Testes em animais: um mal necessário?


Diante da indignação dos ativistas ao Instituto Royal (laboratório que realiza testes em animais para grandes empresas), um dos comentários mais comuns que leio de quem se opõe aos ativistas é: "teste em animal é um mal necessário". Dizem que é aceitável sacrificar o interesse de alguns em benefício do bem estar geral.

Pra começo de conversa, o que eu venho reparando é que as pessoas pensam que os ativistas de defesa dos animais e veganos em geral são ingênuos, bobinhos, são pouco estudados e não sabem nada de ciência.

Essa mentalidade está bastante evidente nos recentes debates sobre o resgate de cães no Instituto Royal. Abundam nos sites de notícias e nas redes sociais pessoas dispostas a dar aulinhas online de biologia e ciência em geral para justificar o uso de animais em pesquisas. A conversa sempre começa com o sujeito citando o seu currículo como forma de dar credibilidade ao que vai falar "sou mestrando em biologia... sou doutor em medicina... sou doutoranda em sei lá o que..." e dá-lhe "aula" e argumento de autoridade para os pobres ativistas incultos que não sabem nada!

Preparei, então, um texto baseado nos comentário dos diversos "cientistas de facebook".


1) Conhecimento científico merece credibilidade, o cientista nem sempre.

Essa é uma confusão que muitas pessoas fazem. O conhecimento cientifico funciona, melhora a vida das pessoas e a ciência merece a bela reputação que tem. Já os cientistas acabam herdando essa reputação como se fossem as pessoas mais corretas e bondosas do mundo, só porque fazem ciência. Os cientistas são pessoas comuns: sentem raiva, inveja, medo, querem dinheiro, reputação, mentem para garantir o emprego... alguns são pessoas boas, outros não sentem empatia alguma por ninguém, nem por animais...

Imagine um cientista que trabalha com teste em animais há 30 anos. É pesquisador reconhecido, vários artigos publicados, tem vários alunos de mestrado e doutorado, recebe muito $$ dos órgãos de apoio à pesquisa. Vocês acham que um sujeito desse iria abrir mão de tudo o que tem em nome dos animais? É claro que ele jamais iria defender o fim dos testes. Mas ele não pode ir a público dizer que os testes são desnecessários porque o trabalho dele depende disso. Obviamente ele irá dar entrevistas na Globo dizendo como os testes salvam vidas, são importantes para as pessoas e blablablá.

O mesmo ocorre com os "doutorandos de facebook/youtube". O doutorado do cara depende desses testes. Acham que eles iriam jogar tudo pro alto e começar um novo doutorado do zero por causa de ratos e animais "fofuchos" como cães? Entre o doutorado deles e cães, que se danem os cães! Mas eles jamais irão dizer isso no youtube. E dá-lhe explicação científica da necessidade dos testes para os pobres veganos incultos.

Outra coisa: imagine (como exemplo) um cientista que trabalha testando medicamentos em animais há 30 anos. O cara passou a vida nesse tipo de pesquisa e é isso o que ele sabe fazer. Ele sabe testar em animais, mas não faz a mínima ideia sobre como desenvolver programas computacionais que simulam os testes.
Ele não sabe, mas o colega dele da sala ao lado sabe. Quem se tornará o novo cientista top da universidade, reconhecido no meio acadêmico, recebendo fortunas de financiamento de pesquisas? É claro que as pessoas tem medo do novo e vão defender aquilo que elas sabem fazer com unhas e dentes aquilo que sabem fazer. E dá-lhe cientistas defendendo publicamente o uso de animais para "salvar vidas de velhinhos e crianças deficientes"!

Resumo: cientistas não são anjos na terra, mártires dispostos a tudo para salvar vidas humanas. Se fosse assim, não existiriam as doenças negligenciadas (doenças de países pobres que os cientistas não se interessam em estudar porque não haverá retorno financeiro). Cientistas são pessoas comuns, com todas as qualidades e defeitos. E os veganos/ativistas são muito mais inteligentes do que a massa, essa sim ingênua, pensa.

Não sou fã da revista Veja, mas essa entrevista sobre a ineficácia dos testes merece destaque:
“A pesquisa científica com animais é uma falácia”, diz o médico Ray Greek


2) "O Ministério Público não verificou maus tratos aos cães no Instituto Royal". "O Instituto Royal só faz pesquisas aprovadas pela Anvisa e pelo comitê de ética". "Os procedimentos estavam de acordo com as leis brasileiras"

Isso não significa nada. A definição de maus tratos é completamente vaga. Para muitas pessoas, se o animal não está mutilado sem anestesia e gritando de dor, então não há maus tratos. Se ele tem água e comida, pronto. Tem tudo o que ele necessita.

