos não receberiam a insulina que necessitam e muito menos teríamos a vacina contra a poliomielite, cuja utilização nos seres humanos foi atrasada 40 anos por cometer uma reacção adversa nos macacos. Benéfico é a boca fechada de quem vomita essas barbaridades, ora mais essa -.-

    ResponderExcluir
  7. Oi, Eliana.

    Você foi espetacular...mas eu queria te parabenizar mais ainda porque você teve coragem e atitude de se expor e defender a causa...Ainda bem que o mundo conta com pessoas assim como você. Seu trabalho é muito importante para nós.

    Bjs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Denise,
      Obrigada! Sei que as pessoas não costumam lançar críticas umas às outras tão abertamente, não sei se por medo ou demagogia. No entanto, não acho que esse seja o melhor caminho. Se as pessoas acham que tem direito de expôr opiniões absurdas publicamente e não recebem críticas, é criada uma carta branca a milhares de pessoas que formam opinião a partir de blogs e formadores de opinião. Como diz a frase, o silêncio só ajuda o opressor, nunca a vítima.

      Percebo que hoje as pessoas dizem que gostam de ouvir pessoas com pontos de vista diferentes dos delas mas, na verdade, só procuram a aceitação dos argumentos, nunca a refutação ou contra-argumentação. E foi isso que eu percebi com essa blogueira.

      Excluir
  8. Oi Eliana, tudo bem? Eu queria aproveitar a deixa do que vc disse "Torço para que surjam mais blogs sobre veganismo e direitos dos animais!" pra dizer que criei um blog de beleza ética. Faz pouco tempo, é um blog "bebê", mas tenho vários projetos... eu só mostro produtos cruelty-free, e só resenho veganos. Dá uma olhada =) www.maquiagemdebonita.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória,
      Que lindo o seu blog! Amei, achei tudo muito fofo e bem feito. Parabéns pela iniciativa! Precisamos mesmo de mais blogs assim. Vou divulgar!
      Beijos

      Excluir
    2. Que legal! Tenho que voltar a postar no meu...

      Excluir
    3. Vitória, gostei muito do seu blog, pena que não tem mais atualizações :'(

      Excluir
  9. Eliana, seu desabafo é o meu desabafo. Apesar de eu não ter metade da sua paciência, sei que é importante que ativistas pelos direitos animais tenham paciência (muita) e estejam dispostos a refutar essas falácias. Não sei quem é a blogueira em questão, mas suponho que tenha um alcance razoável, se afirma que "vive disso" - ou seja, vive de receber dinheiro de marcas que testam em animais. Legal. Ao mesmo tempo, afirma ser contra qualquer tipo de teste se diz "amante dos animais" e ainda diz que "faz o que pode por eles". Oi? Só um pouco contraditório isso aí, hein?
    Esse post dela foi mais que um desserviço. Foi uma carta branca para as leitoras/seguidoras/fãs dela assumirem a mesma postura. Foi o mesmo que dizer: "É ok testar em animais, não se preocupem! Todo mundo testa!" Ainda não concluí se é ignorância ou simplesmente má fé, mas tendo a enxergar esse post enorme cheio de contradições e defesas do indefensável como uma tentativa de justificar pra ela mesma sua postura de fazer vista grossa porque convém. Isso é desonestidade intelectual.

    Mas ela até que foi corajosa, pelo menos. Desde o resgate do Royal, não vi blogueira se manifestar a respeito, sequer citaram o que estava acontecendo. Todas fazendo cara de paisagem e fingindo que não têm nada a ver com o assunto. Ninguém quer perder o jabá da L'Oréal, né?

    Ah, aqui é a Luiza Feminazi do Facebook! :P

    Um beijo e parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza, gosto muito do que você escreve e me identifico com vc!

      Eu adoro debater, acho que aprendemos muito ao debater, principalmente a defender melhor nosso posicionamento. Se eu não debatesse, talvez seria ovo-lacto até hoje e defenderia o bem estarismo. Ao sermos confrontados, temos a oportunidade de rever nossas ideias. E admitir que podemos estar errados e mudar. É preciso muita paciência já que muitos não tem a humildade de admitir que podem estar errados.

      Eu também achei que o que ela fez foi um desserviço à causa animal e eu não poderia deixar de manifestar minha indignação. Talvez ela tenha tido má fé e ingenuidade. Má fé por não querer atacar empresas que testam e ingenuidade por achar que o governo e as empresas são os responsáveis por mudar a forma que os animais são tratados.

      Eu vi que algumas blogueiras se manifestaram contra os testes. Não sei se você conhece o blog da Nicole (makeupoverday), mas ela passou a usar somente produtos cruelty free. Ela conseguiu enxergar que apoiar empresas que testam não é legal. Mas eu não esperaria que as outras blogueiras fossem se manifestar contra os testes. Tem gente com mais de 300 mil fãs que faz "look do dia" com casaco de pele... o nível de insensibilidade chega ao hard.

      Beijos e obrigada pelos ótimos comentários!

      Excluir
  10. Excelente resposta à blogueira que é fruto da cristalização do pensamento filosófico de que o animal é máquina e o homem, um ser excepcional para o qual a natureza foi criada. Felizmente pessoas como você e outros que vêm lutando para iluminar a nossa civilização com um pensamento mais científico de que o homem, a despeito de um certa sofisticação mental, nada mais é do que um elo da cadeia evolutiva, com certeza contribuirão para um mundo melhor.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rosangela,
      Obrigada pelo comentário!
      Esse pensamento utilitarista de Descartes é muito pernicioso. Antigo, mas ainda muito usado hoje em dia... é totalmente refutável. Espero que as pessoas com esse tipo de pensamento possam refletir e mudar.
      Beijos

      Excluir
  11. Eu não viria me manifestar caso tivesse apenas expressado sua opinião envolvendo o tema sem mencionar meu nome. Mas apesar das muitas ofensas a mim contidas nesse texto, vou deixar de lado o que eu diria à você e focar no assunto do debate:

    Diferente do que você fez seu texto parecer em diversos pontos (E até afirmou no item 3!), eu em momento algum disse que sou a favor dos testes em animais e muito menos da crueldade contra eles. Você o tempo todo manipulou totalmente as palavras a seu favor, como se eu fosse positiva em relação a que nada mudasse em termos de leis e na forma de produção e comercialização dos produtos.

    Você aborda a indústria cosmética como uma futilidade, mas não adianta, o mundo que formamos depende disso. Se essa indústria acabar, o mundo vira um caos. As pessoas falam, falam, falam, mas dúvido que qualquer um de nós consiga deixar de usar pelo menos 1 item para a beleza! Nem que seja um protetor solar, pois o mesmo é um cosmético. Na hora de discursar é futilidade mas na hora de deixar de usar... Quero ver quem realmente deixa.

    Em relação ao meu trabalho, realmente, ele é importante. Mas não defendo o uso por causa dele. Se eu não fosse blogueira, teria essa mesma posição. Me acharia uma hipócrita de não usar maquiagem de marca x mas continuar comendo carne. Mas isso eu não tenho que te provar. Foi um absurdo me comparar a alguma atividade onde a pessoa ativamente maltrata um animal. Não é o meu caso. Se eu maltrato indiretamente, você também maltrata pois esse mundo 100% cruelty free que você prega, ainda não existe. E se você quer acreditar nisso, eu não concordo, mas diferente de você, eu respeito. O problema, é que muitas vezes, pessoas como você querem enfiar suas verdades guela abaixo e qualquer um que discorde em algum ponto acha ok "matá-los e explorá-los indiscriminadamente".

    Em relação a minha alimentação, o fato de você achar que isso não é questão de opinião, já é uma opinião! O que pra você é questão ética, você tem que debater com os poderosos e não comigo. E para isso, eu estou dentro. Enquanto isso, vou vivendo na REALIDADE. Gostaria muito de ter força de vontade pra não comer animais porque eu também não acho isso lícito. Mas tenho coragem pra assumir que não tenho e ponto! Ao menos não sou hipócrita.

    E pra finalizar, acho válido você desvincular o ponto 6 do meu post, pois nele, em momento algum eu disse que testes em animais são eficazes em humanos.