Prender um animal num cubículo pro resto da vida é maus tratos? Pra 99% dos cientistas, pro comitê de ética, pra polícia e pra Anvisa, não.

Eu já vi pesquisa de medicamento pra dor onde os ratos eram torturados e a eficácia do medicamento era medida pelo tanto que os ratos contorciam de dor. O aluno de doutorado ria sem parar durante a apresentação dos resultados, não teve nenhuma vergonha em mostrar ratos sentindo dor ao público, a orientadora não estava nem aí pro ratos e o teste foi aprovado pelo comitê de ética da universidade. Ser aprovado por comitê de ética não significa porcaria nenhuma a não ser pros leigos que obtém conhecimento através da televisão.

Infelizmente tive o desprazer de conhecer um membro do comitê de ética da UFMG. Ele é biólogo, odeia vegetarianos e fala publicamente que não dá a mínima pra animal algum. Me disse sem remorso que aprovará qualquer projeto que envolva animais. Isso é pra provar que cientistas não são esse poço de bondade e ética que a imprensa e eles próprios querem fingir que são. Inteligência é uma coisa, bondade e ética é outra coisa completamente diferente. Não é porque uma pessoa sabe resolver uma equação complicadíssima que ela é uma pessoa boa e justa.

Lei de proteção animal não existe no Brasil, por isso você pode fazer praticamente o que quiser com um animal e ainda assim estará dentro das leis. Pegue um porco, castre-o sem anestesia, arranque os dentes no alicate, queime-o com ferro quente, mantenha-o confinado por toda a vida e depois mate-o com uma facada no quintal da sua casa e faça uma feijoada caseira pra você e seus amigos. Você estará 100% de acordo com a lei brasileira.


3) Testes de cosméticos em animais são proibidos na Europa, mas no Brasil são permitidos. Por quê?



Por que não há interesse social no Brasil em banir os testes. Por isso achei tão importante a invasão do Royal. Como estão dizendo, o objetivo não é meramente liberar alguns cães. O grande objetivo é iniciar o debate sobre a utilização de animais em testes científicos. Debate que NUNCA foi feito até então no Brasil. Ninguém aqui nunca ligou pra isso.

Se a sociedade não cobra e tudo está funcionando muito bem do jeito que está, mudar pra que? Pra que alguém iria investir num processo mais caro se todo mundo aqui já está habituado a testar em animais, que são "matéria prima" barata e abundante?

É importantíssimo que a sociedade se posicione contra esses testes e cobre mudança. Queremos a implantação imediata dos métodos alternativos que já existem e queremos o financiamento de pesquisas que busquem produzir métodos que ainda não existem.

Os órgãos financiadores só vão aceitar investir dinheiro em pesquisas de métodos alternativos se eles forem pressionados. Se ratos, coelhos e cães são baratos e todos os cientistas os usam satisfatoriamente, pra que o CNPq (por exemplo) iria investir milhões em uma pesquisa de métodos substitutivos?

Mas não se enganem: os cientistas que estão acostumados com a situação atual vão lutar bravamente para que nada mude. Mas eles não vão dizer "não atrapalhem o meu doutorado! Eu preciso do diploma!" ou "mas tem 30 anos que eu só trabalho com essa linha de pesquisa! Não saberia mudar completamente de área trabalhando no desenvolvimento de métodos alternativos!". Eles irão apelar para argumentos sentimentalistas como "produzo remédios para crianças doentes! Os testes não podem parar!" e não terão nenhuma vergonha em vir a público dizer cinicamente que eles amam os animais e os tratam muito bem, como o idiota do Royal fez.

Mesmo que o Instituto Royal (e mais todos os laboratórios do Brasil) continuem testando em animais, essa invasão e manifestação repercutiu: toda a imprensa mostrou a realidade que ninguém parecia acreditar. A quantidade de pessoas que se conscientizaram e estão se engajando na causa aumentou muito esses dias. O que os olhos não veem o coração não sente. No momento em que foram mostrados cães, esses seres tão fodas, é impossível não se indignar com instituições que testam neles. Parafraseando as manifestações passadas: não é por 200 Beagles. A invasão foi um marco para mostrar a indignação. Não acho que a repercussão que alcançou seria conseguida fazendo-se batucadas na av. Paulista.