    Rebeca Brait

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rebeca, acho que você não sabe interpretar texto.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. O que vc não entendeu, Rebeca, quando disse "Se eu maltrato indiretamente, você também maltrata pois esse mundo 100% cruelty free que você prega, ainda não existe", é que a Eliana sabe que não dá pra ser 100% cruelty free, 100% vegan, porque tem coisas que fogem do nosso controle. Mas ela tenta. Tudo que estiver ao alcance, ela vai fazer! Você disse que este mundo "ainda" não existe. Pode ter certeza de que, se ele um dia vier a existir, é por pessoas como a Eliana, que se importam de verdade e fazem de tudo para agir da maneira que acreditam.

      Excluir
    4. “Eu não viria me manifestar caso tivesse apenas expressado sua opinião envolvendo o tema sem mencionar meu nome. Mas apesar das muitas ofensas a mim contidas nesse texto, vou deixar de lado o que eu diria à você e focar no assunto do debate: “

      Eu não te ofendi, não fui grossa, não usei linguagem de baixo calão, não ofendi sua pessoa. Eu critiquei suas ideias e, pelo que eu saiba, não existe nenhum problema em rebater argumentos ruins publicados para milhares de leitores.

      As pessoas hoje em dia querem apenas “jogar confete” umas nas outras. Falam em público o que querem e esperam receber apenas elogios ou, na pior das hipóteses, uma crítica leve e superficial, no melhor estilo “pisando em ovos”. Mas quando a crítica é feita de forma um pouco mais veemente e sincera, as pessoas se sentem ofendidas, como se a crítica fosse direcionada à pessoa e não às ideias.

      Eu não retiro uma palavra do que eu disse. Achei os seus argumentos fraquíssimos, ingênuos, superficiais e é importante que as pessoas saibam disso. Eu ouço esses mesmos argumentos há pelo menos 13 anos. É muito comum pessoas como você caírem de paraquedas num assunto achando que descobriram um argumento genial e inovador que derruba toda uma ideologia de décadas, mas na verdade só falaram bobagens que qualquer vegano com pouquíssima experiência já sabe rebater de forma consistente. Aí quando as ideias são criticadas publicamente, parece que o objetivo de quem contesta foi apenas ofender.

      “Diferente do que você fez seu texto parecer em diversos pontos (E até afirmou no item 3!), eu em momento algum disse que sou a favor dos testes em animais e muito menos da crueldade contra eles. Você o tempo todo manipulou totalmente as palavras a seu favor, como se eu fosse positiva em relação a que nada mudasse em termos de leis e na forma de produção e comercialização dos produtos.”

      Resumindo, o seu texto diz o seguinte “TU-DO é testado, não faz sentido pessoas comuns exigirem o fim dos testes, o mundo não é cor-de rosa, uso produtos tesados sim, acho bobagem boicotar empresas que testam, ganho dinheiro divulgando produtos de empresas que testam e não pretendo parar, mas... mas sou contra os testes!”.

      Ora, você é contra os testes? Faça-me o favor, né? Uma pessoa não precisa escrever explicitamente “sou a favor dos testes, os animais que se danem”, para expressar o que pensa. Isso pegaria mal pra qualquer um. O que você fez então? Usou um milhão de argumentos para passar a seguinte mensagem sem precisar dizê-la explicitamente: “ser contra teste em animais e boicotar empresas que testam é uma bobagem. Continuem usando o que bem entenderem que não há mal nenhum nisso.”

      Você é contra a forma como os animais são tratados nos abatedouros, mas não dispensa uma picanha e acredita que se recusar a comer animais é viver num mundo cor-de-rosa, onde os animais nunca serão tratados com dignidade. Será que é tão difícil perceber que isso não faz o menor sentido?

      Excluir
    5. “Você aborda a indústria cosmética como uma futilidade, mas não adianta, o mundo que formamos depende disso. Se essa indústria acabar, o mundo vira um caos. As pessoas falam, falam, falam, mas dúvido que qualquer um de nós consiga deixar de usar pelo menos 1 item para a beleza! Nem que seja um protetor solar, pois o mesmo é um cosmético. Na hora de discursar é futilidade mas na hora de deixar de usar... Quero ver quem realmente deixa.”

      O meu blog é 80% dedicado a cosméticos e a produtos de beleza. Como eu seria capaz de dizer que cosméticos são futilidades inúteis? Eu não estou dizendo que a indústria cosmética é uma futilidade, e mesmo que fossem futilidades, eu não acho que seja uma coisa ruim. Algumas futilidades fazem a vida ser divertida.

      O que eu disse foi que você acha aceitável machucar animais porque tem um blog e recebe para divulgar produtos testados em animais. Isso sim é que um completo absurdo. Você não se importa de usar produtos testados em animais. Você não liga se uma empresa realiza testes em animais, contanto que esteja se beneficiando disso. Essa é uma futilidade egoísta e a sua atitude como “pessoa pública” só propaga a ideia fútil de que animais estão aí pra isso.

      O que você disse no seu texto foi: “gente, não adianta ficar com esse mimimi de teste em animal, porque TU-DO é testado. Até a tinta do meu mouse é testada, por isso podem continuar comprando os produtos das marcas que testam sem peso na consciência. Machucar bichinhos é ruim mesmo, mas não somos nós que temos de tomar alguma atitude. Vamos deixar o governo e as empresas resolverem esse problema. Enquanto eles não resolvem, podem comprar o que bem entenderem. Tendo dito isso, tenho aqui um produto da Nivea que é sensacional. Comprem já!”

      Isso não é ingenuidade. É má fé e pilantragem. Se alguém te questiona dizendo que você apoia teste em animais, você se defende *marotamente* dizendo que não foi isso que disse e que a pessoa não entendeu bem o que vc escreveu, porque você realmente não disse explicitamente que é a favor dos testes. Isso é de uma desonestidade intelectual sem tamanho.

      A sua ingenuidade foi dizer que ganha jabá dessas empresas que testam. Você própria se entregou!

      Existem várias empresas que não realizam mais testes em animais, ninguém precisa deixar de usar nada, ninguém precisa voltar pras cavernas. A prova disso é o meu blog.

      "Em relação ao meu trabalho, realmente, ele é importante. Mas não defendo o uso por causa dele. Se eu não fosse blogueira, teria essa mesma posição. Me acharia uma hipócrita de não usar maquiagem de marca x mas continuar comendo carne. Mas isso eu não tenho que te provar. Foi um absurdo me comparar a alguma atividade onde a pessoa ativamente maltrata um animal."

      Antes de qualquer coisa é preciso entender que maltratar animais direta ou indiretamente dá no mesmo para o animal. Se você não testa diretamente no animal, mas financia uma empresa que faz isso, é claro que você se torna parte responsável por maltratar animais. É como dizer que é absurdo comparar quem compra produto roubado com quem vai lá e rouba. É como querer dizer que é absurdo comparar quem manda um pistoleiro matar com o próprio pistoleiro.

      E eu sei que vc não defende os testes apenas porque ganha dinheiro dessas empresas. Vc defende essas empresas porque gosta de usar esses produtos e não pretende parar por causa dos “bichinhos coitadinhos”. Por exemplo, nem todo mundo que defende o consumo de carne é dono de churrascaria. A maioria defende o consumo porque gosta do produto, não tem a mínima intenção de parar de consumi-lo e não tem o menor interesse em ver qualquer mudança no mundo.

      Excluir
    6. Não é o meu caso. Se eu maltrato indiretamente, você também maltrata pois esse mundo 100% cruelty free que você prega, ainda não existe. E se você quer acreditar nisso, eu não concordo, mas diferente de você, eu respeito. O problema, é que muitas vezes, pessoas como você querem enfiar suas verdades guela abaixo e qualquer um que discorde em algum ponto acha ok "matá-los e explorá-los indiscriminadamente".

      Eu prego um mundo 100% livre de crueldade animal, 100% livre de corrupção, 100% livre de racismo, 100% livre de estupro, 100% livre de escravidão e por aí vai. Esse mundo ainda não existe, sei disso, e é por isso que existe uma luta para tornar esse mundo um lugar melhor. Eu quero acreditar que esse mundo um dia vai ser assim e há motivos para imaginar que as coisas podem melhorar. Tanto que já melhoraram muito. Compare hoje com a idade média, por exemplo. Não matamos mais gente na fogueira, ter escravos não é mais aceitável... Imagino alguém dizendo em 1700 que escravidão humana é imoral. Certamente havia gente como vc dizendo que a escravidão nunca acabará, que isso é utopia, que o mundo sempre foi assim, que o mundo não é cor de rosa, que um monte de coisas foram feitas por escravos, que ser contra escravidão é hipocrisia já que existem vária outras formas de violência além dessa e blablabla. Hoje a escravidão não é mais aceita, mas se as pessoas naquela época agissem como vc, nada teria mudado e a escravidão estaria aí até hoje.

      Tenho certeza que vc é contra estupro, pedofilia, assassinato, roubo, corrupção, escravidão, racismo e um monte de coisas mais. E concorda com quem luta para por um fim nisso. Vc só não concorda com quem luta para por um fim nas coisas que, apesar de ruins, vc usufrui. Aí vc acha a luta perda de tempo, acha que o mundo nunca vai mudar... e pra vc tomara que não mude mesmo, né? Afinal vc está lucrando e se beneficiando em manter as coisas do jeito que elas estão. Em relação a produtos testados em animais, mudança pra vc significa prejuízo.

      O mundo não é 100% cruelty free nem em relação aos animais nem em relação aos humanos. Isso é desculpa para não fazermos nada então? Se o mundo não é 100% cruelty free, então o melhor a fazer é nãos e preocupar mais com isso e sair por aí comendo carne, usando peles, produtos testados em animais? É essa a sua lógica? Se for, acho que vc não vê problema em matar pessoas, afinal se não vivemos num mundo 100% livre de violência contra humanos, então não faz sentido nos posicionarmos contra assassinatos e demais formas de violência, não?

      Opinião não é algo que merece respeito por si só. Existem pessoas que acham que negros são inferiores e eu não respeito a opinião dessas pessoas. Nem respeito a sua de achar que já o mundo está uma merda para os animais então é hipocrisia se posicionar contra a pecuária e as empresas que testam. Não posso respeitar uma opinião do tipo: ”já que um mundo 100% cruelty free não existe, que se danem os animais, desce a picanha e me vê um rímel testado em coelhos”.

      Excluir
    7. “Em relação a minha alimentação, o fato de você achar que isso não é questão de opinião, já é uma opinião! O que pra você é questão ética, você tem que debater com os poderosos e não comigo. E para isso, eu estou dentro. Enquanto isso, vou vivendo na REALIDADE. Gostaria muito de ter força de vontade pra não comer animais porque eu também não acho isso lícito. Mas tenho coragem pra assumir que não tenho e ponto! Ao menos não sou hipócrita.”

      Comer carne é lícito. Não é ético, mas infelizmente não é ilegal.

      Quanto à questão da ética em relação aos animais ser questão de opinião, vou citar um texto do filósofo Sam Harris:

      “Por que não possuímos obrigações éticas em relação às pedras? Por que não sentimos compaixão pelas pedras? Porque não pensamos que elas possam sofrer. E se somos mais preocupados com primatas do que com insetos, como de fato somos, é porque nós pensamos que eles estão expostos a maior quantidade de felicidade e sofrimento em potencial. O principal a ser observado aqui é que este é um argumento embasado em fatos. É algo sobre o qual poderíamos estar certos ou errados. E se erramos sobre a relação entre complexidade biológica e as possibilidades de experiência então podemos estar errados sobre as vidas dos insetos. E não existe nenhuma noção, nenhuma versão de moralidade humana e valores humanos que encontrei que não é em algum ponto redutível a uma preocupação com experiências conscientes e suas possíveis variações.”
      Veja então que a definição de ética não é opinião minha. É uma definição de estudiosos e ela faz todo sentido, afinal toda evolução social que ocorreu sempre foi no sentido de minimizar sofrimento. É por isso que estupro, pedofilia, roubo, assassinato, escravidão, hoje são considerados crimes. Não foi a opinião de um Zé Mané qualquer que tornou essas práticas deveriam ser crimes.

      Percebo que pessoas como você se preocupam demais em defender a coerência. É como dizer: “Financio a morte de animais, mas pelo menos não sou hipócrita”. O importante para você é ser coerente com as suas decisões, e não tentar ser uma pessoa melhor com os animais. Segundo essa lógica, é mais importante desgraçar a vida de animais e dizer que não é hipócrita, do que ser se esforçar ao máximo para ser 98% vegano, já que não consegue ser 100%.

      Seguindo a sua lógica, se vc é totalmente contra morte humana, então deveria parar de usar carro, ônibus, combustíveis etc senão seria uma hipócrita. Pessoas morrem durante o processo de soldagem de dutos de combustíveis por exemplo. Operários morrem aos montes em indústrias. Pedreiros morrem em construções. Acidente resultando em morte em qualquer processo industrial é praxe. Ser contra morte direta de animais não anula o fato de causar mortes indiretas sem intenção. Não devemos matar intencionalmente porque não podemos evitar mortes acidentais.

      “E pra finalizar, acho válido você desvincular o ponto 6 do meu post, pois nele, em momento algum eu disse que testes em animais são eficazes em humanos.”

      Você não disse mesmo com essas palavras, mas achei válido citar o argumento que geralmente muitas pessoas usam contra quem defende o fim dos testes. Você provavelmente pensa que os testes em animais são benéficos aos seres humanos, que atualmente não tem como nós pararmos de testar em animais. Sim ou não? Então, foi por isso que o item 6 está bem colocado.

      Para finalizar, percebi que você não levantou sequer um contra-argumento do meu texto a favor do que defendemos - boicote de empresas que testam. Você não foi capaz de defender sua opinião com argumentos válidos no seu post. Gostaria que vc tentasse refutar alguns dos meus argumentos. Você não conseguiu rebater nada! O seu comentário aqui se baseou em defender a sua liberdade de expressar sua opinião.

      Excluir
    8. Eu me recuso a continuar um debate com uma pessoa inflexível como você. É como dar murro em ponta de faca! Li apenas o primeiro parágrafo e os dois últimos e decidi não perder mais 1 segundo do meu tempo. Você continua colocando palavras na minha boca e assumindo por mim, posturas que eu nunca assumi. Sua opinião a respeito do meu ponto de vista, não interfere em absolutamente nada na minha vida. Continue no seu fantástico mundo, e a vida lhe ensinará a respeitar quem não pensa igual a você. Ou, alguém que não seja tolerante quanto eu (Por enquanto!) e lhe meta um processo por alterar as palavras dela a todo momento.

      Excluir
    9. Não, Rebeca. Você se recusa a continuar o debate porque não tem argumentos que sustentem a sua opinião. E não vou nem mencionar a preguiça de ler um texto com mais de dois parágrafos (ops, mencionei!). Já ficou claro que você não sabe ser contrariada e prefere acusar todo mundo de não saber interpretar texto do que argumentar para defender seu ponto de vista.

      E, olha, eu prefiro viver no fantástico mundo da Eliana do que num mundo onde ninguém tenta fazer o mínimo de esforço para mudar alguma coisa apenas por pura conveniência. Passar bem.

      Excluir
    10. Eu já esperava uma resposta como essa. Essa é a resposta padrão de quem não sabe refutar os argumentos levantados. A ideologia vegana é mesmo irrefutável. :)

      Diante disso e sem querer ser arrogante, gostaria de te indicar 3 leituras (porque estudar nunca é demais):

      1- Economia básica. Se as pessoas param de comprar um produto, as empresas param de vender ou tentam se adaptar à demanda da sociedade. Se as empresas que testam em animais identificarem queda nos lucros e demanda da sociedade por fim da experimentação animal, certamente essas empresas irão pensar em parar de testar em animais e começarão a investir em métodos substitutivos. Se as pessoas pararem de comprar produtos roubados, os roubos destinados a venda irão parar. Será que é tão difícil pra você entender isso?

      2- Direito Animal. A questão essencial em toda essa discussão é a seguinte: qual é a característica moralmente relevante que TODOS os seres humanos possuem para serem dignos de respeito e jamais poderem ser usados como objetos que NENHUM outro ser senciente possui?
      E a resposta evidentemente será: NENHUMA. Todos os indivíduos sencientes devem ser respeitados independentemente de características como cor, sexo, inteligência, ESPÉCIE e grau de afeição que despertam nos outros.
      Sugiro à você que diz se importar com a abolição do uso de seres sencientes em pesquisas in vivo por uma questão de respeito a estes indivíduos, e não por uma mera questão de maximização de lucros ou de relações públicas, que elimine de uma vez por todas todos os frutos da exploração de animais que podem ser prontamente substituídos nos dias de hoje, a começar pelas suas refeições. Só a partir de então este discurso sobre minimização da vivissecção e males necessários (sempre sofridos por aqueles que não pertencem ao nosso clube) soará menos hipócrita.