4) "As moléculas já foram testadas no passado, tudo o que usamos hoje um dia já foi testado em animais. Precisamos testar em animais para obter resultados confiáveis."



Assim como não podemos mudar o histórico de escravidão ou os testes dolorosos em judeus pelos nazistas, também não podemos mudar o fato de que muitos ingredientes usados já foram testados em animais. A questão é que a realidade pode ser mudada a partir de agora. Já foram feitos testes em animais exaustivamente. Os testes provocam dor e sofrimento aos animais e não vale a pena para testar a segurança dos cosméticos, especialmente quando milhares de ingredientes seguros já existem e estão disponíveis no mercado. Mesmo se o uso de animais for necessário no sentido de que precisamos usar animais para conseguir dados vitais, não podemos justificar o uso de não-humanos para tal propósito. 

Quando dizemos que os humanos têm o “direito” de não ser usados para esse propósito, isso significa simplesmente que o interesse dos humanos em não ser usados sem seu consentimento em experimentos será protegido, mesmo que as conseqüências de usá-los sejam bastante benéficas para as outras pessoas. O conhecimento científico nunca avançou tão rápido como no período do nazismo, quando se faziam testes em judeus. A pergunta que devemos fazer, então, é: por que nós achamos que é moralmente admissível usar animais em experimentos, mas achamos inadmissível usar humanos?

Por que consideramos os animais sem pestanejar como meros objetos descartáveis à disposição das finalidades humanas e ao mesmo tempo em hipótese alguma permitiríamos o uso meramente instrumental de seres humanos com severas deficiências cognitivas? Afinal, os órgãos destes últimos poderiam ser a única alternativa para salvar a vida de um ser humano produtivo e com plena posse de suas faculdades mentais.

Todos os seres humanos, com a exceção de alguns casos de anencefalia ou de estado vegetativo, têm o direito de ser considerados como fins em si mesmos única e exclusivamente por serem sencientes, e não por serem racionais. Logo, todos os seres sencientes também deveriam ser tratados do mesmo modo.


5) Boicote de empresas funciona?

Além de não testar o produto final em animais, a empresa cruelty free não pode terceirizar testes dos ingredientes

Mesmo que boicotar empresas que testam em animais não funcionasse, eu não gostaria de dar meu dinheiro suado para empresas que fazem testes em animais, enquanto há inúmeras empresas que não fazem testes nem terceirizam testes em seus produtos e ingredientes.

Estamos observando um aumento de empresas preocupadas pela questão e que se denominam "cruelty free" por não produzir e vender produtos testados em animais. Se boicotar empresas que testam em animais não funcionasse, por que existem tantas empresas empenhadas em eliminar os testes e deixar claro que não testam?

Sabemos que a grande maioria das empresas só quer saber de dinheiro e a melhor forma de abalar uma empresa é alterar negativamente seu lucro. Se um número significativo de pessoas começarem a boicotar uma empresa e deixar claro que o boicote se deve aos testes feitos em animais pela empresa, é claro que ela passará a investir em métodos substitutos e os abolir. Por outro lado, a pressão que a sociedade faz no governo pode proibir que sejam feitos testes em cosméticos. A Alemanha, por exemplo, proibiu no país que sejam feitos testes de cosméticos em animais desde 1998, ou seja, qualquer marca de cosmético alemã (Alva, Balea, Alverde, Essence, Catrice, Weleda etc) é livre de crueldade, a não ser que seja comprada por outra empresa que testa, como é o caso da Wella, que foi comprada pela P&G (empresa que faz testes em animais).

E são manifestações como as que ocorreram no Instituto Royal, capazes de mostrar à sociedade e ao governo a insatisfação da situação em que animais são submetidos nessas instituições. Só assim haverá demanda por métodos substitutivos e uma posterior proibição deles no país.

Infelizmente os remédios ainda continuam sendo todos testados em animais e muitas pesquisas continuam sendo feitas, outros seres tão sencientes como nós são torturados em nome da ciência, mesmo que este uso só se justifique para lançar mais um tipo de batom no mercado, testar armamentos ou acrescentar mais um título acadêmico ao currículo de alguém mais "iluminado".