      3- Direito. O meu texto não é passível de processos como você tentou ameaçar. Você precisa estudar mais sobre o que é ou não passível de processo! Você teve a chance de direito de resposta aqui nesse espaço e em hora nenhuma expôs onde foi que eu deturpei seu texto. Diferente de você, eu jamais bloquearia usuários por comentários que colocam na parede. Ainda assim, ninguém deturpou as suas palavras e o seu post foi bastante claro em expressar a sua opinião sem chances de outras interpretações. Sei que para você deve estar sendo difícil lidar com uma crítica na era da "jogação de confete" nas redes sociais e principalmente em blogs como o seu. Mas qualquer pessoa com um mínimo de capacidade de interpretar textos conseguiu perceber o nonsense ao dizer: "sou contra testes em animais, mas não só financio como lucro com empresas de cosméticos que fazem testes".

      Excluir
    11. Bonnie,

      Que bom que você mencionou a preguiça de ler.

      A maioria das coisas interessantes consomem tempo mesmo. Livros, filmes, discos, shows, viagens, teses... é muito difícil discutir temas complexos com frases prontas estilo conversa de facebook. Eu percebo isso mesmo. Ninguém lê quem escreve textos grandes no facebook, por exemplo. Eu não acho que podemos sempre nos comunicar através de frases prontas, frases de efeito ou textos de um parágrafo só, mas reconheço que infelizmente essa é uma tendência atual.

      Há quem diga que daqui a alguns anos a humanidade se comunicará apenas por grunhidos.

      Excluir
  12. Oi Eliana, sou nova por aqui, estava pesquisando sobre cosméticos veganos e cronograma capilar e vi este post seu, e fiquei muito feliz, pois tinha visto já o post deste outro blog que você citou acima, pois na verdade tinha o hábito de assistir à inúmeros vídeos desta blogueira, pois apesar da opinião dela sobre os testes (que só soube agora), ela sempre demonstrou muito carinho com animais, sempre me pareceu muito simples e até mesmo simpática, coisa que muitas blogueiras e youtubers não sabem ser...enfim, eu a acompanhava e seguia porque apesar dela não focar em produtos cruelty free ou mesmo veganos, eu aproveitava as dicas dela e adaptava-as à minha realidade, ou seja substituía os produtos, pois sou vegana também assim como você.
    Mas ontem quando li o post dela no blog, fiquei imensamente surpresa com o que vi...pensei inúmeras vezes em informá-la de que haviam equívocos no que ela se propôs à discursar...mas preferi o silêncio e mesmo assim me senti incomodada....me decepcionei com ela depois deste post e resolvi não acompanhar mais tanto o blog, quanto os vídeos que até hoje eu assistia também, como já mencionei.
    Por fim, gostaria de te parabenizar pela iniciativa, e sei que melhor réplica não há, você disse tudo o que realmente as veganas e veganos que por ventura leram este post, gostariam de ter dito. Adorei seu blog, continue com esse trabalho lindo que faz em divulgar o bem!!! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila,

      Obrigada pelo comentário! :D

      Não sabia quem ela era e não sabia que ela defendia cães e gatos abandonados. É triste saber que uma pessoa que ama cães não possa estender o respeito aos outros animais.

      Eu também já me decepcionei com outras blogueiras. A última foi uma menina que eu gostava de ler as resenhas e achava ela super engraçada, mas fiquei sabendo que ela comprou um filhote de cachorro e como se não bastasse, o devolveu ao Pet shop depois de 1 semana. Tratou um cãozinho como se fosse um sapato que não serviu. Percebi o quanto algumas pessoas que, aparentemente são tão esclarecidas, podem ser tão insensíveis.

      Mas eu estou vendo que estão surgindo mais blogs voltados para a causa animal!
      Beijos

      Excluir
  13. Querida, em todos os momentos que vc fala não ser a favor dos testes em animais, vc expressa uma oposição contrária, como, por exemplo, aqui “Sou contra toda e qualquer tipo de crueldade MAS acredito que o buraco é bem mais embaixo do que “deixar de consumir marcas que testam”. Isto é algo assim: "Tenho pena dos animais que são submetidos a testes cruéis, mas deixo matá-los em nome da minha vaidade", "Não sou capaz de abolir as marcas mais consagradas da blogosfera, de controlar meu consumo abusivo". As outras blogueiras não evitam produtos testados, por que eu tenho que evitar?"
    Sem contar que nesses blogs o que mais ensinado é comprar descontroladamente. As donas são assim, e esse é o exemplo que elas dão. E há pessoas se endividam para comprar tal produto "luxury" resenhado pelas blogueiras. Um produto que depois será encostado no armário.

    Enfim, se eu continuar aqui, vou descascar muito o abacaxi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juubs,

      Fico mais tranquila em ver que mais gente percebeu essa incoerência de argumentação dela. Ela me acusou de deturpar o que ela disse, mas para mim e para todos aqui, ficou bem claro a posição absurda, não há margem para interpretações diferentes.

      Concordo com você. Estamos na era das pessoas que não conseguem ter personalidade própria e ser diferentes da maioria. Eu gosto muito de blogs de beleza, mas é preciso selecionar melhor quem seguir. Nem sempre a que possui 900 mil fãs é a pessoa ideal para dar o exemplo.

      Excluir
  14. Eliana, parabéns pelo post!!! Sua argumentação foi excelente, enquanto a da outra blogueira foi lastimável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Luna!
      Fico feliz em saber que todos gostaram dos meus argumentos e acharam vergonhosos os dela.

      Excluir
  15. Eliana, só posso te parabenizar pela bela argumentação e, principalmente, pela sua paciência para debater com gente desse tipo.
    A falta de argumentos coerentes, o abuso do argumento"ad hominem" e grosseria da blogueira em questão são gritantes.

    Parabéns pelo blog, sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Graziela,
      Obrigada pelo comentário!
      Fico mais aliviada que todos perceberam o quão absurda foi a argumentação dela, já que ela me acusou de deturpar as palavras dela. Pelo visto todo mundo aqui percebeu que não dá para ser contra crueldade com animais e ainda defender produtos testados. Eu adoro debater ideias e jamais iria ofender a pessoa dela. Mas não tenho como respeitar uma opinião que defende produtos testados. É lamentável que ela não soube admitir que defendeu um ponto de vista absurdo.
      Beijos

      Excluir
  16. A Autora do Eaibeleza.com usou os mesmos argumentos, nos co,emtários se defendendo, eu BlueMary disse apos o texto dela "Comemorando o fim da pratica do testes em animais, dizendo que seu amigo xuxo agradece", o quanto acho irônico já que 90% dos produtos que ela recomenda e resenha são testados em animais, fora os pinceis que ela tanto indica da china serem porcos, fazem mal a saude e ainda de animais. Então uma reposta simples a mim e logo depois a outra leitora ela usou os mesmos argumentos do blog que você citou.
    Como se não tivesse culpa pelo que há.
    Disse a ela que ela tem uma fatia na industria que lucra com a violência em testes em animais já que ela tem como trabalho recomendar esses produtos e tem poder de comunicação as pessoas. Disse para ela não dar gritinhos de vitórias como no post, porque essa batalha não é dela...(ainda estou aguardando a moderação da resposta).
    E assim caminha a humanidade, com passos de formiga e sem vontade ... Paciência.

    Mas parabéns pelo seu artigo e post, seu meio de comunicação e divulgação e o tempo dedicado a ele. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mary,
      Obrigada pelo comentário!

      Vi o seu comentário e o da Ana Paula por lá. Estou até agora abismada por perceber que essas pessoas não conseguem entender a diferença entre passado e presente! Eu expliquei aqui de forma bem didática, a Ana Paula também explicou, mas ela simplesmente ignorou os argumentos e ainda mandou ela ler o link. Assim não dá pra dar ibope para o blog dessas meninas...

      Hoje é feio admitir publicamente que é a favor dos testes em animais, mas ninguém muda uma palha para mudar essa realidade. É mais fácil esperar que os outros lutem por eles, né? Principalmente quando os patrocinadores são L'Oreal, Maybelline etc.