Ainda não é possível boicotar certos remédios por enquanto, mas não me sinto uma hipócrita por isso. Fazemos o que está ao nosso alcance. A nossa luta não é por coerência de atitudes. A nossa luta é para um mundo melhor. Agir 95% a favor dos animais ainda continua sendo uma contribuição por um mundo melhor do que não fazer absolutamente nada.

29 comentários:

  1. Oi Eliana!

    Ótimo post! Concordo com tudo o que você falou.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. OI Eliana!
    Postagem suuuuper pertinente ao momento que estamos, adorei :)
    Acho demais mesmo esse povo querendo falar o be-a-bá da ciência e explicá-la como se fosse tudo sempre limpo, lindo e bem cuidado dentro dos laboratórios e os cientistas fossem maravilhosos, com bom coração e empáticos com o sofrimento dos bichos. Claro, existem exceções, mas o que eu vi durante a minha graduação foram raríssimas. Grande parte das aulas de fisiologia tivemos experimentações com animais e os professores eram indiferentes à dor dos bichos, a sala inteira chorava desesperadamente com a aula inútil (tinhamos que calcular a quantidade de água do rato se não me engano, abrindo ele, injetando um corante na corrente sanguínea e depois esvaziando toda a quantidade de sangue dele e colocando num pote) e os professores se irritaram com a nossa reação. Isso sem contar o método utilizado de anestesia: bater a cabeça do animal na quina da mesa repetidamente. Engraçado como é aceito pela ciência uma coisa dessa. Essa é só uma das muitas lembranças horriveis que tenho da graduação :/

    Também cheguei a conhecer o pessoal do comitê de ética da UFSCar e sei que passam projetos horríveis sem conhecimento novo ou inovador, o que acontece muito é uma repetição da mesma tecnica exaustivamente pra provar algo que já está provado, só que com bichos diferentes, é pracabá. Já vi os biotérios, já vi os laboratórios e sinceramente sei que o negócio não é tão bem cuidado como falam, os bichinhos são negligenciados sim!

    Achei super legal o fato da sociedade enfim estar abrindo um pouco os olhos pra esse assunto, é um lindo começo, mas também acho que o buraco é beeeem mais embaixo, na inexistência de leis do nosso pais sobre isso. Só não pode parar por ai, senão serão só menos bichos pro insituto royal, que comprará mais e continuará usando e matando como ele sempre fez.

    Desculpa a empolgação (o comentário ficou enorme), mas é um assunto que me marcou muito!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que horror, Jess!! É assim mesmo... as pessoas vão ficando insensíveis, principalmente se fazem a mesma coisa todos os dias.

      Vc não tentou objeção de consciência?
      Sempre eu escuto de pessoas da área de saúde uma história tenebrosa com experimentos em ratos. E quando me contam, ficam rindo como se fosse super legal submeter animais a tortura. É claro que não falam isso na televisão.

      Conheci uma menina da bioengenharia que me disse ter usado 240 ratinhos durante o mestrado dela e que "adorou" ter que quebrar o pescoço deles. Fico revoltada com o sadismo das pessoas. Na bioengenharia fazem experimentos em cães o tempo todo, principalmente com próteses e ninguém acha ruim. O diploma deles vale mais, né...

      Também acho que o buraco é mais embaixo. As leis brasileiras são fraquíssimas até pra quem tortura e mata cães e é pego em flagrante.

      Obrigada pelo comentário! Fico feliz de poder conhecer pessoas como vc!
      Beijos

      Excluir

  4. Eu sempre fui uma pessoa razoavelmente informada, e com alguma consciência ambiental por assim dizer, e gosto d+ de animais, sou teísta e penso que Deus os fez e que portanto não posso me servir deles como bem quero, mas mesmo assim ler o seu texto e a matéria que vc divulgou abriu os meus olhos de uma forma muito transformadora, é fácil fazer a maior parte da população acreditar em qualquer coisa não é mesmo?

    As pessoas enchem a boca para falar do quanto a ciência e a medicina dependem irremediavelmente dos experimentos com animais e ao olharmos mais a fundo descobrimos que não é bem assim.

    Muito obrigada por essas informações tão esclarecedoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Izabel,
      Obrigada pelo comentário. Fico feliz que tenha consciência disso!

      Quem não conhece de perto os cientistas e se baseia no que a televisão passa, nem sempre consegue pensar diferente. Mas esquecem que são todos humanos e nem todo mundo é tão bonzinho como parece ser. Se até crianças sofrem as maiores atrocidades, imagina os animais, que são considerados inferiores e ainda não existe uma lei decente de proteção animal no Brasil?

      Excluir
  5. Adorei o post, disse tudo e esclarece! deveria ser proibido de vez! bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Cibele!
      Torço pra um dia ser proibido.
      Beijos

      Excluir
  6. Ótimo texto! Se soma a outro que li recentemente e achei muito interessante também! http://www.olharanimal.net/pensadores-etica-e-animais/luciano-carlos-cunha/448-o-debate-sobre-a-moralidade-da-experimentacao-animal-o-que-e-relevante-e-o-que-nao-e

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Renata! Obrigada! Esse texto é ótimo, ele tem uns argumentos muito bons!
      Essa chatice de chamar de hipócrita tudo que os defensores dos direitos animais defendem já cansou. Só não é hipócrita quem não toma partido de nada, e aí não tem risco de cair em contradição. E dá-lhe ad hominem!

      Excluir
    2. Exatamente, são os mesmos argumentos repetidos a exaustão, chega uma hora que cansa e além disso isso deixa a discussão num nível muito superficial.

      Excluir
    3. Exatamente, são os mesmos argumentos repetidos a exaustão, chega uma hora que cansa e além disso isso deixa a discussão num nível muito superficial.

      Excluir
  7. Muito Bom o texto parabéns.. Não concordo com sua opinião, mas respeito.
    Percebi que em nenhum momento você citou algum estudo que por exemplo, comprove que um sistema de computador (Todos sabemos que sistemas tem suas variáveis limitadas conforme conhecemos) seja tão eficaz quanto o teste em um medicamente em um corpo vivo semelhante ao do ser humano ( Não conhecemos todas varáveis que existem na dinâmica de um corpo vivo, se assim fosse teríamos a cura para muitas doenças). Seu texto de baseou em especulações do comportamento humano.
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe,

      Alguns estudos que buscam simular sistemas vivos em computador existem. Na UFMG eu conheci um cara que faz isso, e ele me disse que o trabalho dele iria reduzir uma etapa qualquer de testes em animais e x animais a menos seriam utilizados nas pesquisas. Posso até procurar esse trabalho.

      Em momento algum eu disse que hoje temos todas as informações necessárias para simular um corpo vivo em computador. Mas apesar de não ser possível hoje, não é cientificamente impossível. Caso sejam feitos vários estudos (e isso requer dinheiro e interesse), isso seria possível no futuro. Não aceito argumentos tipo "é impossível parar com os testes". Se hoje é impossível, é devido à ausência de interesse em pesquisar massivamente novos métodos.

      Resumo: o primeiro passo é reconhecer que os testes são imorais. Dane-se se eles funcionam, são imorais. Uma vez reconhecendo isso, surge a necessidade de investimentos em grande escala em pesquisas de métodos alternativos. Essas pesquisas renderam frutos que futuramente irão banir por completo os testes em animais. Pesquisas que visam eliminar testes em animais recebem rios de $$? Não. Existem trilhares de cientistas interessados nessa linha de pesquisa? Não. Pesquisas que fazem testes em animais recebem rios de $$? Sim. Existem trilhares de cientistas interessados em pesquisas com testes em animais? Sim. Esse é o primeiro passo: acabar com essa mentalidade.

      Uma vez que as pessoas botarem na cabeça que testar em animal é tão imoral quanto testar em humano, todo o resto ($$, gente interessada em pesquisar, etc) vem como consequência.

      Mas quem será contra essa estratégia? As pessoas que tem a ganhar com o mundo como ele é hoje. Essas pessoas não querem que nada mude e infelizmente são essas as pessoas que estão dando entrevistas nas tvs.

      Mas cuidado! Jamais pense que citar os benefícios científicos ou necessidade social dos testes em animais justificam esses testes. Se resultados bons ou necessidade de alguns justificassem algo, os testes em humanos estariam mais que justificados, afinal os resultados desses testes beirariam a perfeição, e certamente os resultados de testes em alguns humanos ajudariam inúmeras pessoas.

      Matar animais é correto caso os resultados científicos sejam bons?

      Se a resposta for sim, tudo deve permanecer como está, pro resto da vida. Nada jamais precisará mudar.
      Se a resposta for não, isso precisa mudar, e precisa começar a mudar já.
      Simples assim.

      Ou vc propõe a estagnação ética?