      "...porque essa batalha não é dela" exatamente, tocou na ferida! Duvido que ela vai aceitar o seu comentário...

      Beijos

      Excluir
  17. Mais uma vez parabéns pela excelente tréplica!

    ResponderExcluir
  18. Ótimo texto!

    Sério, eu dei um "espiada" por curiosidade no texto dessa menina! Nossa... ela não sabe naaaaaada e afirma como se fosse dona da verdade! Dá até vergonha! O pior são as pessoas levando fé numa pessoa muito mal informada.

    O melhor é depois, ela encontra alguém que sabe muito bem do que está falando, que rebate tudo o que ela afirmou e adivinha: você está distorcendo as palavras dela, é inflexível e vive num mundo fantástico.

    Gente, amadurecer é preciso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!
      Eu já fui devidamente bloqueada do blog, porque lá só se aceitam comentários positivos...

      Me deparo com pessoas assim com bastante frequência, infelizmente. Você fala que não usa produtos testados e vem o espertão jogar na cara um tanto de coisa que mal pensou durante 5 minutos. Esse pessoal precisa ouvir argumentos, não dá para passar batido..

      Excluir
  19. Ai. O setor neutrogena da Johnson & Johnson também faz testes? No site da Luisa Mell fala só da Acuvue. Legal a sua campanha. Gosto muito dela. Ainda tenho dificuldade, não mudei totalmente a minha alimentação por causa da minha família (sou praticamente vegetariana, mas não vegana), mas reduzir muito o consumo. Por exemplo, descobri que marcas de calçados como Piccadily são melhores, são os mais confortáveis a nível nacional e não usam couro. Gosto muito de viajar e para fazer companhia a meus colegas acabo consumindo peixes e queijo. Não tenho internet em casa, então tenho dificuldades para comprar suplementos como a vit B12. Mesmo assim, estou tentando adaptar. Sei que é difícil, mas com bons exemplos e atitudes vocês promove uma mudança das pessoas ao seu redor. Mas sei que isso não é fácil.
    Não desista dos seus sonhos.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla, obrigada!

      A Neutrogena testa e está na lista da PETA como empresa que faz testes: http://features.peta.org/cruelty-free-company-search/cruelty_free_companies_company.aspx?Com_Id=2652&Donottest=-1&Product=0&Dotest=4&RegChange=-1&Country=-1&Keyword=

      Ah, eu gosto muito da Piccadilly!

      Cada um sabe de sua vida e sabe do seu tempo. Se vc ainda não sente que consegue eliminar os produtos animais, vá reduzindo até sentir confortável.
      O que eu não posso aceitar, é uma pessoa como a blogueira em questão, dizer que quem não vive num mundo 100% cruelty free é hipócrita... fazemos o que nos é possível.

      A B12 você pode comprar na farmácia ou em sites brasileiros, como o Vista-se.

      Abraços

      Excluir
  20. Li um pouco sobre a polêmica que causou alguns comentários e o fato de algumas moças serem blogueiras também. Vejo que algumas montam o blog, mas percebo que elas não gostam de maquiagem, elas gostam de cara maquiada. Então, elas não leem ingredientes e não querem saber a origem de um produto.
    Alguns blogs eu percebo que as fotos são da internet, elas não se importaram em realmente relatar algo que aconteceu.
    Um batom de uma marca que vende na internet para alérgico vou divulgado após distribuição de amostras em 3 blogs diferentes. Os três diziam o mesmo que o site da loja, praticamente foi copiado, passavam o batom, arrumavam o cabelo com muito spray e pronto. Estava lá a propaganda enganosa.
    Por isso resolvi montar o meu blog para ser mais transparente.
    Tenho uma visão muito técnica e falar para mim que existem alternativas não é o suficiente. Nós técnicos precisamos muito ver para crer.
    Que tal contar aqui quais seriam essas alternativas? Assim, as moças "carnívoras" não terão justificativa para te encher tanto o saco.
    É só uma sugestão para aprimorar sua luta. De qualquer forma, para mim você está de parabéns.
    A ignorância e preconceito são fontes de muitas brigas. Torço muito por você.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, eu concordo com você, Carla. Temos que fazer uma peneira fina de blogueiras que sentimos ser confiáveis. Percebo que nem sempre dá pra confiar numa resenha. Nem todas são honestas, até porque muitas vivem de jabás às custas dos leitores.

      Olha, não sou técnica, mas sou da exatas também e concordo, temos que ver pra crer!

      Fiz esse blog justamente para mostrar que existem alternativas veganas aos produtos de empresas que testam e/ou usam ingredientes de origem animal. Meu blog é dedicado a isso!

      Obs: Acho que já disse aqui antes, mas as maquiagens da Alva são veganas e são indicadas a quem tem alergias.

      Excluir
  21. Perdão, pratiquei meu mineirês e engoli palavras:
    "Tenho uma visão muito técnica e falar para mim que existem alternativas não é o suficiente. Nós técnicos precisamos muito ver para crer.
    Que tal contar aqui quais seriam essas alternativas? Assim, as moças "carnívoras" não terão justificativa para te encher tanto o saco."

    As alternativas citadas são alternativas aos testes em animais.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, entendi errado. Existem alternativas aos testes, basta vontade e investimento para implementá-los. A prova disso é a Europa inteira que proibiu testes de cosméticos em animais. O problema é que os cientistas ainda possuem uma visão fechada, de que devem continuar a fazendo o que fazem há anos. Hoje saiu uma reportagem muito legal sobre testes no Estado de Minas: http://www.crmmg.org.br/interna.php?n1=13&n2=28&n3=200&pagina=202&noticia=4809

      Excluir
    2. Este vídeo do George Guimarães para a Record News é muito esclarecedor: http://www.youtube.com/watch?v=JBAw2qE3rdw

      Excluir
  22. Fico muito triste com pessoas que tem um público alvo grande e muitos seguidores fazem uma merda dessa! Deixa bem claro que essas blogueiras são pagas para isso e que a beleza vale mais do que qualquer vida de um ser inocente! O Egoísmo passa bem longe da Ética! Mas tem esperança que um dia isso mude! #GOVEGAN!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Izabella,
      Eu também fico profundamente triste com pessoas que poderiam aproveitar o grande acesso para transmitir uma coisa legal, mas não, falam bobagens e fazem um desserviço à causa animal.
      Mas eu também tenho muita esperança! :D

      Excluir
  23. Não sou blogueira e nem vegana, ainda e infelizmente, porém luto pelo direito dos animais como posso, a passos de formiguinhas, ao meu redor. Porém não uso mais nenhum cosmético que fico sabendo que é testado em animais e produtos de limpeza vou atrás de marcas que pesquiso e fico sabendo que não são testados.Porém não me acho hipócrita, contribuo de alguma forma pelos direitos dos animais.Essa moça q. defende o teste em animais se esquece que o mundo evolui e isso é uma evolução, ela que está ficando para traz. Quanto a vc parabéns pelo texto que escreveu, muito inteligente e objetivo, continue escrevendo coisas inteligentes assim e sem futilidades como deve ser essa moça.Abraço.Ganhou uma admiradora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Isabel,
      Obrigada! :)
      Acho que todo mundo pode perceber isso, o mundo evolui e não é ficando calada, continuando com os mesmos hábitos do passado, que iremos mudar algo. Uma pena que nem todos conseguem chegar a essa conclusão...
      Abraços

      Excluir
  24. Ótimo texto! Não sei porque nunca escrevi algo assim no meu blog pois é algo bem interessante e necessário. Bom, na parte de abas do meu blog um dos tópicos que eu coloquei foi "Testes em animais?". Quem clicava nele era direcionado para uma página que fala sobre como são feitos os testes em cosméticos que usam animais e várias alternativas para esses testes. Bom, a verdade é que o texto da página era imenso então eu achei que não era uma boa ideia continuar com aquele link porque aposto que a maioria das pessoas, ao ver aquele texto, não tinham vontade nem de ler sabe? Muito longo e tal. Era melhor algo de mais impacto, que você batesse o olho e já visse a mensagem que eu queria deixar. Coloquei uma foto de um coelhinho torturado em testes com os dizeres "Experimentação animal. A vaidade não deveria custar tanto assim.". Todo mundo que clica absorve a mensagem. Ta certo que com o texto eles entenderiam melhor essa questão mas a maioria não tem saco pra ler eu acho... Sei lá... O que acha? Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Lorena!
      Eu gosto muito de escrever e debater ideias, principalmente quando percebo que as desculpas que as pessoas usam para continuar a explorar animais são muito comuns e as confortam.