      Excluir
    2. Olá Eliana

      Gostei muito de sua resposta á respeito da moralidade do teste em animais!! creio que este é o caminho correto para discutirmos... se é ético, moral etc etc...
      Eu estudo engenharia (não tem nada a ver com assunto rsrsrs eu sei) e trabalho á 4 anos no ramo médico hospitalar, isso me traz um pouco de conhecimento á respeito dos gastos envolvidos com os testes em animais, que são muitos grandes pode acreditar em mim, e concordo que com algumas instituições ocorre exatamente o que você diz, a grana fala mais alto do que qualquer outra coisa, mas não são todas. Algumas indústrias são super sérias e comprometidas na redução do teste em animais, e isso é algo ótimo.
      Sou á favor no teste em animais quando necessário e restritamente necessário, infelizmente os testes alternativos que existem hoje em dia, são complementares dos animais.
      Segue o link da da Foundation for Biomedical research que explica as necessidades e dá cada fonte de pesquisa para realizar testes em corpos vivos http://fbresearch.org/
      A mesma instituição propõe também um tratado para redução ao máximo dos testes em animais (pricipalmente em primátas) .
      Sobre o testes em humanos a impossíbilidade é a quantidade de variáveis que existe para estes testes, na ciência a tendencia dos testes é restringir variáveis.. se você pega pessoas aleatóriamente não sabe as propenções a doenças, os costumes da pessoa entre outras coisas que podem interfirir na pesquisa

      Obs: Muito obrigado e meus parabéns pelo espaço e pelo seu tempo para nossa conversa no seu blog, muitas pessoas apenas apagariam meu comentário, você ao contrário, me explicou suas convicções e acho que essa é a parte valida nisso tudo, discutirmos para cada vez evoluirmos moralmente, cientificamente etc etc..

      Excluir
    3. Felipe,

      Eu já tive contato com a área de Bioengenharia (sou eng. mecânica também) e foi o suficiente para querer distância da área. Tudo envolve experimentos em animais mesmo e muitas vezes são inúteis e servem apenas para dar um título a mais ao pesquisador.

      Respondendo:

      "Sobre o testes em humanos a impossíbilidade é a quantidade de variáveis que existe para estes testes, na ciência a tendencia dos testes é restringir variáveis.. se você pega pessoas aleatóriamente não sabe as propenções a doenças, os costumes da pessoa entre outras coisas que podem interfirir na pesquisa"

      E desde quando testar em bicho e inferir resultados pra humanos é minimizar variáveis? Entre os animais as variáveis podem até estar mais ou menos controladas, afinal os animais de raça são parecidos. As variáveis estariam sob controle se vc estivesse testando em beagles, por exemplo, e depois usando os resultados nos próprios beagles. Mas na hora que vc passa do bicho pra gente, o número de variáveis tende ao infinito.

      E depois dos testes em animais vem os testes em humanos. Esses testes não são feitos com todos os humanos do mundo. São feitos com algumas pessoas e os resultados são inferidos para a humanidade.

      Essa etapa que vc critica (usar alguns humanos e inferir os resultados para o restante da população) já é feito hoje! Ou como vc acha que um remédio sai do laboratório e vai parar na prateleira da farmácia?

      Não faz o menor sentido o que vc disse.

      "Sou a favor no teste em animais quando necessário e restritamente necessário"

      Em humanos também ou essa lógica só vale pros animais? Por que não dizer "sou a favor de testes em humanos quando necessário e restritamente necessário".

      Necessidade não é justificativa. Se necessidade servir de desculpa, eu te arrumo um monte de justificativa pra teste em humano.

      Aliás, os nazistas faziam exatamente isso: arrumavam justificativas científicas pra justificar os testes em humanos. E do ponto de vista científico, as justificativas são todas corretas. Não fazemos testes em humanos por um único motivo: é imoral. Só esse. Não há outro.

      Se vc arrumar um trilhão de justificativas científicas da necessidade de testar em humanos, ainda assim ninguém aceitaria devido à questão ética. O mesmos se aplica aos animais. Eu sei dos benefícios científicos que esses testes trazem (não nego que tragam) e sei que várias pessoas se beneficiam dos resultados desses testes. O que falta é vc mostrar porque torturar e matar animais pra obter resultados cientificamente interessantes é ético, enquanto matar humanos (mesmo os que possuem deficiências cognitivas) pra obter resultados cientificamente interessantes não é ético.

      Perceba que o meu questionamento é unicamente ético. Não questiono a qualidade dos dados. E dados de qualidade não justificam algo do ponto de vista ético. Se justificasse, estaria justificado o testes em humanos. Vc vai ter de me mostrar porque esses testes em animais são éticos.


      "A mesma instituição propõe também um tratado para redução ao máximo dos testes em animais (pricipalmente em primátas) "

      Não há razão, do ponto de vista ético, em proibir primatas e aceitar barbarizar e brutalizar todo o resto. Ou seria anti-ético testar em primatas, mas ético testar nos demais animais? Explique.

      Excluir
  8. Texto ma-ra-vi-lho-so!!
    É incrível a quantidade de gente que acha normal a tortura e escravidão de animais não humanos em nome da """"""""""""""ciência""""""""""""". E esse pessoal nem se dá o trabalho de questionar sobre isso. Acham que os animais estão a serviço dos humanos e pronto. O que mais vejo é esse discurso de "As moléculas já foram testadas no passado, tudo o que usamos hoje um dia já foi testado em animais. Precisamos testar em animais para obter resultados confiáveis."
    Eu sei que tem muita gente que diz bostas assim não é nem por maldade, é falta de informação mesmo, preconceito. Vindo de gente que não tem acesso nenhum aos meio de informação/comunicação não formais a gente até releva e explica que não é assim. Mas pro pessoal que tem computador, tablet, smartphone tudo com internet, não custa nada se informar.

    :***

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Melissa! :D
      O que mais tem é gente desinformada que ACHA que os outros são hipócritas porque teve o primeiro contato com um assunto, analisou as notícias por 5 minutos, viu na televisão e se achou o Sherlock Holmes da contradição ideológica. É uma pena que as pessoas sejam tão rasas assim. Concordo que é falta de dar uma pesquisada nos 2 lados.

      Excluir
  9. Assino em baixo de tudo o que você escreveu, em especial do que você escreveu em resposta ao Felipe. Esses últimos dias eu fiquei mais exausta do que nunca com todos os comentários clichês que a gente está acostumado a ouvir, etc, etc e também fiquei mais abalada do que nunca e até incrédula com o sadismo de certos humanos...
    Enfim, analisei outros pontos de vista, reanalisei os meus antigos, procurei ler alguma coisa mais científica, digo, algo menos subjetiva (difííiiiicil encontrar) e eu te falo que acredito que o caminho da evolução é esse mesmo em que estamos. Os recursos e os avanços tecnológicos evoluirão para abolir os testes em animais quando as pessoas passarem a ver isso tudo como horrivelmente imoral.
    Por enquanto, vamos lutar e fazer o que estiver ao nosso alcance. E invadir o Instituto, furtar os cães (furtar, afff), fazer aquela confusão, foi preciso sim. Foi preciso porque infelizmente NINGUÉM vai dar atenção pra um assunto desses batendo tambor com um cartaz na rua.
    Confesso que eu estou aflita, mas estou animada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim!! Percebi também que tem muita gente sádica e insensível que não se importa com animais.
      São os pesquisadores que devem responder às necessidades da sociedade e não o contrário. Se o uso de animais para testes agora é um problema, os pesquisadores deverão encontrar uma solução ao invés de esperar que a sociedade esqueça o assunto ou "mude de pauta".

      Também me sinto assim, aflita e animada! :)

      Excluir
  10. Disseram que o assunto será discutido no Fantástico, e aposto que eles vão fazer de tudo para convencer o público que é necessário fazer testes em animais para saúde humana, etc etc. Aff!
    Tenho uma pergunta pertinente. O que vc faria se um roedor (rato de esgoto) entrasse na sua residência? mataria? Dias desses fiquei pensando nisso, o que os defensores dos animais fazem em uma situação dessa, um rato dentro de casa, etc? Acho a pergunta importante... não sei como eu agiria... Desculpe fazer esse tipo de perguntar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então, não deu outra. Deixaram a Silvia Ortiz falar por horas (dizendo até mentiras) e quando algum defensor dos animais vai falar, manipulam, cortam a entrevista... Mas isso não me surpreende. O que esperar de uma imprensa patrocinada por Dove, Unilever, Friboi?
      Juubs, fiz um post sobre isso. Depois da uma olhada: http://belezavegan.blogspot.com.br/2013/10/como-lidar-com-ratos-dentro-de-casa.html

      Excluir
    2. Não precisa se desculpar. Essa dúvida é super comum. Eu também tinha até que uns ratinhos entraram em casa!