      Acho interessante fazer as 2 coisas, mostrar fatos sobre a situação dos animais submetidos a testes e a argumentação que sustente o término. Se a pessoa não tem saco pra ler, paciência! Mas penso em fazer vídeos no futuro. Pode ser uma opção pra vc também. :)

      Beijos

      Excluir
  25. Sempre gostei muito da causa ecológica, mas não necessariamente voltada para animais. Comecei com coisas como economizar, reciclar, produzir menos lixo, não ter carro próprio, etc. Eu ainda sinto dificuldade em parar de comer carne - ai, me julguem - eu não vou ficar justificando, mas gostaria de saber mais sobre como começar, vc sai com amigos carnívoros e aí? vai viajar e o povo quer comprar arroz e carne? ou cozinha o macarrão e coloca carne moída... você já passou por situação de ter que falar "não, vou levar uma berinjela pra mim". Outra coisa são os produtos - roupas e cosméticos. Por exemplo: não queria me desfazer de coisas de couro de boi, teria que comprar outras e - me julguem de novo - acho que couro sintético dura muito menos e você acaba tendo que consumir mais e gerar mais lixo, prejudicando mais a natureza. Shampoo Johnson é um "parceiro" que eu julgo super economico pq eu uso pra tudo: sabonete, demaquilante, etcetc... foi dificil pra você renunciar a algumas coisas? e a familia, entrou na dança? Marido, Mãe,etc... A questão de veganismo eu acho que não é bem de opinião, mas de evolução pessoal. É isso que estou buscando... evoluir, infelizmente ainda não cheguei tão longe quanto muitos aqui, mas vou fazendo o que posso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Stefanie,

      Apesar do veganismo não ser uma causa ecológica, as causas estão muito interligadas. O veganismo é voltado para a ética animal, mas por tabela, a postura vegana acaba sendo uma forma de vida mais sustentável que a de quem se alimenta de carne e laticínios. Já pensou que para cada 1 kg de carne são gastos milhares de litros de água, milhares de quilos de ração, áreas enormes devastadas para pasto e áreas para agricultura voltada para ração de animais de abate? Fico imaginando o processo de produção de carne/couro. Todo o desmatamento, todos os gases do efeito estufa emitidos, a água potável utilizada (tanto para os animais beberem como na agricultura para a ração deles), toda a água suja e contaminada que esses animais retornam ao ambiente, os remédios, as vacinas, os hormônios, os agrotóxicos utilizados nas rações deles, o transporte, o processo de preparação do material animal que será utilizado, o cromo tóxico gerado na curtição do couro...

      É muito pouco provável que esse processo seja vantajoso do ponto de vista ambiental. Mas mesmo que fosse, controle de resíduos não é justificativa para brutalidade, crueldade e ato desumano. Por exemplo: matar cães de rua é muito mais vantajoso do ponto de vista de diminuição de resíduos do que mantê-los vivos. Remédios, ração, produtos para cães, cocô e xixi... qual a vantagem, do ponto de vista ambiental, em salvar cães e gatos abandonados? Ainda assim, é melhor salvar cães do que matá-los. Nesse caso, há um conflito claro entre ética e meio ambiente, e a ética vence.

      Produtos de origem animal são anti-éticos e não há salvação quanto a isso.

      Quando saio com amigos eu procuro ir para lugares onde existem opções veganas que eu posso comer (ex: hamburguerias com hambúrgueres de soja, batata frita e mandioca, comida japonesa etc). Quando eu sei que não vai existir, levo de casa ou me alimento bem antes de sair. Em viagens, se o pessoal prepara carne, preparo minha própria comida. Existem muitas opções veganas que podem ser substituídas. Se tiver arroz, feijão, salada e carne, basta você preparar uma carne vegetal, que o resto da comida dá para comer. Outro dia eu viajei para um churrasco em um sítio e levei minha salsicha e linguiça vegetal da Goshen (teve gente onívora que comeu e nem percebeu que não era de carne). Se você for comer macarrão que o pessoal está comendo, basta pedir para separar o seu sem a carne.

      Eu ainda uso uma bota de couro que eu comprei há 13 anos (sou engenheira e preciso entrar em indústrias com botas específicas). Eu poderia comprar outra de couro sintético, mas não tem motivo comprar outra se eu já tenho uma que ainda é usável. Não precisamos desfazer de todos os os sapatos de couro, perfumes, roupas etc que a marca pode ter testado algo em animal. Vc não precisa comprar mais nada e isso é o que importa pois não estará gerando mais resíduos por enquanto. Daqui para frente, se você precisar de algo é só comprar o produto vegano.

      Antigamente existia mesmo essa ideia de que couro sintético é de baixa qualidade e dura menos. Ainda bem que a tecnologia avançou bastante nesse aspecto e é possível encontrar produtos feitos com couro sintético (tipo o PU), que geralmente duram bastante.

      Excluir
    2. Quanto à geração de resíduos, esse assunto é muito complexo. Para avaliar qual couro (sintético ou animal) é mais ecológico é necessário analisar a cadeia produtiva do couro como um todo. Vc tem que colocar na balança o combustível do transporte, as florestas desmatadas, a quantidade de água usada etc etc... ou seja, é praticamente impossível para nós leigos, decidirmos qual produto é mais ecológico. É um trabalho para especialistas. Lembro que um professor de química pesquisava sobre um método de amenizar o impacto da curtição do couro de vaca no meio ambiente (os resíduos são extremamente tóxicos). E mesmo que os sintéticos gerassem mais impacto, ainda assim, quando há um conflito entre ética e questões ambientais, a ética ganha, como mostrei no caso dos cachorros abandonados. Vale para humanos também. Deficientes mentais são "um prejuízo", já que só geram resíduos e nada contribuem. Mas o ético é não matá-los, independente se geram ou não mais impacto ambiental.

      Portanto esse seu pensamento que produto sintético gera mais resíduos necessariamente não está muito de acordo! Sem falar que quase tudo que consumimos, seja de marca ou não, é produzido na China (peças de computadores, celulares, eletrônicos, materiais acabados, roupas, sapatos etc). Não tem escapatória! Olha pro seu mouse agora: tá lá "made in China"! Os tênis da Nike são caríssimos, de ótima qualidade e são produzidos em países como a China ou Malásia.

      Existe um shampoo da Granado para bebês que é um excelente substituto para o da Johnsons. É neutro, não arde o olho e tem cheirinho de bebê. Além de tudo ele é vegano! No meu blog eu falo de substitutos veganos. Não precisamos voltar pras cavernas, basta fazer algumas substituições.

      Eu tive sorte de poder ter uma família compreensiva e cabeça aberta. Meus pais se tornaram vegetarianos (de vez em quando comem ovos da fazenda) depois que eu virei e meu namorado acabou se tornando vegano depois de 1 ano de namoro. É claro que muitos dos meus amigos e familiares fazem piadinhas, mas com o tempo você aprende a lidar.


      Acho que hoje é muito mais fácil se tornar vegano do que quando eu virei (na época nem existia internet). Tem muita informação sobre nutrição, alimentos e cosméticos cruelty free por aí. Não sei se eu falei aqui, mas não é porque vc não consegue ser 100% vegano, que não pode nem tentar. A adaptação pode ser um pouco demorada, mas depois que vc acostuma, fica muito fácil.

      Comece por exemplo pelos cosméticos e depois retire carne vermelha, depois leite, carnes brancas, derivados etc. O legal é fazer no seu tempo.

      Obs: eu não julgo pessoas que comem carne e usam produtos testados. Eu não nasci vegana. Vc veio aqui honestamente fazer perguntas com dúvidas que vc tem e eu terei prazer em responder. Não tolero pessoas que, como essa blogueira do post, inventam mil e uma desculpas para justificar o uso de produtos frutos de exploração animal e ainda diz que nada vai mudar, por isso não adianta fazer a nossa parte, chamando quem faz de hipócrita.

      Excluir
    3. Eliana, você é demais! Parabéns pelas respostas em todos os posts, e por não perder a cabeça com a resposta da blogueira aqui..