      Excluir
  11. O grande problema desse assunto não é a falta de opções, mas sim o interesse do governo em mudar toda uma estrutura para investir em novas tecnologias. Possível é, porém quando o assunto é o ego e o dinheiro tudo fica mais complicado. Precisamos de um debate sim. Eu sou contra crueldade, em animais ou seres humanos. Mas parece que nosso governo, mesmo pressionado, não vai se mexer pra mudar as coisas por aqui. Não tão cedo.

    Poderíamos começar uma mudança lutando pelos animais que são mortos todos os dias nos centros de zoonoses, sendo que muitos deles também são utilizados em vivissecção. "Material barato". Poderíamos também começar pelas faculdades que utilizam animais em experimentos tendo outras opções inclusive mais baratas. Os testes infelizmente ainda vão continuar, mas se fôssemos aos poucos, chegaríamos lá, fazendo as pessoas e esse país verem a nossa força. Mas a questão é: Por que não começamos nunca?

    ResponderExcluir
  12. UAUUUU!!!!!
    Vc eh genial Eliana!
    Estou muito feliz de ter lido seu texto e algumas respostas. Pqe vc realmente sabe do que esta falando,
    E tem uma escrita mto cativante!
    Eu estou começando minha caminhada para me tornar vegetariana, e estou no começo mas jah sou foco de ridicularizaçao e todas as pessoas me cercam de pergntas e exigem respostas para tudo sobre isto. Exigem soluçoes e outras alternativas para por exemplo teste em animais, estou começando a ler sobre o assunto o que eu sei eh que percebi o quanto fui ingenua e o quanto existem pessoas ingenuas que nao se questionam se o que estamos fazendo eh certo ou nao. Eh justo ou nao.
    Acreditar que somos donos de tudo e todos e que podemos usar animais como existissem ao nosso dispor. Nem sempre o que a maioria das pessoas fazem e sempre fizeram eh correto, estou buscando compreensao por tudo que vivo hoje. Eh hora de acordar e viver de forma mais consciente.
    Queria te parabenizar novamente, gostaria de te 'invocar' sempre que me fazem dez mil perguntas. Eu nao sei de tudo, soh nao estou parada e estou a procura do que eh certo. Sou uma pessoa desligada de fatos, mas gostaria de te pedir dicas de como posso me informar mais, pois diante de uma causa tao seria gostaria d deixar quem me pergunta sem falas. Pra faze los pensar que alem de etico, eh possivel e ignorada essa possibilidade por interesses financeiros. O que me incomoda nao eh ficar meio bobona e nao saber o qe responder, o qe me incomoda eh nao conseguir apoiar a causa de forma justa.

    ResponderExcluir
  13. Eliana! Pode parecer que estou puxando o saco... que seja!
    Mas esse blog é INCRÍVEL! Cada vez me impressiono mais com a maneira que você argumenta. Eu penso o mesmo que você. Mesmo que não fosse possível modificar algo no mundo boicotando empresas que testam em animais, eu as boicotaria. O mesmo aconteceu com a carne. A principio eu via a minha ajuda como insignificante, não comia apenas porque era como comer carne humana, mesmo que ja estivesse morto ninguém comeria um humano, pois foi uma morte cruel, e desperta uma certa repugnância na pessoa.

    ResponderExcluir
  14. Amo os animais! Sou protetora de quase todos. Só mato os mosquitos e junto com minha mãe, cuido de cães e gatos abandonados. Adorei seu posicionamento Eliana nos comentários.

    Pesquiso sempre as marcas antes de comprar. Faço de tudo pra não comprar produtos testados em animais, ainda que às vezes pague um pouco mais por favor isso.

    Que Deus abençoe todas (os) vocês que tem amor pelos animais.

    Quem gosta deles normalmente são pessoas maravilhosas.

    Beijos....

    ResponderExcluir
  15. Amo os animais! Sou protetora de quase todos. Só mato os mosquitos e junto com minha mãe, cuido de cães e gatos abandonados. Adorei seu posicionamento Eliana nos comentários.

    Pesquiso sempre as marcas antes de comprar. Faço de tudo pra não comprar produtos testados em animais, ainda que às vezes pague um pouco mais por favor isso.

    Que Deus abençoe todas (os) vocês que tem amor pelos animais.

    Quem gosta deles normalmente são pessoas maravilhosas.

    Beijos....

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.