      Só me tira uma dúvida.. como você conseguiu fazer o seu namorado virar vegano?? Meu namorado come carne, e isso não me incomoda..mas tenho medo de quando formos casar e ter filhos.. porque tenho certeza de que não dar carne para os meus filhos..e ele e a família dele acham isso um absurdo.. =/

      Excluir
    4. Oi Renata, obrigada!

      hahaha o meu namorado era desses que resgatava cachorros da rua, tratava, cuidava, arrumava um dono e depois ia comemorar na churrascaria. Daí eu mostrei que um porco era tão digno de respeito quanto o cachorro. E ele concordou e começou a ler mais sobre o assunto. Nunca pressionei nem obriguei ele a nada, ele virou vegano por conta própria, consciente. Acho bem complicado essa questão dos filhos. Ainda não sei o que faria... :/

      Excluir
    5. Eu também não costumo julgar as pessoas que comem carne, apesar de se tratar de um ato repugnante, elas nem sabem o que estão fazendo, sofreram a lavagem cerebral que eu mesma já sofri. Agora muitas simplesmente nao se importam, sabem e continuam, como essa blogueira dai da postagem.
      Eu tive la as minhas dificuldades para abolir a carne, mas quanto ao gosto nao foi tao dificil assim! Eu sempre odiei presunto, calabresa, salsicha, bacon e entre outras carnes. Eu so comia carne bovina - mas precisamente carne de sol, aquela super salgada - odiava carne moida tambem, e peixe eu amava, tanto que logo de inicio eu so aboli a carne bovina, peixe eu continuei comendo porque eu amava peixe mais do que tudo, com um tempo a minha empatia se tornou maior do meu apetite e deixei o peixe de lado (umas semanas depois de assistir a um video no youtube sobre os abates) e em falar em abates eu ja morei em frente a um abate de frango (tambem sempre odiei a carne de frango) e com 7 anos pediram para que fizéssemos nosso animal favorito com material reciclado na escola e eu fiz um porco enquanto o restante da turma fez gatos e cachorros... é como se só os gatos e cachorros fossem dignos de respeito. Mas eu prefiro que as pessoas sejam como seu namorado que ama gatos e cachorros do que nao amem nada, essas estao mais propensas a possibilidade de aderir ao veganismo. Outras nao! Outras simplesmente nao tem piedade com os seres que julgam nojentos (ratos, por exemplo) e so querem os animais por que os acham fofinhos ou algo do tipo.

      Excluir
  26. A blogueira não aprovou o comentário que eu fiz no blog dela, e acredito que ela tenha feito isso com outros comentários contra a opinião fajuta dela.

    Os animais merecem a liberdade de viver, o respeito, e é nosso dever protegê-los, de ajudá-los contra esse sofrimento (e outros) causado pelo homem

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A maneira da blogueira reagir a críticas é:

      "Vc não entendeu o que eu disse. Vou te banir."

      Ela também me baniu e baniu algumas meninas que comentaram lá. Ela só aceita comentários contrários do tipo: "Não concordo, amiga! Mas respeito sua opinião. Beijo me liga."
      Qualquer argumento que desbanca os comentários dela, ela simplesmente apaga.

      Sim, concordo que temos a obrigação moral de proteger os animais e fazer de tudo para tentar minimizar o impacto que causamos na vida deles.

      Beijos

      Excluir
  27. Poxa, não chegou ai o comentário meu onde eu pedia pra repostar esse texto no meu blog? Bom, no comentário o que eu fazia, resumidamente, era pedir pra repostar esse texto lá no meu blog colocando os créditos pra você e falava sobre o meu irmão que tem um canal no youtube de jogos e que sempre fica me incentivando a fazer um. No comentário eu sugeri que poderíamos fazer um canal juntas ou com mais blogueiras veganas. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lorena! Pode sim, claro! :)

      Penso mesmo em fazer uns vídeos para o Youtube no futuro! Quem sabe nos unimos para fazer? Acho uma ótima ideia!

      Excluir
    2. Seria incrível um canal apenas com pessoas veganas!

      Excluir
  28. Oi, Eliana,

    faz tempo que acompanho seu blog, mas nunca tinha comentado. Só pra dizer que este espaço é um respiro em meio a essa confusão que é a internet (Beca Brait que o diga...). Muito obrigada pela clareza e pela generosidade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju,
      Obrigada! Fico feliz que esteja gostando do blog. É ótimo poder ver tantas pessoas comentando aqui a favor dos animais, mesmo que a maioria não esteja se importando.

      Excluir
  29. Nossa!!Fiquei uns meses sem internete e quando entrei no seu blog maravilhoso de bom, me deparei com uma confusão dessas!!hihihi
    Confesso que precisei rir mesmo!
    1º PARABÉNS PELO BELÍSSIMO POST DE RÉPLICA!Aplaudi vc aqui sozinha na minha sala, olhando pra a tela, e o vizinho pensando que eu sou doida!

    2° O riso veio quando eu li o comentario da blogueira ai que eu nunca tinha ouvido falar na minha vida.É claro que ela não vai entender o que vc ta falando.é claro que nao vai entender de ética, claro que nao vai saber interpretar um texto, claro que noa vai parar deproduzir discursos alienadores!ela é um robô!!!!!Ao menos foi a conclusão que eu cheguei depois que li os comentarios que ela fez aqui!!ai ai ai viu
    Mas nao se preocupa, nao tem nem o que falar.Seus argumentos contra os dela....nao tem nem o que falar!

    Mais uma vez parabens!Adoro seu blog, adorei esse post, adorarei os proximos e assim a vida segue!!

    um beijooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha ri demais com o seu comentário! Amei!!
      Acho que valeu a pena deixar aqui meus argumentos contra ela aqui. Ela tava precisando ouvir umas verdades. E, obviamente, não conseguiu contra-argumentar. Isso é típico de quem explora animais. A pessoa se acha a inteligente enquanto os veganos são uns bobinhos abraçadores de coelhinhos. Aí quando ela lê bons argumentos que negam tudo o que ela pensa a respeito do assunto, apela e me chama de hipócrita-boba-feia.

      Obrigada pelo comentário, Belle!
      Beijos

      Excluir
  30. Oi, Eliana!

    Parabéns pela postagem!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  31. Apenas uma observação: estou boquiaberta com a riqueza dos comentários aqui produzidos.
    Em compensação, os comentários da Blogueira são paupérrimos de conteúdo. As leitoras basicamente dizem: "ah, eu concordo com você... amo os animais, mas tudo que existe nesse mundo já foi testado neles e isso não mudará nunca.. bláblábla".
    Cabeças do tamanho de um alfinete. Pessoas preguiçosas! Não querem sair, nem por um minuto, da zona de conforto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escrevi errado: ** "os comentário produzidos no post da Blogueira são paupérrimos..."

      Excluir
    2. Oi Simone,
      Eu também pensei isso e fiquei muito feliz que as pessoas que comentam aqui conseguiram perceber a lógica da minha argumentação contra os testes, enquanto as de lá, só concordaram com ela por concordar, foram incapazes de raciocinar e emitir opiniões contrárias. E são para pessoas como as que comentaram aqui, que eu faço esse blog. :)

      Excluir
  32. Eu me deparei com este post hoje e a blogueira citada era alguém que eu costumava seguir, mas parei porque não estava curtindo o trabalho dela no geral. Nunca tive nada contra ela, muito pelo contrário, até a admirava. Mas juro que fiquei chocada com o post dela sobre os testes. Nunca pensei que veria algo como aquilo. Ela tem todo o direito a ter a opinião dela, mas dizer que é melhor não fazer nada porque não fará diferença é algo surreal para mim. Algo que também me incomoda foi a maneira como ela reagiu em relação a este post e a quem foi contrário a opinião dela. Mas não é de se admirar, sabe? Eu já vi ela se chamando de maquiadora profissional porque fala sobre o assunto há muito tempo. E as pessoas que passaram por curso, certificação? Fizeram isso por fazer? Acho uma falta de respeito enorme se chamar de profissional em um trabalho porque você se interessa por ele ou é boa nele. E foi basicamente o mesmo argumento que ela usou no post sobre testes: "Leio muito sobre o assunto, então, eu entendo." Acho que não é bem assim. E, sinceramente, quanto aos comentários, para mim aquilo não são leitoras, são fanáticas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paula,
      Eu também percebi isso, as leitoras parecem ser talifãs! Ninguém foi capaz de refutar nada do que ela disse. Apenas concordavam e elogiavam. Claro, ela disse exatamente os que as pessoas querem ouvir: "Podem continuar usando produtos de empresas que testam! Tudo é testado e as coisas nunca vão mudar. Amo animais, mas não tem jeito, infelizmente.."

      Sobre ela ser maquiadora profissional, putz... eu não vi. Eu não conhecia o blog dela e quando comentei lá ela bloqueou meu ip. Atitude de pessoa madura, né? Quem elogia ela aceita, quem critica ela bloqueia a pessoa. hehe patética!
      Como falei, as pessoas tem todo o direito de opinar publicamente, mas precisam estar preparadas para terem as opiniões confrontadas. No caso dela, ela achou que eu estava ofendendo e até ameaçou me processar. O mais triste nessa história é a influência que ela tem sobre as leitoras.

      Excluir
  33. Olá, Eliana
    ótimo texto e me ajuda bastante tanto comigo mesma quanto conversando e explicando de tudo para as outras pessoas.
    Só talvez te deixando mais por dentro do assunto (por causa da tirinha), a L’Oréal não mais realiza testes em animais, porém vende seus produtos para a China, que como você deve saber é uma potência em testes em animais e recentemente fechou um acordo com a Nestle, ou seja, voltamos à estaca zero. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Brenda!
      Que bom que gostou do texto! Acho super importante termos argumentos quando as pessoas nos questionam e é sempre bom ter essas respostas prontas pra liquidar o assunto.
      Não fiquei sabendo da L'Oreal ter parado de testar não. Onde vc viu essa informação? Fico super chateada que todas as grandes empresas estejam vendendo na China.

      Obs: a tirinha foi uma ironia! Não sei se vc confundiu, mas tanto a Neutrogena, Maybelline e Johnsons ainda testam!

      Excluir
  34. Olá Eliana,

    Ótimos argumentos, parabéns pelo seu blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Thayane! Que bom que gostou!
      Abraços

      Excluir
  35. Eliana, vc é genial!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Fico feliz que tenha gostado do post! :D

      Excluir
  36. Texto muitíssimo bem argumentado mais uma vez, Eliana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Esse eu tinha que escrever e eu já percebi que os argumentos são sempre os mesmos (fraquésimos, diga-se).

      Excluir
  37. Nooossa!! MARAVILHOSO seu texto, Eliana!! Você não imagina como é bom ver pessoas com opiniões como a sua!!! É uma pena que só a minoria da população pense assim como você, e como eu.
    Parabéns por ser quem você é!! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Valéria! :D
      Fico muito feliz de ver tantas pessoas aqui concordando os meus argumentos!
      Beijos

      Excluir
  38. Sabe que não tinha visto esse seu excelente texto nem o texto da tal blogueira?!! rs

    Só posso dizer que fiquei chocada com a mentalidade da blogueira, mas feliz pela sua atitude em responder a tantas falácias!!

    Espero que um dia ela tenha consciência de como ela está sendo desonesta e sem noção! rs

    E para você parabéns e já aproveito para desejar um ótimo ano novo!! beijo! :***

    ResponderExcluir
  39. Maravilhosaaa! Quanto conformismo em uma pessoa só, né? Fora que,se a pessoa não consegue ler um paragrafo sequer, já é de se esperar que não tenha um só argumento que se sustente minimamente.

    ResponderExcluir
  40. Eu vi tbm um post de outras blogueiras falando sobre o assunto e tudo mais,só que usam pinceis de cerdas naturais,mac,loreal e bla bla bla. Vai entender né eliana.

    ResponderExcluir
  41. Eliana,

    Gostaria de agradecer pelo seu trabalho. Desde a reportagem com os beagles, tomei a decisão de buscar marcas cruelty free e parei de comer carne vermelha e de ave. Tive dificuldade de parar de comer peixe, que durante mais de 30 anos foi a base da minha alimentação.

    Já tinha tido contato com o seu blog e o da Luisa Mell, que tenho hábito de visitar, mas depois de ler este seu texto há poucos dias decidi definitivamente abolir o peixe do cardápio. Fui ao japonês no dia seguinte e comi só vegetariano.
    Tentei assisti o vídeo indicado no seu blog: Terráqueos. Mas só consegui assistir os primeiros 30 min. Fiquei emocionalmente muito abalada. Me sinto triste e até um pouco culpada em dizer que não consegui mesmo terminar de ver.

    Estou reeducando o paladar. O que é bem difícil pra mim porque comer sempre foi uma tarefa difícil, nunca foi prazeroso.

    Não sei se conseguirei me tornar vegana. A princípio conversando com meu esposo, que já foi vegetariano antes de nos conhecermos, ele sugeriu de comprarmos leite e queijo dos colonos (pequenos agricultores) que vendem em feirinhas aqui na cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciana,

      Fico muito feliz em saber que os meus textos te ajudaram a conscientizar com relação ao veganismo. Parabéns pela atitude de querer se tornar vegana. Terráqueos é mesmo um documentário chocante e me fez mal por muitos dias, mas ao mesmo tempo eu pude refletir sobre como os meus atos poderiam afetar os animais e tomei a decisão de minimizar ao máximo.

      Eu sei que se tornar vegano pode parecer assustador em um primeiro momento, mas acredite: é tudo uma questão de adaptação. Eu sempre amei carnes e queijo, e hoje nem lembro mais do gosto de carnes, laticínios e ovos. Consegui adaptar todos os meus hábitos ao veganismo. Além disso eu descobri uma infinidade de alimentos e receitas maravilhosas que só conheci através do veganismo. Existem várias receitas, dicas e depoimentos de veganos na internet e em grupos de Facebook que são muito úteis para iniciantes.

      Excluir
  42. Não sigo nenhum blog, mas con certeza vou seguir o seu! Voce está de parabéns por vir a frente, se calar pra mim é consentir! Desde o começo dsse ano comecei a refazer minha prateleira inteira, parei de usar todas as marcas que praticamente cresceram comigo, do desodorante ao shampoo.
    Vou repassar o texto para todos os meus amigos! Show!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela mensagem, Camy!
      Fico feliz que tenha tomado a decisão! :)

      Excluir
  43. Eliana,
    Parabéns, você deixa claro que não é a favor da intolerância e que tem ciência que não é possível viver 100% sem agredir algum tipo de vida, porem, que o máximo que possamos fazer para não afetar vidas seja animal humano ou não já é um grande avanço. Procuro fazer o máximo que posso para não consumir nenhum produto que venha de origem animal ou que tenha causado sofrimento a estes, porem, se for necessário dar um antibiótico para minha filha, claro que o farei. Li boa parte dos comentários e esta é uma questão que vai muito longe, percebo que são quase 2 anos de comentários. O que não podemos é nos limitar a acreditar que o mundo nunca deixará de explorar os animais. Há 16 anos a AACD mudava seu nome de Associação de Assistência à Criança Defeituosa para Associação de Assistência à Criança Deficiente, imagina se nos limitássemos a pensar que o mundo nunca deixaria de ter preconceito contra pessoas com deficiência? Ou que não adianta lutar por acesso para deficientes porque as estruturas dos prédios nunca mudarão!! É um trabalho de formiguinha mas de poquinho em poquinho conseguiremos tornar o mundo um lugar melhor para bichos, para pessoas, para a natureza como um todo. Continue com seu trabalho e saiba que existem pessoas, que como eu, seguem seu blog e confiam em suas palavras.

    ResponderExcluir
  44. Eliana, conheci seu blog hoje. Sou vegetariana há quase 4 anos e procuro por produtos cruelty free sempre. Faço o que posso, faço minha parte, meus "%" para viver neste planeta interferindo o mínimo possível na natureza e no mundo dos animais. Eu tive que vir aqui comentar porque não aguentei depois de ler seus argumentos. Tenho que te agradecer por você existir! Lendo seus textos, me deu um orgulho imensurável de você!!!! Você arrasou!!! Parabéns pelas suas sabias palavras!! Grata demais pelo seu trabalho!! Continue, não pare nunca! Um dia chegamos nos 100%! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ane!
      Muito obrigada pela mensagem! Fico feliz que tenha gostado!
      Beijos

      Excluir

Tecnologia do Blogger.